como lidar com a ansiedade

Ansiedade tem cura? O que preciso saber para lidar com a minha

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

Considerado o “mal do século”, o transtorno de ansiedade tem deixado muitas pessoas com dúvidas sobre como lidar com a ansiedade no dia a dia. Isso porque, embora seja possível tratar o transtorno, é preciso conviver com ele por um longo período. Em alguns casos, ele persiste por toda a vida. 

A verdade é que a ansiedade está cada vez mais comum em nossa sociedade. Os relatos de experiências com o transtorno e com crises não param de crescer. Segundo o resultado do DASS-21, teste que mede os níveis de depressão, ansiedade e estresse disponível no site da Vittude, 86% dos respondentes têm algum transtorno mental.

Você, pessoa ansiosa, precisa aprender a conviver com a sua ansiedade de modo que ela não sabote a sua vida. É totalmente possível fazê-lo! As nossas dicas vão ajudá-lo a encontrar um caminho que funcione para você. 

Primeiro de tudo, ansiedade tem cura?

A ansiedade de caráter crônico, de origens genéticas, como o Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), não tem cura.  

O estado de ansiedade, pelo contrário, sim. Afinal, ele é passageiro e desempenha funções específicas em nosso organismo, sendo elas a cautela e a motivação para a ação. Assim que cumpre o seu papel, a ansiedade desaparece. 

Todavia, é possível conviver bem com a ansiedade crônica mediante tratamento, buscando corrigir excessos para evitar o sofrimento. Ao compreender os sintomas e como se manifestam, você é capaz de desenvolver estratégias para impedir que a ansiedade tome conta. Leia abaixo algumas informações básicas, porém necessárias para toda pessoa que precisa aprender como lidar com a ansiedade.  

#1 A ansiedade DEVE ser tratada

A ansiedade excessiva, em forma de transtorno, deve ser tratada para não desencadear outros transtornos mentais, como a depressão. Sem o acompanhamento psicológico, é mais difícil levar uma vida com qualidade. O tratamento mais adequado vai depender do seu quadro clínico, o qual só pode ser avaliado por um profissional. 

A ansiedade pode ser tratada através da terapia. Existem abordagens especializadas no tratamento do transtorno que visam reduzir os sintomas, devolver a tranquilidade para a vida do paciente e prevenir a evolução da ansiedade. Mesmo diante de melhorias, não é recomendado cessar o tratamento sem receber alta. 

Outras formas de tratamento são medicamentos (apenas com orientação de um psiquiatra), terapias alternativas e mudanças no estilo de vida

#2 Os sintomas se manifestam de forma diferente para cada pessoa

A ansiedade possui uma variedade de sintomas psicológicos (medo, apreensão, preocupação em excesso, insônia, irritabilidade, agitação, pensamentos descontrolados) e físicos (náusea, boca seca, dor de barriga, tremores, dor no peito, respiração ofegante, tensão muscular, enxaqueca, fadiga). 

A questão é que as pessoas os vivenciam de forma diferente. Para alguns, a manifestação pode envolver acessos de raiva e distúrbios do sono enquanto que, para outros, os sintomas podem ser totalmente físicos. Há, inclusive, pessoas que não se sentem nada apreensivas, mas manifestam sintomas.

Assim que você descobrir quais sintomas são mais comuns em seu cotidiano, você conseguirá controlá-los mais rapidamente com técnicas focadas no alívio da sua ansiedade. 

Para atingir este esclarecimento, basta prestar atenção em suas emoções e pensamentos ao longo do dia bem, principalmente em situações que costumam causar mais estresse.  

#3 Há diversos tipos de ansiedade

Existem algumas variações do transtorno de ansiedade. O surgimento deles depende da personalidade e da história de cada paciente. Há pessoas que são mais propensas a desenvolver determinado tipo de transtorno por conta de experiências passadas, traumas, pré-disposição genética ou apenas traços de personalidade que acabam, inconscientemente, alimentando alguns sintomas. 

Essas variações incluem o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT), o Transtorno Obsessivo-Compulsivo, a Agorafobia, a Fobia Social, a Síndrome do Pânico, entre outros. 

Mais uma vez, a terapia se faz necessária. Neste caso, para identificar possíveis sinais que apontam para o surgimento de um dos transtornos acima, ou para o tratamento dos mesmos. 

#4 Lidar com a ansiedade deve se tornar rotina 

Se você já se perguntou milhares de vezes ‘como lidar com a ansiedade’, é sinal de que precisa desenvolver estratégias e técnicas para minimizar os sintomas da sua, pois atualmente está enfrentando dificuldades para fazê-lo.   

O acompanhamento psicológico vai ajudá-lo a encontrar as melhores maneiras, conforme a sua personalidade e sua história, para controlar a ansiedade na vida diária. 

Porém, cuidar da saúde mental é uma tarefa rotineira. Se necessário, você deve estar aberto a fazer mudanças em seu modo de vida. Estas podem ser tanto o cultivo de laços de amizade mais saudáveis quanto à realização de exercícios físicos semanais. Embora elas possam ser difíceis a princípio, são para o seu próprio bem-estar. 

Ao cuidar de si mesmo dia após dia, você evita ou reduz a ocorrência de indesejáveis crises de ansiedade e consegue administrar os sintomas da ansiedade mais eficientemente, preparando-se com antecedência para situações que podem ser gatilhos

Como lidar com a ansiedade? 

Para ansiosos que desejam aprender a administrar a própria ansiedade, separamos seis dicas preciosas as quais podem ser incorporadas em seu estilo de vida com facilidade. 

Faça exercícios de respiração

A ansiedade comumente torna a respiração ofegante, mesmo que a pessoa ansiosa não esteja enfrentando uma crise. Nessas situações, o nervosismo tende a crescer e a qualidade dos pensamentos é comprometida, podendo até mesmo a causar grande pânico em que está vivenciando o sintoma. 

Os exercícios de respiração, quando praticados frequentemente, ajudam a recuperar a regularidade da mesma. Com o costume, seu corpo compreende que a primeira inspiração profunda é um sinal para se acalmar.  

Analise seus pensamentos com frequência

Pensamentos ruins ou catastróficos são efeitos colaterais comuns da ansiedade. Na verdade, a pessoa ansiosa passa muito tempo pensando, imaginando tragédias e eventos os quais estão longe de acontecer. 

Da mesma forma que cultivar pensamentos negativos se torna um hábito, alimentar pensamentos positivos também. Por que não se esforçar para ver o lado positivo e deixar a mentalidade negativista de lado? Se os pensamentos têm um papel tão essencial no transtorno de ansiedade, esta é uma atitude mais do que lógica, certo? 

Mantenha-se presente 

A ansiedade tem mania de roubar a presença das pessoas, levando-as para um futuro distante cheio de conflitos ou para lembranças desgostosas de acontecimentos passados. Essa característica é extremamente negativa, pois impede que você aproveite as situações boas do agora. 

Uma forma de focar no momento presente é praticando a gratidão. Por quê? Por meio desse eficaz remédio caseiro, você começa a enxergar os detalhes maravilhosos de sua vida os quais deixou passar em momentos de crise. O simples fato de você ter uma casa, acesso regular a alimentos ou estar respirando é motivo para agradecer.  

Compre um caderno bonitinho ou encontre um sem uso, mas pelo qual você tenha apreço, e faça listas diárias de razões para agradecer. Pode ser qualquer coisa contanto que você sinta aquele sentimento gostoso de paz após o exercício. 

Pratique meditação

A meditação possui centenas de benefícios para a saúde da mente (e do corpo também!). Além de ser um método a prova de erros para manter a sua presença no momento presente, também afasta pensamentos negativos e controla a ansiedade.

Com a mente livre de preocupações, você consegue enxergar a razão nos momentos em que a ansiedade tenta distorcer os fatos. A meditação também afeta o corpo fisicamente, favorecendo a proteção cardiovascular e o tratamento da hipertensão. 

Você pode aprender a meditar sozinho com o auxílio de vídeos ou áudios disponíveis na internet ou procurar aulas de meditação. Espaços de Yoga ou cursos de autoconhecimento são conhecidos por promover a prática. 

Com apenas cinco minutos de interiorização diários, você já sente uma diferença enorme! Dê preferências para as práticas no início da manhã para começar o dia com a mente centrada e bastante positividade.  

Movimente seu corpo regularmente

Os exercícios físicos são ótimos tratamentos complementares, mencionados no início deste artigo. Isso porque movimentar o corpo te deixa mais contente. Os hormônios liberados durante as atividades (endorfina, dopamina) contribuem para o aumento felicidade e da disposição.

A prática regular garante diversos benefícios para a saúde física, como promoção da circulação sanguínea, fortalecimento da atividade cardiovascular, redução dos sintomas físicos da ansiedade e elevação da autoestima.

Livre-se do estresse

Como assim “livre-se do estresse”? 

Esta não parece ser uma tarefa nada fácil, mas é possível reduzir os níveis de estresse resultantes do cotidiano corrido com uma solução simples: cuidando de si mesmo. 

Procure atividades de lazer que sejam prazerosas para você e reserve um momento da semana para colocá-las em prática. Fuja de relacionamentos interpessoais tóxicos que apenas roubam a sua vitalidade. 

Se escapar de uma situação estressante, como uma reunião de trabalho importante, não é uma escolha, prepare o seu emocional alguns dias antes para, quando chegar a hora, não se deixar abalar.

Se nem todas as suas perguntas sobre como lidar com a ansiedade foram respondidas, saiba que a Vittude está aqui para você! Conte com os nossos psicólogos para tratar a sua ansiedade e vivenciar a felicidade no cotidiano. Estamos mais do que preparados para ajudá-lo da forma como desejar. Comece a sua busca acessando este link.

Você também pode gostar:

Ansiedade e Pânico: Síntomas, Causas e Tratamentos

Além da preocupação: como os psicólogos ajudam em casos de ansiedade

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta