Como superar uma decepção amorosa e seguir a vida?

Como superar uma decepção amorosa e seguir a vida?

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

Uma decepção amorosa pode parecer o fim do mundo. Quando dedicamos tempo para construir um relacionamento, criamos expectativas, planos e sonhos ao lado da pessoa amada. Perder tudo isso é um grande choque, capaz de abalar o emocional e o psicológico de qualquer um. 

Para se livrar da dor, há quem recorra a comportamentos destrutivos, como vícios e compulsões. O medo de se apaixonar novamente também pode surgir no processo de recuperação da decepção, atrapalhando futuros relacionamentos. 

Embora essas atitudes sejam mecanismos de defesa para tentar se proteger de mais sofrimento, elas acabam tendo o efeito contrário a longo prazo. 

Por que nos decepcionamos com nossos relacionamentos?

A decepção amorosa pode acontecer por uma variedade de razões, sendo que algumas têm raízes nos primeiros estágios do relacionamento. A pessoa que constrói expectativas demais desde os primeiros encontros, por exemplo, se desaponta mais facilmente. 

Até certo ponto, todas as pessoas idealizam o parceiro e o futuro ao lado dele ou dela. É difícil fugir dessas fantasias quando se está apaixonado. 

Todavia, é preciso ajustar as expectativas com a realidade do relacionamento. Quem começou a namorar recentemente tende a não querer pensar em um futuro distante e elaborado, por exemplo.

Também é indispensável levar os desejos do parceiro em consideração para não acabar se enganando. Ele pode ter objetivos e expectativas totalmente diferentes. Por isso, conversar sobre as intenções de cada cônjuge à medida que o relacionamento avança é essencial para manter a harmonia entre o casal. 

“Discutir a relação” pode parecer chato. Existe uma conotação negativa em relação a essa conversa porque geralmente acompanha momentos desconfortáveis e exigências dos parceiros. No entanto, é possível conversar tranquilamente com o parceiro sem esbarrar em obstáculos quando não se espera ouvir determinada resposta. 

É melhor se dispor a dialogar com a pessoa amada do que descobrir de surpresa que ela possui planos diferentes para o futuro ou não está satisfeita com a relação.

As expectativas nos relacionamentos são criadas a partir de uma intenção. Algumas pessoas têm o sonho de casar e, quando chegam a certa idade e esse desejo não se realizou, podem depositar todas as suas esperanças em um novo parceiro. 

Já outras não suportam ficar solteiras e iniciam relacionamentos na tentativa de minimizar a carência afetiva. O parceiro normalmente é idealizado como “especial” e “indispensável” logo nos primeiros meses de namoro. Esse apego exacerbado é propício para causar decepções amorosas dolorosas. 

O perigo do excesso de expectativas

Nutrir expectativas excessivas em relação ao parceiro ou ao relacionamento é prejudicial por uma porção de razões, como visto abaixo:

  • impede você de enxergar possíveis comportamentos impróprios do parceiro;
  • faz com que você enxergue um “personagem”, com qualidades e comportamentos ideais conforme as suas opiniões, no lugar do parceiro;
  • como as expectativas são altíssimas, as decepções tendem a ser mais intensas;
  • você fica chateado sempre que o parceiro demonstra uma conduta diferente da idealizada;
  • dificulta a percepção de um relacionamento abusivo;
  • faz com que você dedique tempo em excesso para o relacionamento ou para o parceiro “dos sonhos”. Consequentemente, oportunidades são perdidas e o seu crescimento pessoal, profissional ou intelectual é deixado de lado; 
  • você pula estágios do relacionamento, deixando de aproveitar o presente para se concentrar no futuro; e
  • você tenta modificar o parceiro para adequá-lo as suas idealizações, causando conflitos e o desgaste da relação.

Como enfrentar uma decepção amorosa?

Como superar uma decepção amorosa e seguir a vida?

A decepção amorosa é sentida de acordo com o nível de inteligência emocional e a personalidade de cada um. Pessoas racionais e que não se apegam facilmente tendem a sofrer menos com essas desilusões. 

Por outro lado, indivíduos que convivem com incômodos emocionais diversos, como carência afetiva, medo de ser rejeitado e necessidade constante de atenção, sofrem mais. A autoestima baixa também é um fator de significância para a intensidade de sofrimento. 

Independente da categoria em qual você se encaixa, é fato que uma desilusão amorosa nunca é agradável. Embora cada relacionamento seja particular devido às experiências e aos sentimentos compartilhados entre o casal, a maioria das pessoas sofre com essa experiência. 

Dependendo das expectativas alimentadas, o choque do término pode deixar a pessoa decepcionada atordoada por meses.

A tristeza, a angústia e a raiva tomam conta dela, impedindo-a de sentir satisfação com as suas atividades diárias. Quando demasiadas, essas emoções se espalham para outras áreas, afetando também o desempenho profissional e a convivência familiar. 

Em seguida, você verá algumas formas de remediar os sentimentos ruins oriundos da desilusão amorosa e dicas para seguir a vida sem guardar ressentimentos. 

Deixe o tempo agir

Toda dor parece insuportável quando recente. 

Você pode pensar erroneamente que ela nunca irá embora ou que você nunca mais será o mesmo após ter o coração partido. No entanto, à medida que os dias passam, a dor vai se suavizando. As feridas são curadas com o tempo até que, um dia, deixam de doer.

Então, deixe que o tempo haja e se permita retomar a sua vida normal. Sentir as emoções negativas do “luto” é uma etapa necessária para chegar à cura, mas não se entregue totalmente a elas. As feridas causadas pela decepção amorosa levam mais tempo para se fechar quando nos aconchegamos às essas emoções. 

Dê pequenos passos em direção ao futuro

Depois ou enquanto você vive o luto do término, experimente sair à noite com os amigos em uma semana e, na próxima, fazer algo novo durante um fim de semana. Deixe os encontros românticos para depois. 

Algumas pessoas se envolvem com outras para “provar” ao ex que estão bem consigo mesmas. O problema disso é que raramente estão prontas para embarcar em outra relação, mesmo que casual, e rapidamente percebem que ter um novo parceiro não diminui a dor.  

Por isso, dê passos pequeninos e confortáveis. Pode não parecer na hora, mas eles vão ajudá-lo a superar a decepção amorosa mais tranquilamente. 

Aprenda a perdoar

Se você cometeu erros na relação, perdoe-se por isso. Se a pessoa que o decepcionou falhou de alguma forma, perdoe-a por isso. O perdão nos ajuda a deixar sentimentos negativos para trás, esquecer acontecimentos ruins e superar mágoas. 

Compreenda que todas as pessoas podem cometer erros. Você pode sentir muita raiva nos dias posteriores à decepção amorosa e não querer aceitar essa concepção. Tudo bem. Permita que alguns dias passem para que as emoções mais fortes percam a intensidade e, então, comece a ponderar sobre o perdão. 

Quando não perdoamos, carregamos ressentimentos desnecessários conosco e não conseguimos nos esquecer do ocorrido. O apego às memórias pode travar diversas áreas da nossa vida, assim como afetar o próximo relacionamento. 

Aprenda as lições cabíveis 

Por mais que seja dolorido relembrar a desilusão amorosa, revisitá-la de vez em quando vai ajudá-lo a encontrar lições para o futuro. No momento presente, não conseguimos perceber sinais de alerta que indicam a saturação do relacionamento. É mais fácil refletir com racionalidade depois.

A intenção dessa reflexão é tirar lições para melhorar a sua experiência no próximo relacionamento como, por exemplo, eliminar o excesso de expectativas ou a adoração cega. Você também pode descobrir que é muito inseguro ou se apaixona facilmente em razão da carência excessiva. 

Essas questões emocionais podem ser exploradas e solucionadas na terapia. É importante trabalhar a sua autoconfiança não somente para ter relacionamentos afetivos melhores, mas para construir boas amizades e relações profissionais. Todas as aéreas da vida se beneficiam quando somos confiantes. 

Compreenda que a vida não pode parar

Compreenda que os relacionamentos podem chegar ao fim. Embora a maioria das pessoas goste de acreditar em relações perfeitas, não existem relações sem falhas. 

Só porque você teve uma experiência ruim não significa que as próximas serão assim. A sua vida não pode parar em razão de um único acontecimento negativo.

Quando se cultiva expectativas muito elevadas, a tendência é acreditar que elas são a única possibilidade possível. Entretanto, não é assim. A realidade é mais complexa que as nossas aspirações. 

O seu cotidiano pode mudar radicalmente de uma hora para a outra e sem aviso. Por isso, apegar-se demais às idealizações acaba desapontando e tornando as pessoas amargas. Aceite as coisas como elas são e siga em frente, sempre com o coração aberto para novas experiências. 

Foque em você

Como superar uma decepção amorosa e seguir a vida?

Após a decepção amorosa, a autoestima fica abalada. 

Você pode se questionar se colaborou para o término de alguma forma ou se aborreceu o parceiro a ponto de ele tomar tal decisão. Esses devaneios facilitam a culpabilidade e autocrítica, estimulando a busca por possíveis defeitos em sua personalidade. 

No momento delicado após a decepção, passe o foco para você. As pessoas tendem a querer repetir as situações ruins em suas cabeças, como se pudessem encontrar um desfecho diferente da realidade em sua imaginação. Esse hábito é ruim, pois intensifica o apego às dores geradas pelo acontecimento. 

Cuide da sua autoestima para não se tornar vítima de sentimentos autodepreciativos. Você pode fazer isso através de atividades agradáveis, prática de esportes ou exercícios físicos, hobbies, saídas com os amigos e mais. 
Ademais, marcar encontros para desabafar sobre a situação com pessoas próximas ou fazer terapia pode aliviar a sensação de aperto no peito

Para mais artigos e reflexões, confira o blog da Vittude!

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta