Autocuidado

A importância do autocuidado para cada etapa da vida

A importância do autocuidado é indiscutível, mas você já parou para pensar em como cada fase da vida exige cuidados diferentes? Quando você era mais novo, tinha necessidades emocionais distintas do momento atual. O seu “eu” mais velho também possuíra preocupações correspondentes à faixa etária mais avançada. 

Certas táticas de autocuidado são mais relevantes para uma etapa da vida que outras, portanto, é importante saber adequá-las ao momento vivido.  

Cada etapa da vida importa

O autocuidado pode (e deve) ser praticado em todas as etapas da nossa vida. Para que tenhamos um melhor aproveitamento das experiências características de cada uma, precisamos estar emocionalmente bem.

Embora os métodos de cuidar de si mesmo não tenham restrição de idade, as particularidades de cada momento de vida exigem cuidados específicos. 

Para compreender a importância do autocuidado acompanhar o crescimento pessoal de cada indivíduo desde a infância até a terceira idade, separamos as necessidades de cada faixa etária abaixo.

Infância

As crianças são seres em desenvolvimento. Logo, suas funções cognitivas, personalidade e emoções passarão por diversas modificações até se consolidarem. 

Os ensinamentos que recebem diretamente, assim como as observações que fazem do ambiente, são facilmente absorvidos por suas mentes jovens. Idealmente, toda criança teria acesso a conhecimento de valor e experiências interessantes, as quais instigam o seu desenvolvimento cognitivo.

Na prática, contudo, nem sempre essa realidade é possível. As dificuldades não se devem à falta de acesso a recursos, mas, sim, à ausência de orientação sobre a importância de cuidar de si mesmo. 

Uma criança que é ensinada a ser forte e determinada (mas que pode contar com a família quando necessário) cresce com esses valores. Ela pode demonstrar que não os compreende, afinal, brincar e descobrir o mundo são as principais prioridades dos pequenos. 

À medida que fica mais velha, no entanto, ela persiste em momentos de crises e encara frustrações de cabeça erguida. 

Além da construção da autoestima da criança, é importante dedicar atenção especial para a aprendizagem. Como o mundo dela é composto, sobretudo, pelo meio familiar e o escolar, garantir que ela não tenha problemas em aprender também é uma forma de autocuidado. 

Os pais devem se certificar que os filhos compreendem o conteúdo, não têm medo de socializar com outras crianças, aproveitam as experiências proporcionadas pelo ambiente escolar, conseguem acompanhar o ritmo da turma e se sentem confortáveis na escola.

Quando transtornos de aprendizagem são identificados ainda na infância, a criança não carrega as dificuldades com o aprendizado para as outras fases da vida.

Adolescência

A importância do autocuidado para quem passa pela puberdade é evidente. 

Na adolescência, as principais problemáticas são a descoberta da personalidade, as influências externas e os comportamentos impulsivos. Quando descontrolados, esses elementos agravam a saúde mental. 

Com a alta produção de hormônios e desenvolvimento cognitivo ainda em andamento, o adolescente nem sempre sabe discernir o que é melhor para ele. Então, é dever dos pais orientá-los para o caminho correto. 

Se necessário, é claro, podem contar com o auxílio da psicoterapia. Alguns adolescentes não estão dispostos a ouvirem os pais e demoram a confiar em psicólogos. Porém, o acompanhamento psicológico fornecerá informações importantes para ajudá-los a passar por esta fase sem grandes impactos emocionais.  

O autocuidado na adolescência é composto por:

  • Demonstrações de apoio dos pais: mesmo que o adolescente revire os olhos e não leve as palavras de apoio dos pais a sério, em seu íntimo elas ficarão marcadas. É importante para um indivíduo nessa etapa da vida saber que pode ser ele mesmo, mas contar com o cuidado e a proteção dos pais;
  • Orientações sobre condutas apropriadas: todo pai e mãe já foi adolescente, logo sabem que os filhos podem engajar em comportamentos “de descoberta” inadequados. Assim, devem orientá-los para que sempre visem os caminhos que levam ao seu bem-estar e saúde mental;
  • Liberdade de diálogo: para que os filhos adolescentes confiem nos pais a ponto de não omitir informações e compartilhar sentimentos, é necessário conceder lhes espaço para o diálogo;
  • Quantidade considerável, porém limitada de liberdade: oportunidades para desbravar o ambiente onde vive é importante para o desenvolvimento de um adolescente. Ele precisa entrar em contato com experiências diversas para crescer e amadurecer. O excesso de restrições pode deixá-lo deprimido;
  • Gestão de emoções: as emoções vibrantes dos adolescentes não devem ser tratadas com descaso. Os pais ou cuidadores devem ensinar os mais jovens a gerir as suas emoções para que eles saibam o que fazer diante da ansiedade, do medo e da frustração.

Vida adulta

A importância do autocuidado é melhor compreendida nessa fase devido à multiplicidade de vivências. Ainda assim, os índices de transtornos mentais em jovens adultos e adultos são altos. 

Assim que deixam a graduação, os jovens buscam se consolidar no ambiente profissional e encontrar o seu lugar no mundo. É um misto de sensações semelhantes à descoberta da identidade da adolescência e a necessidade de encarar obrigações típicas da vida adulta. 

Os desafios e as cobranças da sociedade e da família podem minar a saúde mental. Logo, ficam ansiosos e depressivos. Esta faixa etária também é favorável para o surgimento de transtornos mais severos, como o Transtorno Bipolar

Para não sofrer com as pressões externas e as frustrações típicas de quem está começando a vida, o jovem adulto deve praticar o autocuidado diariamente.

Atitudes como refletir antes de tomar decisões, meditar, se exercitar com frequência, comer alimentos saudáveis, ter uma vida social, não ficar preso ao trabalho ou relacionamentos impróprios são indispensáveis. A psicoterapia é uma ferramenta igualmente útil para auxiliar no início da vida adulta. 

Para os adultos que já passaram dessa fase de descoberta e estão consolidados no trabalho, a importância do autocuidado reside na atenção ao humor e na satisfação com a vida. A graça do cotidiano, do trabalho ou do relacionamento pode desaparecer em razão da mesmice e do comodismo. 

As escolhas feitas nessa fase da vida ditam o aproveitamento da mesma. O adulto, então, deve aprender a tomar decisões que beneficiam o seu bem-estar emocional. Dessa forma, aceitará somente oportunidades que enriquecerão a sua existência. 

O medo de ficar solteiro, de não se realizar profissionalmente, de envelhecer, de não constituir família, entre outros, são impedimentos para a felicidade.

Terceira idade

A psicoterapia possui, entre outros objetivos, libertar as pessoas de suas pendências emocionais. Na terceira idade, essa questão costuma ser latente. Muitos idosos possuem apego ao passado, aos arrependimentos e as mágoas. Esses elementos perturbam as vivências do presente.

Além disso, os problemas de saúde e as mudanças corporais podem acarretar insatisfação com esta fase da vida. Os idosos precisam saber que são livres o suficiente para fazerem o que gostam e encontrarem pessoas queridas. Caso contrário, podem esgotar a sua saúde mental com frustrações e medos. 

Dessa forma, o autocuidado na terceira idade visa a qualidade de vida e a cura de dores emocionais oriundas do passado. 

Alguns podem acreditar que essa prática é desnecessária nesta etapa da vida em virtude da vasta experiência de vida dos idosos ou do comodismo. Porém, como visto, não existe hora específica para cuidar de si mesmo. 

O autocuidado é necessário em todas as fases da existência humana. Cada uma apresenta dores, alegrias, altos e baixos específicos. A terceira idade não é diferente. 

A Vittude compreende a importância do autocuidado

A psicoterapia pode ajudar pessoas em todas as etapas da vida. Crianças, adolescentes, adultos e idosos tiram o mesmo proveito do acompanhamento psicológico, embora tenham queixas e necessidades únicas. 

A Vittude entende quão significativo é o autocuidado ao longo da vida, por isso, trabalha para conectar pessoas a psicólogos de modo prático e livre de complicações. 

Transtornos mentais podem acometer indivíduos de todas as faixas etárias. A probabilidade aumenta em face de acontecimentos pouco agradáveis e traumas que aprisionam. Com a Vittude, é possível se aprofundar e tratar todos esses assuntos. 

A partir da orientação do psicólogo, os pacientes são convidados a traçar novas rotas para o presente e o futuro. 

Como a Vittude compreende a importância do autocuidado, desenvolveu um ambiente seguro e confortável para que os pacientes não hesitem em se expressar. A plataforma digital possibilita o encontro com psicólogos competentes e especializados em um horário e um dia propício para os pacientes. 

A terapia é feita diretamente de suas residências. Para quem não tem disponibilidade ou não consegue se deslocar facilmente, a terapia online é a solução para cuidar da saúde mental.

As informações pessoais bem como o conteúdo partilhado nas consultas são mantidas em sigilo. Isso garante mais conforto para tocar em assuntos delicados. O paciente não precisa ter vergonha de sentir fortes emoções, como raiva ou tristeza, nem de chorar na terapia. Essas reações são esperadas. 

Quem busca sanar um problema específico, como o Transtorno do Espectro Autista (TEA) ou a Síndrome do Pânico, também pode encontrar um profissional aqui! 

Agendar uma consulta é muito simples

O primeiro passo é se cadastrar na plataforma da Vittude. 

Pela ferramenta de buscas do site ou do Vittude Meet, interessados em autocuidado e saúde mental encontram perfis de psicólogos com informações pertinentes. 

Depois, só é preciso selecionar o horário e a data mais confortável para você e fazer o agendamento! Quando estiver próximo ao dia da consulta, a Vittude irá relembrá-lo do seu compromisso.

Conteúdos Que Você Pode Gostar Também:

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta

Recent Posts

TOC – Transtorno Obsessivo Compulsivo – Sinais e tratamentos

O transtorno obsessivo compulsivo pode aparecer de diversas formas, e apesar de ser excessivamente usado…

13 horas ago

Como superar a morte de um pai?

Afinal, como superar a morte de um pai? Pode ser difícil lidar com o luto,…

3 dias ago

Como escolher um psicólogo? Dicas e critérios essenciais

Você sabe como escolher um psicólogo? Essa decisão pode ser difícil, mas é essencial para…

4 dias ago

Síndrome do Impostor: aprenda como superar a autossabotagem

A Síndrome do Impostor é algo comum, que pode impactar pessoas em relação ao trabalho,…

5 dias ago

Quais são os sintomas de crise de ansiedade e pânico?

Os sintomas de crise de ansiedade e pânico são similares, mas existem pequenas diferenças que…

2 semanas ago

A terapia EMDR é a melhor opção para traumas?

A terapia EMDR é uma abordagem que envolve uma reprogramação do cérebro, direcionada a trabalhar…

3 semanas ago

Já fez Terapia Online? 😉

Começar agora!