Dia mundial da saúde mental: tudo o que você precisa saber

Dia Mundial da Saúde Mental: tudo o que você precisa saber

  |  Tempo de leitura: 10 minutos

O Dia Mundial da Saúde Mental nos lembra, ano após ano, da necessidade de cuidar da saúde da mente. Crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos, não importando de onde vieram ou para aonde vão. Todos precisam ter essa consciência. Além de ajudar a prevenir transtornos mentais, esse cuidado permite que cada fase da vida seja aproveitada ao máximo.

O que é Dia Mundial da Saúde Mental?

A data de 10 de outubro marca o Dia Mundial da Saúde Mental. Entre as suas funções está deixar um alerta para regularmente olharmos para a condição da nossa saúde mental. É sabido que a maioria das pessoas não o faz.  

Os motivos para ignorar os avisos da mente (e consequentes avisos do corpo) costumam ser a falta de conhecimento, vergonha de ter um transtorno mental ou de fazer terapia, medo da rejeição e das críticas alheias, receio da repressão da família, atribuição do mal-estar mental a elementos externos, e assim por diante. 

Por isso, nesta data, recebemos um convite para repensar as nossas convicções e, se necessário, buscar ajuda psicológica. 

Como o Dia Mundial da Saúde Mental surgiu?

Em 1992, a Federação Mundial de Saúde Mental (World Federation for Mental Health) instituiu a data para chamar a atenção, em escala global, das pessoas e dos governos para o cuidado com a saúde mental. Este, por sua vez, é um tema de interesse público, o qual deveria ser repetidamente debatido com as populações mundiais. Cuidar da saúde mental independe da etnia, nacionalidade, condição econômica e gênero. 

Desde então, muitos progressos ocorreram no campo da psicologia e da psiquiatria, possibilitando tratamentos mais adequados a cada patologia e eficiência no diagnóstico de transtornos mentais. 

A propagação de informações com base científica sobre a saúde mental, no entanto, ainda não atinge muitos países. Até mesmo no Brasil são encontrados grupos sociais que atribuem as mais variadas causas à depressão e à ansiedade, exceto a perturbação da saúde mental. Outro objetivo desta data é tornar essas informações mais acessíveis. 

Qual é a importância da data?

Conforme um artigo publicado pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) Brasil, escritório regional da Organização Mundial da Saúde (OMS), a saúde mental é uma das aéreas mais negligenciadas do sistema de saúde pública mundial. 

Isso quer dizer que milhões de pessoas não têm acesso a tratamentos adequados para as suas condições mentais. 

Dia mundial da saúde mental: tudo o que você precisa saber

Somente no Brasil, 12 milhões de pessoas vivem com depressão. No mundo, essa métrica cresce para 300 milhões. Considerado o ‘mal do século 21’, o transtorno depressivo acarreta diversos sofrimentos e pode levar ao suicídio. Este entra na pauta internacional um mês antes do Dia Mundial da Saúde Mental, durante o Setembro Amarelo

Nesse contexto, a data é um lembrete global de extrema necessidade para que tanto as populações quanto os governos respeitem a saúde mental. A sua debilitação resulta em imenso sofrimento para muitas pessoas, além de prevenir que países se movam em direção ao progresso. Afinal, como fazer isso com uma população doente?

Neste dia, mais informações sobre transtornos mentais, psicoterapia, medicamentos psiquiátricos, autoconhecimento, inteligência emocional e outros temas relacionados à saúde da mente são disseminadas. Campanhas, presenciais e virtuais, e produtos informativos ajudam as pessoas a adquirir conhecimentos muito necessários para mudar as suas vidas. 

Além disso, quem vive com um transtorno mental ou já teve um se sente mais motivado para compartilhar a sua vivência. Depoimentos são ótimos para servir de apoio para indivíduos que passam pela mesma experiência e estreitar laços de amizade entre comunidades.  

O que acontece quando não se cuida da saúde mental?

O descaso com a saúde da mente pode acarretar em uma série de complicações, as quais impactam diferentes áreas da vida. Você pode regredir em sua carreira profissional, não conseguir estabelecer bons relacionamentos e sentir que falta propósito para a sua vida. 

Entre outras consequências estão:

  • divórcio ou término de relacionamento;
  • relacionamentos abusivos;
  • demissão ou desemprego;
  • conflitos familiares; 
  • mais distância no relacionamento amoroso;
  • constante sensação de mal-estar;
  • cansaço físico, emocional e mental;
  • amizades tóxicas;
  • vida estagnada; 
  • crise de identidade;
  • atraso escolar ou acadêmico; e
  • depressão, ansiedade, síndrome do pânico, entre outros. 
Teste Dass

Como cuidar da minha saúde mental?

Embora não exista uma definição exata para o termo ‘saúde mental’, segundo a OMS, ela está relacionada à maneira como uma pessoa reage aos desafios, imprevistos e adversidades. A capacidade de conviver e compreender as suas emoções e pensamentos também se encaixa na descrição. 

Quando você está estressado devido à rotina apertada (ou qualquer outro motivo), a tendência é adotar uma postura pessimista diante da vida. 

As brigas e desentendimentos aumentam, a exaustão emocional atrapalha o aproveitamento do dia, o desempenho no trabalho diminui e você pode ouvir comentários um tanto desagradáveis a seu respeito. Se você não conseguir elevar o seu humor, poderá desenvolver depressão ou síndrome do pânico, por exemplo. 

Tudo isso resulta da saúde mental perturbada. 

Já quando a sua mente está sadia, você consegue superar obstáculos sem estresse e sem sofrimento; ter jogo de cintura no ambiente profissional e interagir com pessoas desagradáveis; tomar decisões benéficas para a sua realidade atual e para o seu futuro; manter bons relacionamentos; e, ainda, colocar você como prioridade

Cuidar da saúde mental significa ter uma vida mais feliz e plena. Portanto, no espírito do Dia Mundial da Saúde Mental, reflita sobre o seu estado emocional, psicológico e físico. Em seguida, arranje tempo de qualidade em seu dia a dia para cuidar de si mesmo. 

Para você ver que não tem segredo, confira as nossas dicas de como praticar o autocuidado diariamente: 

Coloque-se em primeiro lugar

Você é a pessoa mais importante em sua vida, sabia? Pessoas com autoestima elevada sabem muito bem disso. Por isso, se amam, confiam em si mesmas e, sobretudo, escolhem a si mesmas em todas as ocasiões. Não é egoísmo, apenas a realidade. 

Aliás, se você não está bem consigo mesmo, não consegue dedicar tempo para os seus projetos pessoais ou para ajudar os outros. Então, todo o cuidado se inicia com você. Esse não requer alimentar o ego ou orgulho, mas, sim, saber manter o seu humor nas alturas para não se abalar com eventuais crises.  

Não aceite ser maltratado

Você não merece ser alvo de sabotagens, agressões físicas ou verbais ou qualquer comportamento grosseiro. Portanto, não permaneça em situações que o agridam tanto física quanto emocionalmente. Mesmo se você for do tipo que foge de conflitos, não aceite ser pisoteado por outra pessoa. Mantenha uma postura de confiança e de amor-próprio, e preserve a sua saúde mental. 

Encontre pessoas que compreendem como você se sente

Pode ser nas redes sociais, nos grupos de WhatsApp do bairro ou em qualquer ambiente que você frequentar. Busque se relacionar com pessoas que já passaram pelo o que você está enfrentando no momento ou que, pelo menos, tenham mais empatia para compreender a sua situação

Estabeleça limites para o convívio social

Defina limites pessoais para ficar longe de pessoas desagradáveis. Por exemplo, você não precisa se privar de nada para agradar alguém, tampouco modificar o seu comportamento (se este não estiver causando sofrimento a você ou aos demais) para a satisfação de terceiros. Também não é necessário aceitar fazer algo que não deseja para ser aceito. Estipular regras pessoais é uma forma de autopreservação. 

Aceite-se como você é 

Talvez essa seja a tarefa mais difícil da existência humana. No entanto, ela não pode ser ignorada. O processo de autoaceitação de cada um é diferente e único. Muitos apenas conseguem fazê-lo com a aquisição da maturidade, em uma idade avançada. 

Dia mundial da saúde mental: tudo o que você precisa saber

Quem não se aceita como é, encontra muitos sofrimentos e não aproveita a vida como ela deveria ser aproveitada. É claro que existem muitas razões para a incapacidade de superar a barreira de autodepreciação construída ao redor da autoaceitação, as quais podem ser investigadas e tratadas na terapia. O importante é não desistir de si mesmo e procurar motivos para se amar todos os dias.

Busque ajuda profissional

A manutenção e a elevação da saúde mental curam transtornos graves e acabam com o desejo de morrer. Ambas são conquistadas através da atenção aos sentimentos, emoções, pensamentos e hábitos, bem como por meio de tratamentos. 

A psicoterapia e os medicamentos psiquiátricos são meios de tratar condições mentais que roubam a qualidade de vida das pessoas. Além disso, a terapia fornece conhecimentos pertinentes sobre a condição humana e incentiva a modificação de padrões de comportamento nocivos. 

Através de consultas com o psicólogo, você aprende a gerir os seus sentimentos, enfraquecer hábitos ruins, perdoar e esquecer mágoas do passado, elevar a sua autoestima por conta própria e se conectar com a sua verdadeira identidade.

O alinhamento com o seu verdadeiro ‘eu’, comumente escondido atrás da vergonha e do receio, é um poderoso alimento para a saúde mental. 

Se você não sabe ao certo como dar o primeiro passo em busca do autoconhecimento e da melhora de seus transtornos ou dúvidas relacionadas ao psicológico, a Vittude pode te ajudar!

Agendar uma consulta é rápido e simples. Veja:

  1. Acesse o site e escolha um psicólogo;
  2. Decida o horário e a data para sua consulta;
  3. Faça o pagamento;
  4. Converse com o psicólogo on-line, por vídeo, ou presencialmente.

Faça como o Dia Mundial da Saúde Mental prega e cuide com carinho de você e do seu emocional!

Vittude no prêmio iBest

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta