como dar feedback

Como dar feedback dentro das empresas? 9 superdicas!

  |  Tempo de leitura: 12 minutos

O feedback é uma ferramenta valiosa dentro das empresas, pois tem o poder de reconhecer e motivar os funcionários. Mesmo assim, sabia que ainda não são todas as organizações que sabem como dar feedback? Isso quer dizer que elas deixam de investir em formatos de avaliação periódicos e consistentes.

Muitas pessoas confundem feedback com elogios ou críticas, no entanto, ele vai muito além disso. É um momento de análise de desempenho, reconhecimento de conquistas e avaliação de pontos fortes e a desenvolver.

Para ser eficaz, deve ser realizado com seriedade, caso contrário, não tem efeito nenhum no dia a dia e na evolução dos profissionais.

Se ainda restarem dúvidas sobre a importância do feedback, saiba que segundo uma pesquisa de Harvard, esta é uma das melhores maneiras de incentivar a evolução do desempenho dos colaboradores.

Neste artigo, você poderá conferir algumas dicas importantes sobre como dar feedback, além da importância e benefícios desta ferramenta no dia a dia de uma empresa.

Continue a leitura para ter acesso a todas as informações que podem fazer a diferença na sua organização!

Como dar feedback? 9 dicas para ajudar neste processo!

Antes de tudo, vamos explicar de uma forma bem didática o que é feedback para que não haja nenhuma dúvida sobre o conceito.

Entenda que o feedback é uma avaliação, ou seja, um processo pelo qual um profissional passa para receber uma análise sobre o seu desempenho nas tarefas que executa.

É recomendado que as empresas possuam com momentos formais de feedback, as chamadas “avaliações de desempenho”, no entanto, nada impede que também haja alguns feedbacks informais quando necessários.

Basicamente, é importante ter em mente que um bom feedback permite que cada profissional se aprofunde em seus pontos fortes e a desenvolver a partir da visão dos outros sobre o seu trabalho.

É, portanto, essencial para o desenvolvimento em âmbito profissional, principalmente no que diz respeito ao futuro. Afinal, um bom feedback hoje resulta em uma pessoa melhor preparada para a sua função mais para frente.

Agora, no que diz respeito a como dar feedback, é importante ressaltar que muitas vezes a ferramenta é ineficaz porque as empresas não treinam os seus gestores adequadamente para este momento.

Vamos conferir algumas dicas que podem ajuda nessa situação que, para alguns, pode ser bem desconfortável no início, mas que com o tempo acaba se tornando parte da rotina.

1. Prepare-se com antecedência

Quando você se perguntar sobre como dar feedback, se lembre de que a primeira regra é se preparar com antecedência.

Um erro que pode arruinar o processo é não fazer uma análise prévia do profissional que receberá a avaliação, ou seja, ter clareza sobre os seus pontos fortes e a desenvolver.

Além disso, o feedback também é o momento para falar sobre comportamentos inadequados e erros que não deve se repetir.

Para chegar preparado, com um discurso consistente e embasado, é preciso parar algumas horinhas do seu dia para fazer a análise necessária e estudar como a mensagem será transmitida ao receptor.

Nada de fazer feedback no improviso, até porque você precisará estar pronto para enfrentar possíveis objeções que possam ocorrer durante a conversa. A melhor maneira de fazer isso é estudando bem a argumentação de cada ponto a ser discutido.

2. Comece criando um clima favorável

Não inicie a conversa do feedback falando logo de cara toda a avaliação da pessoa. Tente começar o papo quebrando o gelo e introduzindo temas que não necessariamente tem relação com a avaliação.

Há grandes chances de ambos estarem nervosos, por isso essa introdução sobre outros assuntos pode ser uma boa estratégia para diminuir um pouco a tensão.

3. Faça um resumo de tudo o que vai ser falado

Outra dica útil quando o assunto é como dar feedback se trata de fazer um pequeno briefing inicial reforçando todos os pontos pelos quais vocês passarão ao longo da conversa. Tudo isso antes de começar a avaliação em si.

Além de diminuir a ansiedade, essa técnica ajuda a colocar todos na mesma página, alinhando as expectativas.

4. Não seja agressivo ao falar de pontos fracos

É importante tomar cuidado, principalmente nos momentos em que é necessário falar sobre os pontos fracos do outro.

Cada um pode reagir de uma forma, ou seja, é preciso estar preparado para lidar com a situação.

O mais importante nessas horas é ser sincero e ter uma narrativa embasada, por meio de argumentos honestos. A melhor forma de fazer o outro entender o que precisa desenvolver é levantando exemplos reais que o façam compreender como pode melhorar.

Além disso, em momento algum seja grosseiro, pois isso só vai elevar os ânimos e fazer com que a pessoa se sinta ofendida.

A linguagem deve ser sempre clara, calma e sutil, destacando que é normal ter o que melhorar e que todos estão prontos para ajudar no desenvolvimento do profissional em questão.

5. Comece destacando os pontos fortes

Uma técnica muito utilizada é começar a conversa destacando os pontos fortes do colaborador.

Essa é a hora de falar sobre os momentos que o profissional teve um desempenho acima do esperado, quais são suas melhores habilidades e como tudo isso contribuiu para a empresa.

Ao iniciar o feedback dessa forma você estará criando um ambiente favorável para, posteriormente, falar sobre os pontos a desenvolver sem que a pessoa sinta que não teve nenhum reconhecimento.

6. Evite comparação com colegas

Uma dica importante é evitar, ao longo da conversa, fazer comparações com outros colegas, pois este tipo de atitude pode acabar gerando inveja ou um clima de competição.

É recomendado avaliar cada pessoa apenas a partir do seu próprio desempenho e comportamento, pois dessa forma não são gerados atritos desnecessários ou acusações de que o gestor tem “um preferido”.

7. Utilize exemplos reais

Sempre que possível, procure utilizar exemplos reais para abordar tanto os pontos fortes como os pontos a desenvolver.

Isso é importante porque, dessa forma, o profissional tem um entendimento mais claro sobre tudo o que está sendo discutido, pois a conversa passa a ser pautada em casos concretos.

8. Seja empático

Nessas horas é muito importante ser empático, ou seja, ser capaz de se colocar no lugar do outro.

O feedback é um momento que sempre acaba ativando mecanismos de defesa do ser humano, portanto, como gestor você precisará estar pronto para se colocar no lugar do outro e tentar imaginar como é receber aquela mensagem.

Para isso, é necessário ter uma escuta ativa e ser capaz de refletir sobre os pontos levantados sobre a pessoa que recebe o feedback. A dica é não rebater de imediato caso haja muita resistência e sim demonstrar compreensão e voltar ao assunto em outro momento.

9. Construa um plano de ação em conjunto

Para finalizar, vale ressaltar que cada empresa deve ter o seu modelo de avaliação de desempenho, mas é sempre importante terminar com um plano de ação.

Isso quer dizer que de nada adianta um feedback consistente e estruturado se, no final, nada é feito com as informações levantadas.

O plano de ação existe para que líder e liderado possam, juntos, traçar ações que têm como objetivo ajudar o profissional a melhor os seus pontos a desenvolver e reforçar os seus pontos fortes.

Existem vários modelos de planos de ações, mas em todos os casos costuma ser importante traçar objetivos e, é claro, ações para alcançá-los.

Quais são as vantagens de uma cultura de feedback?

Aprender como dar feedback é benéfico para a empresa inteira, pois quando os funcionários são reconhecidos e tem certeza de que a organização se preocupa com o desenvolvimento de todos, eles se sentem mais satisfeitos.

Se a sua empresa ainda não implementa uma cultura de feedback, vamos listar algumas das principais vantagens dessa ferramenta que não podem ficar de fora do seu radar.

1. Aumenta níveis de satisfação e motivação

Como é ruim trabalhar em um lugar em que você se sente invisível, não é mesmo? A cultura de feedback é uma das maneiras de eliminar este sentimento.

Ao estabelecer um processo de avaliação periódico, os colaboradores passam a se sentir reconhecidos na empresa, pois entendem que os gestores estão preocupados com o desenvolvimento do time.

O reconhecimento dos pontos fortes e das conquistas é uma dose de motivação para continuar crescendo e se desenvolvendo no dia a dia, afinal, todo mundo gosta de receber um elogio por algo que foi bem feito.

Por outro lado, funcionários desmotivados e com baixo desempenho muitas vezes só precisam de um suporte e um olhar mais atento para elevarem os níveis de produtividade.

Além disso, o feedback é um momento de abertura, em que ambos os lados podem falar sobre como se sentem e o que gostariam que fosse melhorado no ambiente de trabalho. Isso pode ser muito benéfico para quem, por exemplo, tem vergonha ou medo de se expor.

2. Ajuda no autoconhecimento

O feedback é uma ferramenta de aprendizado sobre si mesmo, pois quando ouvimos as percepções dos outros sobre nós, paramos para refletir sobre quem somos e o que fazemos.

No ambiente de trabalho não é diferente, mas para que o processo de autoconhecimento aconteça é preciso estar aberto para receber tanto críticas quanto elogios. Caso a pessoa fique apenas em uma postura defensiva, dificilmente irá repensar seus comportamentos e falhas.

Um feedback bem estruturado e consistente é capaz de atuar como uma grande lição de autoconhecimento, portanto, o melhor que se pode fazer é aproveitar.

3. Clareza do plano de desenvolvimento

Visto que todo feedback deve ser seguido por um plano de ação, outra vantagem desta ferramenta é como ela ajuda no plano de desenvolvimento dos colaboradores.

Ao ter clareza dos seus pontos fortes e fracos e do que é preciso desenvolver para atingir os seus objetivos, você consegue traçar ações mais eficazes para ser promovido, concluir um projeto ou bater uma meta.

4. Diminui o turnover

Quando uma cultura de feedback é implementada adequadamente em uma empresa, fica mais fácil detectar quando um colaborador está insatisfeito com o dia a dia de trabalho. Portanto, a tendência é que os índices de turnover diminuam.

Além disso, o próprio processo de feedback já tem como benefício elevar a satisfação e a motivação dos funcionários, o que também é vantajoso para o bem-estar de todos naquele ambiente.

Qual é o papel das empresas na implementação da cultura de feedback?

As empresas têm uma enorme responsabilidade quando o assunto é implementar uma cultura e ensinar seus funcionários como dar feedback.

Existem várias ações que podem ser aplicadas no dia a dia e o mais importante é realmente introduzir a avaliação de desempenho periódica na rotina dos colaboradores.

Existem, no entanto, algumas ações específicas que podem ajudar nessa missão tão importante.

Vamos conferir?

1. Fornecer orientações gerais para os colaboradores

Não adianta nada existir um processo formal de feedback na empresa se os colaboradores não entendem como funciona e qual será o passo a passo.

A primeira coisa que a organização deve fazer é dar orientações claras e honestas sobre como acontecerão os momentos de feedback e qual é o papel de cada um.

Além disso, é super válido também dar algumas dicas sobre como dar e receber um feedback, instruindo as pessoas sobre as boas práticas e o que evitar.

2. Fornecer treinamentos para as lideranças

Outro ponto a ser levado em consideração é a necessidade de treinamentos específicos para as lideranças, afinal, ninguém nasce sabendo como dar feedback, não é mesmo?

Para que todos se sintam aptos para vivenciar este momento, é importante que as lideranças sejam informadas, treinadas e possam tirar possíveis dúvidas com quem entende melhor do assunto (no caso, a área de Recursos Humanos).

Todo esse preparo é essencial para que os feedbacks sejam estruturados com embasamento e tenham consistência, ou seja, para que sejam eficazes e úteis.

3. Fornecer terapia como um benefício

O processo de dar e receber feedback não é fácil para muita gente, pois exige interação olho no olho.

Habilidades interpessoais, empatia e ser capaz de receber críticas – tudo isso é essencial para se criar um ambiente adequado para o momento do feedback.

A boa notícia é que tudo isso pode ser desenvolvido por meio de terapia. Isso mesmo! A terapia pode ajudar (e muito) os seus funcionários em  momentos tão importantes como esse.

As empresas, por sua vez, têm a possibilidade de oferecer a terapia como um benefício corporativo, contribuindo para o desenvolvimento dos funcionários.

Com a ajuda de um profissional especializado, os colaboradores podem se preparar para o momento do feedback e também trabalhar todas as questões que forem levantadas na conversa.

E aí, gostou das dicas sobre como dar feedback? Se a sua empresa quer implementar esta cultura, então conte com o Vittude Corporate, o parceiro que pode te ajudar a oferecer a terapia como um benefício corporativo.

Se você ficou curioso e quer saber mais, clique aqui e converse com um de nossos especialistas!

Bruna Cosenza

Escritora, produtora de conteúdo e LinkedIn Top Voice 2019. Autora do romance "Lola & Benjamin", acredita que as palavras têm poder próprio e são capazes de transformar, inspirar e libertar. É apaixonada por comportamento humano e pela relação entre corpo e mente. Escreve porque considera o conteúdo uma das ferramentas mais poderosas que existem para provocar reflexões e derrubar barreiras.