como se livrar do medo de se relacionar

Entenda como se livrar do medo de se relacionar

  |  Tempo de leitura: 7 minutos

Relacionamentos são complexos em todas as esferas e níveis. Seja no ambiente pessoal ou profissional, é sempre delicado e envolve muitos fatores. O mais complicado é quando, ao longo da vida, passamos por algumas situações que criam barreiras e nos colocam em uma posição de isolamento social. Quando isso acontece, é preciso aprender como se livrar do medo de se relacionar.

Temos medo de sofrer, de sermos enganados ou abandonados, no entanto, ao mesmo tempo em que criamos tais barreiras também estamos deixando de viver novas experiências ao lado das pessoas.

As pessoas são diferentes. São criadas de maneiras distintas e possuem valores e personalidades variadas. Esse simples fato já é capaz de gerar muitos conflitos, pois ao nos relacionarmos com alguém precisamos estar prontos para lidar com o outro, ou seja, para lidar com o diferente.

Como se livrar do medo de se relacionar: 7 dicas para colocar em prática

Se você deixar, o medo de se relacionar continuará crescendo e te impedirá de viver momentos muito especiais ao longo da sua vida. O caminho para se livrar desse fantasma não é fácil, mas com certeza compensa.

Com o objetivo de ajudar quem está passando por esse processo ou ainda faz ideia de como se livrar do medo de se relacionar, separamos algumas dicas essenciais para você começar a colocar em prática o quanto antes!

1. Autoconhecimento

O autoconhecimento sempre será uma das ferramentas mais poderosas para vencer os medos. Isso porque quando você passa a se conhecer melhor, consequentemente fica mais fácil compreender a causa dos seus sentimentos, controlá-los e buscar caminhos para superá-los.

Algumas dicas práticas para exercitar o autoconhecimento no seu dia a dia são: terapia, escrita, leitura, Yoga e meditação. No entanto, sinta-se livre para buscar atividades que façam mais sentido para você e ajudem ao longo dessa jornada profunda que não acontece do dia para a noite.

2. Trabalhe a sua autoestima

Tire o foco dos pensamentos negativos e crenças limitantes. Pare de se considerar inferior e pior do que as outras pessoas e não cultive a ideia de que não é uma boa companhia e não merece a atenção dos outros.

Faça uma lista de suas competências e qualidades, colocando-as acima de seus defeitos e pontos fracos. É claro que sempre temos o que melhorar, no entanto, não faça disso um poço de tristeza e lamentações.

Busque ser a melhor versão de si mesmo, tendo clareza de que possui pontos a serem melhorados, mas que eles não tiram o mérito de todas as suas conquistas e qualidades.

A partir do momento em que você aprender a se valorizar mais, as pessoas ao seu redor também enxergarão mais nitidamente as suas qualidades. Dessa forma, a vida ficará mais leve e você terá relacionamentos muito mais saudáveis.

3. Não projete frustrações do passado em pessoas do presente

Após viver uma frustração muito grande, é normal se fechar durante um período de luto. No entanto, após um tempo é preciso voltar a se abrir para o mundo e para as pessoas a sua volta.

Outra atitude muito comum é mesmo depois de bastante tempo, continuar projetando as mágoas do passado em novas pessoas que cruzam o seu caminho.

Basicamente se trata daquela mania de acreditar que só porque o ex-namorado te traiu, todos os próximos irão trair também. Esse tipo de mentalidade cria uma barreira perigosa, que irá impedi-lo de se relacionar com indivíduos que não tem nada a ver com os acontecimentos do seu passado.

O melhor que você pode fazer é utilizar as dores do passado como aprendizados para não cometer os mesmos erros e se aproximar de pessoas que hoje fazem mais sentido para a sua vida, agregando felicidade e bem-estar para o seu dia a dia.

4. Esteja pronto para se colocar em uma posição vulnerável

Relacionamentos de todos os tipos exigem que, em algum momento, você se coloque em uma posição de vulnerabilidade.

Isso significa que você precisa estar pronto para se abrir ao desconhecido e ter coragem de expor as suas fragilidades de maneira honesta.

Não, isso não quer dizer que você é uma pessoa fraca. É quando você é capaz de se relacionar com alguém sem medo de ser quem realmente é, com todas as suas imperfeições, que você se torna alguém mais forte.

Por mais que pareça assustador no início, não deixe o medo de ser vulnerável te impedir de criar laços genuínos com as pessoas.

5. Não deixe de se relacionar pelo medo da perda

Uma das razões que fazem as pessoas evitarem relacionamentos é o medo da perda. O caso é que, a partir do momento em que se cria uma relação com alguém, você precisa estar pronto para perder aquele alguém a qualquer momento.

Seja por opção do outro ou por circunstâncias fatais da vida. Não há garantias de que as pessoas com as quais nos relacionamos estarão para sempre ao nosso lado, mas o medo do abandono não pode te limitar a ponto de evitar que você se relacione.

6. Faça terapia

Se mesmo seguindo todas as dicas acima você não conseguir vencer o medo de se relacionar, procure ajuda profissional. A terapia é muito indicada para trabalhar o autoconhecimento, as emoções e aprender a lidar com diversas situações que afligem o seu dia a dia.

O acompanhamento de um psicólogo especializado em relacionamentos pode ser essencial para te auxiliar na condução de descoberta do processo de como se livrar do medo de se relacionar. Se você ainda não faz terapia, descubra possibilidades acessíveis por meio da Vittude. Clique aqui para saber mais e agendar a sua primeira sessão!

7. Desenvolva sua inteligência emocional

Ao desenvolver a sua inteligência emocional, você passará a ter maior reconhecimento e controle sobre as suas emoções. Além disso, também exercitará a empatia, aprenderá a se automotivar diante de frustrações e desenvolverá habilidades sociais.

Portanto, ao elevar a sua inteligência emocional, consequentemente você estará se desenvolvendo para superar os seus medos vinculados aos relacionamentos.

Entenda os gatilhos que podem provocar o medo de se relacionar

Para entender como se livrar do medo de se relacionar, antes de tudo é importante entender a causa raiz dos seus problemas. 

Existem vários motivos e situações que podem desencadear tal medo, mas listamos alguns exemplos mais comuns para que você possa começar a refletir sobre o assunto!

1. Decepções do passado

Vários tipos de decepções podem ocasionar no medo de se relacionar com as pessoas. As traições e mentiras são um exemplo muito comum, que com certeza são capazes de fazer com que você tenha medo de confiar novamente no outro.

Toda a frustração e tristeza causadas por atitudes que envolvem a mentira e a traição podem fazer com que você crie um bloqueio para que nunca mais tenha que vivenciar essas situações.

2. Medo de não ser aceito e dos sentimentos não serem correspondidos

Um relacionamento é feito de duas ou mais pessoas. Muita gente tem medo de não ser aceito e não ter os sentimentos correspondidos, gerando uma incerteza que impede que se relacionem pelo medo da rejeição. 

Sabe aquela história de que “o diferente não é aceito”? É bem sobre isso que estamos falando! Um ótimo exemplo para traduzirmos isso é o filme “Extraordinário”, que retrata a vida de Auggie Pullman, um garoto que nasceu com uma deformidade facial. Pense sobre a dificuldade desse menino em criar relacionamentos com as pessoas pelo medo de não ser aceito apenas por ser diferente.

3. Ansiedade 

A ansiedade também pode ser a causa raiz do seu problema de relacionamento com as pessoas. Quando se é muito ansioso, você tem dificuldade de viver o presente, sempre projetando pensamentos ruins e medos relacionados ao futuro, o que pode atrapalhar a vivência de uma relação saudável.

4. Traumas da infância

Os psicólogos são os melhores profissionais para te ajudar a lidar com traumas da infância. Isso porque boa parte dos problemas psicológicos que os adultos têm, como pode ser o caso do medo de se relacionar, são provenientes de sofrimentos da infância.

Para entender o que houve no passado e superar tais acontecimentos, é necessário o acompanhamento de um profissional por meio da terapia!

Se você ainda não conhece a Vittude, clique aqui e saiba como agendar a sua primeira sessão com um psicólogo!

Bruna Cosenza

Escritora, produtora de conteúdo e Linkedin Top Voice 2019. Autora do romance "Lola & Benjamin", acredita que as palavras têm poder próprio e são capazes de transformar, inspirar e libertar. É apaixonada por comportamento humano e pela relação entre corpo e mente. Escreve porque considera o conteúdo uma das ferramentas mais poderosas que existem para provocar reflexões e derrubar barreiras.