Transtornos de Ansiedade

Ansiedade: conheça 13 sintomas que merecem sua atenção

Ansiedade é um termo geral para vários distúrbios que causam nervosismo, medo, apreensão e preocupação.

A ansiedade é uma reação que todo indivíduo experimenta diante de algumas situações do dia a dia, como falar em público, expectativa para datas importantes, entrevistas de emprego, vésperas de provas, exames de saúde entre outras.

Contudo, algumas pessoas vivenciam esta reação de forma mais frequente e intensa, que pode ser considerada patológica e comprometer a saúde emocional.

Como saber quando a ansiedade normal ultrapassa os limites e pode ser considerada um transtorno? Confira mais no texto abaixo.

Ansiedade e Medo

De acordo com o DSM-5 (Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais) os transtornos de ansiedade incluem aqueles que compartilham características de medo e ansiedade excessivos e perturbações comportamentais relacionadas.

Assim, medo é a resposta emocional à ameaça iminente real ou percebida, enquanto ansiedade é a antecipação de ameaça futura.

O medo é com mais frequência associado a períodos de excitabilidade aumentada, necessária para luta ou fuga, pensamentos de perigo imediato e comportamentos direcionados a escapar de alguma situação. 

Os ataques de pânico se destacam dentro dos transtornos de ansiedade como um tipo particular de resposta ao medo.

Como controlar a ansiedade?

Aprendemos a controlar a ansiedade quando descobrimos seus gatilhos emocionais. Desse modo, uma das melhores ferramentas atuais para lidar com os momentos ansiosos é a psicoterapia.

É possível identificar gatilhos por conta própria ou com o terapeuta. Às vezes, podem os caminhos são óbvios, como o consumo excessivo de cafeína, álcool ou cigarro. Outras vezes, eles podem ser menos óbvios.

Eventualmente, problemas de longo prazo como dificuldades financeiras ou relacionadas ao trabalho podem levar algum tempo até serem descobertos.

Assim, podemos ser impactados por uma data de vencimento, uma pessoa ou a situação e não percebermos. Isso pode exigir algum apoio extra, por meio da terapia, ou com amigos e mentores.

Quando você descobrir seu ou seus gatilhos, tente limitar sua exposição, se puder. Entretanto, se você não consegue ou não pode reduzir o contato, como no caso de um ambiente de trabalho estressante, que não pode ser alterado no momento, o uso de outras técnicas de enfrentamento pode ajudar.

O que caracteriza o transtorno de ansiedade?

Os transtornos de ansiedade se diferenciam do medo ou da ansiedade normais, adaptativos,  por serem excessivos ou persistirem além de períodos apropriados ao nível de desenvolvimento.

Assim, eles diferem do medo ou da ansiedade provisórios, com frequência induzidos por estresse, por serem persistentes.

Quais são os Sintomas de ansiedade?

Veja quais são principais sintomas que podem estar relacionados a transtornos de ansiedade, e merecem atenção:

  1. Enxergar perigo em tudo;
  2. Apetite desregulado;
  3. Alterações de sono;
  4. Tensão Muscular;
  5. Medo de falar em público;
  6. Preocupações em excesso;
  7. Ficar sempre próximo de ataques de nervos;
  8. Medos irracionais;
  9. Inquietação constante;
  10. Sintomas físicos;
  11. Pensamentos obsessivos;
  12. Perfeccionismo;
  13. Problemas digestivos.

Veja mais detalhes sobre cada um deles abaixo!

1 – Enxergar perigo em tudo

Indivíduos com transtornos de ansiedade em geral superestimam o perigo nas situações que temem ou evitam. Da mesma maneira, o medo ou a ansiedade são excessivos ou fora de proporção.

Você já conheceu alguma pessoa que não viaja de avião por que tem medo de acidente aéreo? Está sempre pensando que o avião vai cair? Já imagina inclusive a cena de luto?

Outro exemplo é alguém que passa por um procedimento ou exame médico simples e teme ter uma doença grave ou ficar incapacitado após o exame. Em casos mais extremos chega até a cogitar a possibilidade de morrer no procedimento.

2 – Apetite desregulado

Não faltam casos de pessoas que encontram na comida uma solução para seus problemas emocionais. Isto é, ao menor sinal de preocupação você recorre ao brigadeiro, a um docinho ou qualquer outro alimento para aliviar a tensão.

Em geral, mastigam pouco o alimento e ingerem grande quantidade de comida em pouco tempo.

Comer indiscriminadamente, sem fome, por ansiedade, estresse ou outra emoção negativa é um sinal de alerta. E cuidado! Esta atitude também pode desencadear uma compulsão alimentar

3 – Alterações de sono

Sentem dificuldade para dormir ou apresentam episódios de insônia em vésperas de reuniões importantes e eventos. Não conseguem se desligar do que fizeram ao longo do dia no trabalho e passam a noite processando o que farão no dia seguinte.

Algumas vezes chegam a sonhar e despertar pensando em soluções possíveis para determinada questão.

4 – Tensão muscular

É comum sofrer com dores nas costas, ombros e nuca. Os músculos do pescoço ficam travados e a dor é tanta que mal dá para virar de lado.

Essa tensão muscular, quase constante, geralmente acompanha os transtornos de ansiedade. Quanto maior a preocupação e o desânimo, maior a possibilidade de transferir as tensões para a região cervical. 

5 – Medo de falar em público

Somente ao pensar na necessidade de realizar uma apresentação para uma plateia sinais como sudorese excessiva, mãos geladas, taquicardia, falta de ar e respiração ofegante aparecem.

Esse medo pode estar relacionado às preocupações com o ego, receio de julgamento e a apreensão, o que aumenta a ansiedade.

6 – Preocupações em excesso

Estão sempre preocupados com o futuro. Ainda mais em épocas de crise econômica, é comum ver pessoas pensando na manutenção do emprego.

A preocupação excessiva é uma fonte direta de dores de cabeça, úlceras, ansiedade e stress, podendo inclusive afetar o sistema imunológico.

Além disso, essa angústia e o volume de detalhes para pensar afeta muito a atenção da pessoa com ansiedade, o que faz com que seja difícil se focar.

Assim, ela perde eficiência em suas atividades diárias, e isso amplia as preocupações, tornando tudo um ciclo que pode gerar desespero e outros problemas.

7 – Ficar sempre próximo um ataque de nervos

Pessoas que estão a ponto de entrar em um ataque de nervos, podem passar da euforia ao pranto rapidamente.  Sintomas como irritabilidade e mudanças de humor repentinas, sem explicação aparente, surgem em momentos de maior pressão e estresse.

8 – Medos irracionais

Medos de estar perdendo alguma coisa, de não ser bom o suficiente, medo do fracasso, pânico de ficar sozinho ou de não ser aceito também perseguem pessoas ansiosas.

Campeões de autocrítica, são os primeiros a não se sentir capazes o suficiente para concluir uma determinada atividade. O excesso de medo pode comprometer a segurança nas relações pessoais, seja no trabalho ou na família.

9 – Inquietação constante

Dificuldade de concentração, inquietação e fadiga. O indivíduo apresenta uma angústia intensa, não consegue ficar quieto, caminha de um lado para o outro, desespera-se.

Fatores que geram grande desconforto ao atrapalhar a conclusão de uma tarefa, além de afetar a qualidade de vida da própria pessoa e também de quem está ao seu lado.

10 – Sinais físicos

Nos momentos de ansiedade, podem surgir sintomas físicos que vão além das dores musculares:

  • tremores;
  • cansaço
  • sensação de falta de ar ou asfixia;
  • coração acelerado;
  • suor excessivo;
  • mãos frias e suadas;
  • boca seca, tontura;
  • náuseas;
  • diarreia;
  • desconforto abdominal;
  • ondas de calor;
  • calafrios;
  • micção frequente;
  • dificuldade para engolir;
  • sensação de engasgo.

11 – Pensamentos obsessivos

O pensamento obsessivo é uma incapacidade de ganhar controle sobre pensamentos e imagens, angustiantes e recorrentes. Estudos de imagem cerebral indicam que está associado a uma disfunção neurológica de causa desconhecida que força os pensamentos em ciclos repetitivos.

Dessa forma, o pensamento obsessivo também pode estar associado a transtornos do humor, incluindo distimia, depressão e transtorno bipolar. É também o sintoma definidor de Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC), Transtorno de Pânico e muitas outras condições psicológicas.

12 – Perfeccionismo

O perfeccionismo caracteriza-se pela insistência em estabelecer padrões altos e pela busca incessante em alcançá-los.

De fato, os perfeccionistas muitas vezes têm alto desempenho – mas o preço desse sucesso pode ser a infelicidade e insatisfação crônicas. O perfeccionismo excessivo pode estar fortemente ligado ao medo de errar e a comportamentos de autossabotagem, como a procrastinação.

Desse modo, como a perfeição é algo praticamente impossível de se atingir, pessoas perfeccionistas acabam sofrendo com a ansiedade por não conseguir atingir o objetivo estabelecido.

13 – Problemas digestivos

Um sistema muito afetado pelo estresse e ansiedade é o gastrointestinal. Dores, má digestão, mal-estar no abdômen, diarreia e azia são alguns dos sinais.

Consequentemente, ansiedade excessiva e estresse agudo podem alterar as funções gastrointestinais por meio do sistema nervoso.

Como consequência dessas alterações podem surgir úlceras, gastrites, doenças inflamatórias, refluxo gastroesofágico e síndrome do intestino irritável.

Estratégias para controlar a ansiedade

Controlar a ansiedade é um desafio, mas existem estratégias, recursos e até mesmo mudanças que você pode fazer em seu dia a dia que vão auxiliar com isso!

Separamos alguns abaixo. Veja:

Sessões de Psicoterapia

A Psicoterapia é um processo que pode ajudar, e muito, os indivíduos que sofrem com ansiedade. É um tratamento colaborativo baseado na relação entre um indivíduo e um psicólogo.

Baseado em diálogo, ele fornece um ambiente de apoio que permite falar abertamente com alguém que é objetivo, neutro e sem julgamento.

Você e seu psicólogo trabalharão juntos para identificar e mudar os padrões de pensamento e comportamento que o impedem de sentir o seu melhor, aumentando o autoconhecimento e a resiliência.

Uma das abordagens bastante eficientes no tratamento de quadros ansiosos é a Terapia Cognitivo Comportamental, que tem uma atuação bastante focal e direta.

Praticar atividade física

Reserve um tempo para uma caminhada, corrida ou qualquer atividade física que te proporcione prazer.

Atividade física realizada de forma regular ajuda a fortalecer o sistema imunológico, prevenir doenças cardiovasculares e obesidade. Igualmente, ela aumenta o bem-estar, a disposição para atividades do dia a dia e a produtividade no trabalho.

Também diminui a insônia e melhora a saúde mental, prevenindo a depressão. Entretanto, se você é do tipo competitivo, estabeleça uma meta, como por exemplo correr uma prova de 5 ou 10 km. 

Como resultado, a prática frequente de atividade física regula o sono, pois a prática de exercícios libera endorfina, que proporciona bem-estar e diminui a ansiedade e o estresse.

Praticar meditação

Neurocientistas já comprovaram que a prática de meditação contribui para aumentar a região do córtex pré-frontal esquerdo, região responsável pelo sentimento de felicidade.

Assim, cinco minutos diários para observar a respiração já são eficientes para o começo. Se possível estimule sua equipe a meditar também, os ganhos serão enormes.

Mindfulness é uma das intervenções mais eficientes para reduzir o estresse e o sistema imunológico. Eu gosto bastante e uso o Headspace.

Inclusive, descobri recentemente o app da Vivo Meditação, já em português. Quem sabe você não começa a meditar hoje mesmo?

Ouvir música

A música ajuda relaxar, extravasar, expressar, dançar, celebrar, interiorizar, descansar… Ainda mais no Brasil, onde a narrativa social e o cotidiano são musicais.

Ela é um elemento terapêutico por excelência. É algo medicinal e sem contra-indicações. Quando foi a última vez que você curtiu sua música preferida?

Manter uma alimentação saudável

Um cérebro saudável é a primeira linha de defesa contra a ansiedade, depressão e outros transtornos do humor.

De fato, algumas vitaminas são necessárias para a formação de neurotransmissores que estimulam o bom humor, enquanto outras fornecem energia para células cerebrais ou as protegem de danos. Assim como os nossos órgãos, o nosso cérebro precisa de certas vitaminas para funcionar normalmente.

Todos passamos por momentos de ansiedade e stress. Se forem muito frequentes ou muito intensos, podem indicar a necessidade de auxílio de profissionais especializados.

Na Vittude, contamos com profissionais de diversas especialidades para você começar a investir em seu autodesenvolvimento e viver com muito mais harmonia e tranquilidade. Busque agora mesmo!

Fontes:
Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais 5.ª edição (2013)

Site: www.health.com

Precisa de apoio psicológico? Use nossa ferramenta de agendamento e encontre o psicólogo ideal em qualquer hora e lugar.

Outros textos que podem te interessar

Ansiedade Generalizada: tudo que você precisa saber sobre esse distúrbio

Ansiedade no trabalho: como o transtorno interfere na vida profissional

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta

View Comments

  • oi, eu jogo vôlei de vez enquanto eu fico mto nervoso e acaba que eu erro numa coisa que eu sei fazer, nessas horas eu fico ofegante soou muito e meu coração bate mto rapido e nas outras atividades que eu vou fazer depois dessa eu nao consigo prestar atençao e acaba que e me sinto um bosta e fico pensando no que rolou o dia in-te-i-ro e fico com muita paranoia sobre isso, nisso eu começo a comer muito e fico vendo series pra me distrair. e bom, se isso so rolasse no volei mais e em quase qualquer coisa que eu nao fico confortavel e eu odeio mto isso msm eu so queria ser determinado, nao tivesse vergonha de mim tbm, ou com medo das minhas ações prejudicarem alguem. /desculpa se tiver palavras erradas mas eu estou escrevendo num laptop mto ruim kkk/

  • Oi, Me chamo Kelvin Moraes, sabe, venho sofrendo de uma condição muito infeliz , quando saio para fazer alguma coisa fico nervoso demais meus passos travam e meu andar fica "paralisado", eu nunca fui em psicólogo(a)
    nenhum, preciso muito de ajuda, isso tá só piorando já não consigo ir pra igreja e não consigo dominar meus pensamentos, quando o faço parece que tem um peso nas minhas costas, já não tenho muito amigos e estou sofrendo na minha vida pessoal, Tenho muito medo de julgamento e que me constranjam, quando ando faço um esforço muito grande pois me sinto todo travado ..

  • Existe um site que se chama CEPFAM - Centro de Estudos e Psicoterapia para Fobia, Ansiedade e Medo (www.cepfam.com.br). Tem muito material de graça sobre ansiedade, e eles sugerem vários tipos de psicoterapia também, especialmente para quem está passando por isso.

  • Oi, tenho 16 anos, e estou passando por uns problemas familiares, em Janeiro perdi meu pai e desde ai comecei a sentir tontura e um pouco enjoada, recentemente vim sentido dores de cabeça, e as vezes vem um aceleramento no coração. Tive também uma paralisia do sono. Me sinto cansada, e me encontro muitas vezes sem apetite, não paro de pensar em coisas negativas, tenho medo da morte e de ter alguma doença. Acho também que a pandemia não vem colaborando com isso, já que fico o dia inteiro em casa. As vezes sinto que estou perto de ter um ataque nervoso. Eu gostaria muito de saber se isso tem haver com ansiedade para tirar minha duvida. Comecei acompanhamento com a psicóloga esse ano após a perda do meu pai. Faz tempo que não me sinto 100% bem, e só quero que tudo isso passe logo. Espero que todos que estão em busca de ajuda não se sintam sozinhos e que se recuperem logo.

  • Olá, tenho 17 anos. Tenho muitos sintomas em comum com os que foi listado no blog. Venho sofrendo com ansiedade desde que minhas aulas online se iniciaram. Todos os dias eu acordo com uma angústia no peito e agonia na barriga com pensamentos obsessivos na minha mente. Estou no 3° Ano, meu ultimo ano escolar. Eu não escolhi minha profissão e vou fazer Enem sem estudar. Já chorei muito, não sei o que fazer para me acalmar. Minha alimentação está péssima, sinto minha garganta pressa, tenho mudanças de humor constantes, e dor de barriga constante todos os dias, não consigo me concentrar em mais nada e fica com esses pensamentos até a hora de dormir. Não consigo estudar, não consigo fazer nada. As vezes tento assistir algo e me descontraio mas assim que acaba eu lembro e volta tudo de volta. Tenho gastrite e sempre piora muito quando fico assim, tenho ânsia de vomito constante, falta de ar e falta de apetite. Sempre que passa as dores fortes, eu fico com dor de cabeça e boca seca. Cada dia que se passa eu fico mais preocupada e realmente não sei o que fazer…

  • Realmente a ansiedade tira a qualidade de vida de muita gente. Eu sempre indico o terapeuta Tiago Quevedo que tem um método online próprio e bem acessível com dezenas e dezenas de depoimentos de pessoas ajudadas no Instagram @tiagocamposquevedo.

  • Bem eu fiquei com excessos de arrotos no dia 23 de junho de 2020 ou seja nesse ano, chorei muito, dps me acalmei achando que só ia ser hj, na madrugada, chorei de novo, e minha mãe me diagnosticou com Ansiedade, eu tava achando que era coisa boa, mas não, era ruim, dps fiquei com falta de ar, ânsia de vômito, náuseas, refluxo gastroesofágico, eu achava que era um problema de saúde, tomei remédios e nada serviu, foi um dinheiro jogado fora, tenho 11 anos e tive ansiedade na quarentena, eu vou ver se quando acabar o Corona Vírus eu ir voltar a andar muito pra ver se a minha ansiedade acaba, mas enquanto a quarentena e o Corona Vírus não acaba, fico andando pra lá e pra cá falando sozinha, ou ver a minha psicóloga resolve o meu problema, obrigada pela dica!

  • Tive duas crises em 15 dias. Senti uma falta de ar absurda, palpitação, braço esquerdo dormente, tontura, pressão baixa. Triste, viu?! Parecia um ataque do miocárdio. Fiquei no soro e no oxigênio. Eu ainda não sei como controlar. Não faço terapia. Tento me virar com a minha mente! Só que a gente nem sempre anda junto. Estou tomando calmante fitoterápico. Tá resolvendo, mas não posso ficar sem. Também não quero depender disso a vida toda. Como faz??

  • A matéria ajudou bastante, têm vezes que não é nada fácil entender o que está acontecendo com nós mesmos ou com alguém, nesse sentido tenho lido relatos sobre ansiedade e um que indico é o Ansiedade, quando a vida pede mudança (Adriano Benou) me fez pensar, ajudou muito.

Recent Posts

Como superar a morte de um pai?

Afinal, como superar a morte de um pai? Pode ser difícil lidar com o luto,…

2 dias ago

Como escolher um psicólogo? Dicas e critérios essenciais

Você sabe como escolher um psicólogo? Essa decisão pode ser difícil, mas é essencial para…

3 dias ago

Síndrome do Impostor: aprenda como superar a autossabotagem

A Síndrome do Impostor é algo comum, que pode impactar pessoas em relação ao trabalho,…

4 dias ago

Quais são os sintomas de crise de ansiedade e pânico?

Os sintomas de crise de ansiedade e pânico são similares, mas existem pequenas diferenças que…

2 semanas ago

A terapia EMDR é a melhor opção para traumas?

A terapia EMDR é uma abordagem que envolve uma reprogramação do cérebro, direcionada a trabalhar…

3 semanas ago

Como identificar e lidar com a Síndrome de Munchausen?

A Síndrome de Munchausen é um transtorno que pode ser tanto voltado para o indivíduo…

3 semanas ago

Já fez Terapia Online? 😉

Começar agora!