autoconhecimento

Autoconhecimento: chave para alta performance e sucesso pessoal

  |  Tempo de leitura: 10 minutos
Clique e encontre seu psicólogo !

Autoconhecimento é um termo usado na psicologia para descrever as informações que um indivíduo utiliza ao encontrar uma resposta para uma pergunta complexa: “Quem sou eu?”.

Conhecer a si mesmo é uma das habilidades mais importantes para o desenvolvimento e crescimento do indivíduo em todas as áreas de sua vida.

Saber lidar com situações e emoções diversas impactam diretamente na forma com que nos relacionamos com as pessoas e com o mundo ao nosso redor. Consequentemente, a forma com que lidamos com as pessoas e situações impactam na nossa sensação de bem-estar e felicidade.

Uma das principais características do autoconhecimento é que possibilita que o indivíduo se enxergue como ele realmente é, e não quem pensa ser. Em outras palavras, quer dizer que a pessoa tem clareza de sua personalidade, das suas atitudes e de suas emoções diante de situações e adversidades que são enfrentadas e vivenciadas em sua jornada.

Ter a consciência de quem é, e saber os pontos que precisa melhorar ou potencializar. Permite que o indivíduo desenvolva o seu máximo potencial e através de sua alta performance alcance o sucesso e realização pessoal.

O que é autoconhecimento?

Confira nesse artigo como o autoconhecimento pode abrir portas para uma autoanálise e reflexão de seus hábitos e propiciar que você viva o seu propósito e enxergue os caminhos que te levam à felicidade.

O autoconhecimento refere-se à consciência da sua essência como ser humano. Seus defeitos, suas qualidades, seus medos, suas limitações, seus talentos, suas crenças e inclinações. O que te faz feliz? O que te motiva ou que te desmotiva? O que te dá coragem, entre outras questões.

E além de fazer com que você tenha as respostas para essas e outras perguntas, o autoconhecimento permite guiar o indivíduo pelo seu desenvolvimento pessoal até o encontro da sua felicidade. 

Qual o objetivo do autoconhecimento?

O processo de autoconhecimento leva às pessoas a desenvolverem o seu potencial em busca do que lhe faz feliz. 

Conhecer aspectos importantes sobre sua individualidade ajuda a reforçar atitudes que o levem para mais próximo de sua autorrealização. É possível fazer mudanças necessárias e até mesmo eliminar atitudes que impeçam ou dificultem o seu desenvolvimento pessoal.

A descoberta de si mesmo se dá através de reflexões. Análise de seus pensamentos e ações! O autoconhecimento é capaz de provocar uma consciência e atitude de poder e controle sobre eles.

Durante o processo de autoconhecimento é possível identificar traços de sua personalidade. Reconhecer atitudes que te impedem de alcançar os seus objetivos. É possível fazer ajustes e melhorias para que você se torne uma pessoa melhor, independente da área que deseja se sentir satisfeito. Por fim, traçar estratégias para alcançar suas metas.

É através do autoconhecimento que é possível traçar metas e objetivos. Distinguir pessoas e situações que são positivas para a sua jornada e quais devem ser descartadas ou requerem um pouco de afastamento.

O autoconhecimento está diretamente ligado ao propósito de vida de uma pessoa. Sua missão no mundo, o que a faz feliz e se sentir plenamente realizada.

Quando você se conhece e sabe o que quer para a sua vida, fica mais fácil tomar atitudes e decisões que te levem a realizar o seu propósito.

Clique e encontre seu psicólogo !

Quais são as consequências de um baixo nível de autoconhecimento?

Pessoas que conhecem pouco a respeito de si mesmo podem se tornar incapazes de lidar com determinadas situações e pessoas. 

São pessoas com elevado nível de estresse e ansiedade e que não possuem discernimento para promover atitudes que façam bem a si mesmo e para as pessoas que a cercam.

Muitas vezes, podem acabar sendo conduzidas por regras impostas pela sociedade, sem levar em conta ou seus sentimento, desejos e aspirações, levando à frustração.

Portanto, o autoconhecimento passa a ser uma habilidade que promove saúde mental ao indivíduo.

Como promover o autoconhecimento?

Se conhecer exige a prática constante de análises e reflexões sobre suas atitudes, pensamentos e comportamento com as pessoas e situações diversas.

Especialistas e estudiosos do assunto sugerem que sejam feitas anotações em uma espécie de diário. Escrever seus pensamentos e emoções ajuda a fixar em sua mente o que está sentindo e permite posterior análise de sua evolução. 

Esse processo requer que o indivíduo seja muito sincero e honesto nas respostas. É importante lembrar que as respostas devem ser dadas de acordo com o que a pessoa é ou sente de verdade, e não como pensa que é ou gostaria que fosse.

Na verdade, depois do autoconhecimento será possível fazer ajustes e melhorias para alcançar o indivíduo que gostaria de ser, mas sem mudar a sua essência. Ou seja, também é um processo de auto aceitação! A pessoa pode descobrir que determinadas atitudes são as que provocam a sua felicidade e mudá-las pode não ser uma opção interessante, desde que não traga prejuízos para si e para os outros.

Exercícios para o autoconhecimento

Promover o autoconhecimento requer responder, de forma sincera, questionamentos a respeito de si próprio e que te levem a refletir sobre suas respostas. Além de também ser necessário saber ouvir e interpretar sinais e feedbacks de terceiros.

Para dar início a esse processo, indicaremos exercícios que te farão refletir sobre si mesmo. 

Algumas perguntas podem ajudar nesse processo. Utilize um caderno ou diário e realize os exercícios a seguir, que te conduzirão pelo caminho do autoconhecimento. 

1 – Perguntas para reflexão

Fazer e responder perguntas sobre si mesmo permite estimular o autoconhecimento e te fazer refletir sobre suas atitudes, emoções e comportamento. Através das respostas também é possível mudar algumas atitudes em busca do seu desenvolvimento pessoal. Esses são alguns exemplos de perguntas para fazer a si mesmo:

  • Quais são os meus objetivos de curto prazo?
  • Quais são os meus objetivos de médio prazo?
  • Quais são os meus objetivos de longo prazo?
  • O que eu gosto de fazer e gostaria de fazer mais?
  • O que eu não gosto de fazer e gostaria de ter que fazer menos ou não fazer?
  • O que me faz bem?
  • O que me desagrada?
  • Como eu reajo em situações desafiadores e de estresse?
  • Do que eu tenho medo?
  • O que eu gosto e sinto orgulho em mim mesmo?
  • Que atitudes eu gostaria de eliminar dos meus hábitos?
  • Que tipo de lugares gosto e costumo frequentar?
  • Quais são meus hobbies?
  • Que hobbies eu gostaria de desenvolver?

Você vai perceber que a medida que responde essas perguntas, novas questões surgirão para provocar uma análise e permitir o seu autoconhecimento.

Diversos testes de personalidade disponíveis na internet também podem ser uma boa ferramenta para ajudar nesse processo. 

2 – Linha do tempo da vida

Essa ferramenta consiste em desenhar uma linha horizontal que representa a sua vida. Marque no centro da sua linha um ponto, que representa o momento atual em que você está.

Preencha o lado esquerdo do ponto com acontecimentos e situações importantes que te fizeram chegar ao ponto em que está. Esses acontecimentos são fatos que marcaram a sua vida: pode ser um relacionamento, um curso, uma situação vivenciada e que de alguma forma te marcou, pessoas que você conheceu e foram importantes e marcaram sua trajetória.

Passe um tempo refletindo em como essas situações te ajudaram a tornar que você é atualmente. Pense nos impactos positivos e negativos que causaram em sua vida.

Depois, você deve preencher o lado direito do ponto que representa o seu momento atual com situações que deseja vivenciar no futuro, são seus sonhos, o que você deseja. A partir desses desejos, dedique um tempo para traçar as estratégias necessárias para alcançar suas metas e objetivos. 

Ao traçar essa metas e objetivos leve em consideração os seus gostos pessoais. Avalie os seus dons e talentos, o que você precisa e quer desenvolver. Preocupe-se em colocar ações que te transmitam boas sensações e felicidade.

3 – Peça Feedback 

Saber as percepções que as pessoas têm sobre você é uma boa maneira de identificar pontos de melhoria e seus pontos fortes. Não confunda aceitar feedback de terceiro como uma demonstração de falta de personalidade. Saber ouvir opiniões de outras pessoas também é um ponto importante para o processo de autoconhecimento. 

Não ignore as críticas e os elogios a seu respeito. Em vez disso, faça uma autoanálise que lhe permita enxergar verdadeiramente como você se comporta em determinadas situações.

Anote as respostas e o feedback que receber e dedique um tempo para refletir sobre as palavras que recebeu. Procure se avaliar a partir dessas anotações e retome após certo tempo para verificar suas atitudes a partir delas. 

Um bom feedback é composto por pontos que você precisa ouvir, e não necessariamente o que gostaria de ouvir. Nesse sentido, é importante que a pessoa escolhida não seja complacente com você e que seja sincera em suas palavras. Diga que você está em um processo de autoconhecimento e quer respostas verdadeiras. Que que não se importa se algumas delas poderão te chatear, pois saberá entender que são em razão de um bem maior: o seu autoconhecimento.

Saiba que o autoconhecimento é um processo constante. Nós, seres humanos, mudamos e evoluímos constantemente, e isso impacta diretamente nos seus caminhos e decisões em busca da felicidade. Por isso, sempre realize uma autoanálise reflexiva para tirar o maior proveito do seu autoconhecimento e estimular o seu desenvolvimento pessoal.

4 – Faça terapia

A Psicoterapia é um dos melhores investimentos que uma pessoa pode fazer para obter autoconhecimento! Digo isso, por experiência própria. No momento em que escrevo esse artigo, já se vão mais de 7 anos de terapia e análise. Troquei de psicólogo em alguns momentos, para explorar novas abordagens terapêuticas como a Terapia Cognitivo Comportamental, a Psicanálise e a Gestalt. Atualmente faço terapia online com a Juliana Florêncio, na abordagem Junguiana, que utiliza o conteúdo dos nossos sonhos como base para as reflexões.

Um bom processo de análise ou de psicoterapia ajuda a melhorar a tomada de decisões. Transforma atitudes inconscientes em conscientes, contribui para o desenvolvimento da empatia e nos deixa mais assertivos. Não há contraindicações. Terapia é algo que todo mundo deveria fazer, sem sombra de dúvidas. Nem sempre é fácil olhar para si e encarar nossos fantasmas. No entanto, quando a gente passa a se conhecer, também passamos a ser mais leves e felizes.

Faço terapia há anos! Se tem uma coisa que me ajuda é aquela uma horinha semanal com a minha psicóloga. Todos nós temos pontos cegos. Nem sempre conseguimos ver as coisas com clareza e, infelizmente, nem todo mundo sabe nos dar feedbacks assertivos. Às vezes pisamos na bola e ninguém vira e fala “você errou”.

Um olhar imparcial

Um psicólogo, ao contrário, é um profissional neutro. Ele está ali sendo pago e está 100% à sua disposição para ajudar o sujeito a se ver e se conhecer. Inteligência emocional e autoconhecimento exigem horas e horas de prática, de fala, de escuta e de reflexão. A capacidade de se manter flexível e com a mente aberta em tempos incertos não é apenas uma coisa de personalidade. Também depende do que você faz. Se ainda não experimentou, recomendo que avalie essa opção.

Portanto, se você deseja ter sucesso, alcançar um cargo de liderança, empreender ou estar à frente de uma organização de muito sucesso, cuide bem de uma das peças principais da sua empresa: você!

Clique e encontre seu psicólogo !

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade.