controlar o estresse

Como controlar o estresse? Aprenda 7 estratégias poderosas

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

Pode parecer difícil controlar o estresse em nossas vidas. Com tantas obrigações e pendências, seja no trabalho ou em casa, parece que nunca teremos tempo para relaxar da forma desejada. 

Devido à velocidade das transformações sociais e tecnológicas, hoje, muitas pessoas acabam se perdendo em meio às inovações constantes. Além de ficarem estressadas, também ficam receosas, preocupadas e com medo de possíveis substituições no trabalho ou de não conseguir acompanhar o ritmo do mundo.  

Este é um efeito colateral comum da sociedade atual, sentido por milhares de pessoas no Brasil e no mundo.

A sociedade do estresse

Embora cada pessoa possua os seus próprios gatilhos para o estresse, o trabalho parece ser o principal causador deste mal. Isso porque o ambiente corporativo exige uma série de habilidades e posturas às quais nem sempre conseguimos entregar, principalmente se forem ao mesmo tempo.

Alguns dos fatores de estresse no trabalho são transformações frequentes, inserção de novos modelos de trabalho e tecnologias, administração precária, carga de trabalho excessiva, obsessão com competitividade, expedientes longos, descaso com a vida pessoal e familiar do funcionário, entre outros. 

Poucas pessoas sabem controlar o estresse no ambiente de trabalho, pois estão sempre ocupadas demais com a próxima demanda para se certificarem que não estão ficando doentes de preocupação. 

Outras situações que são gatilhos comuns para o estresse são: divórcio, desemprego, crise financeira, mudança de cidade, doenças crônicas, a morte de alguém querido, situações traumáticas, como um assalto ou agressão. 

No Brasil, mesmo quando não vivenciamos nenhuma das alternativas acima, costumamos encontrá-las nos noticiários e novelas, o que também aumenta o estresse. 

Adicionalmente, o estresse também pode surgir em nosso interior. Sentimentos como medo, incerteza e apreensão surgem quando ligamos a TV e assistimos à cobertura de um desastre natural ou evento políticos. Estes, se não tratados, podem evoluir para transtornos mentais, como ansiedade e depressão

Para o futuro, a tendência é ainda mais tecnologia, mais desenvolvimento e mais inovação. Como não podemos ficar estagnados, o único caminho é seguir em frente. Precisaremos, portanto, administrar cada vez mais compromissos e tarefas enquanto tentamos manter uma vida social e pessoal saudável. 

Por isso, é mais que necessário aprender estratégias para manter o estresse sob controle

7 estratégias para controlar o estresse

O estresse, na maioria dos casos, é estimulado por nosso próprio comportamento e atitude diante dos eventos da vida. Quem está no controle de suas emoções, pensamentos e reações ao mundo é apenas você. Ou seja, você detém o poder de determinar o tipo de situação que lhe causa estresse. 

Por exemplo, alguém bate no seu carro no trânsito. A batida não foi forte o suficiente para feri-lo, mas amassou uma boa parte da traseira do veículo. Você pode sair do carro e gritar enfurecido com o outro motorista ou ter uma atitude mais branda e racional, conversando com o motorista tranquilamente porque o pior já passou. 

Concorda que a última postura apresenta menores chances de perturbar o seu emocional?

Ser brando e compassível não significa ser fraco ou deixar os outros passaram por cima de você, mas, sim, adotar uma postura mais saudável para reagir aos fenômenos incontroláveis da vida. Dessa forma, você consegue controlar o estresse com mais eficiência. 

Para dar início a essa mudança de atitude, separamos estratégias poderosas para ajudá-lo a manter o estresse controlado. 

Reconheça o que lhe causa estresse

Busque identificar quais situações aumentam o seu nervosismo e estimulam seu coração a bater mais forte. Se forem situações as quais você possa evitar, faça isso. Agora, se não tiver escapatória, prepare-se com antecedência para enfrentar o estresse iminente. 

Você pode respirar profundamente para promover o relaxamento, ter pensamentos agradáveis e prazerosos, e não se identificar com o que estiver acontecendo. Em outras palavras, não tome as dores de ninguém nem mesmo as suas. Procure viver o momento sem pensar em como você estará emocionalmente exausto depois.  

Muitas vezes ao longo de nossas vidas conferimos grande importância a eventos ou impasses sociais (brigas, desentendimentos, discussões) que não merecem tanta atenção assim. Perdemos energia remoendo o passado, nos preocupando à toa com algo que não podemos mudar. 

Há maneiras mais vantajosas de usar a sua energia, como, por exemplo, procurando uma solução eficaz para o problema. 

Não guarde seus problemas dentro de você

Desabafe com pessoas de confiança sobre as suas neuras e ansiedades. Guardamos as emoções negativas dentro de nós porque é desagradável senti-las. Para não causar conflitos, ignoramos aquele sentimento ruim dentro de nós. Mas a verdade é que ele não vai embora. 

Ele se aconchega dentro de nós e se alimenta das emoções e pensamentos negativos que temos em relação àquela situação ou pessoa. Assim, de súbito, ele é exteriorizado na forma de acessos de raiva ou até mesmo crises de ansiedade. 

Procure resolver os seus problemas o mais rápido possível. Use e abuse do diálogo para restaurar a tranquilidade dentro de você e do outro. Se não tiver alguém para desabafar, considere visitar um psicólogo, que é uma pessoa imparcial e com conhecimentos do comportamento humano. 

Você também pode cultivar um hobbie como forma de descarregar emoções negativas e controlar o estresse. Atividades de interesse como escrever, ler, tocar um instrumento, pintar, construir algo, caminhar, entre outros, são importantes para manter a nossa saúde mental em dia. 

Aprenda a delegar prioridades

Uma das maiores consequências da sociedade atual é o esgotamento, ou estresse crônico. Geralmente, ele se manifesta quando estamos sobrecarregados em mais de uma área de nossas vidas. 

Para impedir que isso aconteça, desenvolva um sistema para delegar prioridades para cada compromisso. Não tente abraçar tudo de uma vez, pois esse cenário nunca dá certo. Lembre-se daquele ditado antigo “devagar se vai longe” e faça uma coisa por vez, priorizando as atividades com maior grau de urgência. 

Utilizar uma agenda ou caderno, ou aplicativo para controlar o progresso de seus afazeres, além de promover a organização, constrói uma visão mais ampla do que está acontecendo em sua vida. 

Esta forma de visualização é muito mais benéfica do que manter a lista de afazeres apenas em sua mente, não é? 

Ao administrar as suas prioridades, você logo verá uma grande diferença em sua produtividade. Sem dúvidas, terá mais disposição e tempo para determinar cada atividade em um período satisfatório. 

Não seja tão exigente consigo mesmo

Esta estratégia pode se entrelaçar com a outra. Se, por qualquer motivo, não conseguir concluir os seus afazeres, não se culpe. O estresse age como uma porta de entrada para sentimentos e pensamentos negativos, os quais podem se transformar em transtornos mentais. Por isso, a presença do estresse e da ansiedade ao mesmo tempo é tão comum. 

A autoestima também é afetada pelo estresse. Crenças como “eu não sou bom o suficiente” ou “não faço nada certo” são comuns em pessoas estressadas. Para se verem livres dessas afirmações negativas, depositam ainda mais energia, esforço e sentimento no que fazem. É assim que chegam ao esgotamento. 

A culpa por ter errado ou não ter concluído uma tarefa ou não ter feito-a com o capricho desejado não ajuda em nada. Além de não ser nada produtiva, nos deixa infelizes, ansiosos, tristes e angustiados. 

Aprenda a se perdoar quando as coisas não derem certo. Todos nós somos humanos e passíveis de erros. O lado bom é que podemos tentar de novo quantas vezes foram necessárias. Seja gentil consigo mesmo para não alimentar o estresse. 

Faça exercícios para livrar-se da tensão

O estresse causa fadiga e dores musculares. Quando estamos estressados, nosso corpo entra em estado de alerta. Os músculos ficam tensionados pelo tempo que nosso cérebro julga ser ameaçador. Posteriormente, sentimos dores, espasmos e até cãibras nos membros tensionados.  

O exercício ou atividade física é o remédio perfeito tanto para combater a tensão quanto para controlar o estresse

Os hormônios da felicidade (dopamina, endorfina, serotonina) produzidos durante o exercício trazem uma série de benefícios para a saúde física e mental. O hormônio cortisol, responsável pelos níveis de estresse em nosso corpo, por exemplo, é reduzido.  

Faça terapia 

A terapia ajuda a controlar o estresse

A resposta é sim.

Na terapia, você desenvolve a habilidade de identificar os fatores causadores de estresse e estratégias para lidar com eles de maneira que não afete o seu emocional.  Como o estresse apresenta sintomas psicológicos, na terapia é possível aliviá-los e recuperar a autoestima, a felicidade e a paz de espírito que você sentia antes. 

Na Vittude, você encontra diversos psicólogos especializados em tratamento do estresse. Acesse este link para conhecê-los e agendar uma consulta nos horários mais proveitosos para você. 

Saia de casa

Deixar a zona de conforto é assustador, mas necessário. Nos finais de semana e feriados, não fique preso entre as paredes de sua residência e faça algo ao ar livre. Pode ser uma caminhada pelo bairro ou turistar pelos pontos turísticos de sua cidade. Qualquer coisa para quebrar a rotina é válido! 

Se possível, programa-se para viajar em algum momento do ano para desconectar-se das obrigações diárias. Aproveite muito bem as suas férias para descansar e recarregar as baterias. 

Gostou do post? Então assine nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de nossos conteúdos e novidades!

Leia também:

10 sinais de que você anda muito estressada

Burnout: como evitar o esgotamento profissional?

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade.