Qual a diferença de autocuidado e autogestão

Qual a diferença entre autocuidado e autogestão?

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

A autogestão e o autocuidado são conceitos bastante diferentes, mas que, quando andam juntos, possuem a capacidade de melhorar significativamente a vida das pessoas! 

Talvez as maiores características positivas de ambos sejam a possibilidade de desenvolvimento fácil e de aprimoramento contínuo. Qualquer indivíduo pode aprender a se autogerir e a cuidar de si mesmo bem como a usufruir dos benefícios dessas competências emocionais.   

O que é autogestão?

A autogestão é caracterizada pela capacidade de um indivíduo de gerir a própria vida. Requer momentos de introspecção para que sejam feitas avaliações sobre traços de personalidade, habilidades e aspirações pessoais.

Você também pode ouvir esse termo no ambiente corporativo. Em empresas que se autogerenciam todos os colaboradores estão em pé de igualdade, podendo participar do processo de tomada de decisão. É um modelo administrativo comum em startups e pequenos empreendimentos. 

É possível aplicar os mesmos princípios da administração de empresas em sua vida. Nesse caso, o termo utilizado é autogestão pessoal. 

O que é autocuidado?

O autocuidado é o ato de cuidar da própria saúde física e emocional através de hábitos e estilos de vida saudáveis. Ele envolve os cuidados básicos com o corpo, como alimentação e exercício físico, bem como cuidados para elevar a autoestima e manter o humor estável. 

O indivíduo que pratica o autocuidado reconhece as suas necessidades e as coloca em primeiro lugar em sua lista de prioridades. 

Diferente do que se pensa, essa prática não tem nada a ver com egocentrismo. É apenas uma maneira de cuidar de si mesmo para encarar desafios, gerir emoções e não se chocar com acontecimentos desagradáveis. Se você não está bem consigo mesmo, como pode ficar bem com outras pessoas?

Características do autocuidado e da autogestão

Esses termos definem competências emocionais muito diferentes, embora tenham um objetivo semelhante de promover o bem-estar. Eles também incorporam técnicas similares para alcançá-lo, como recorrer ao autoconhecimento para identificar elementos perpetuadores de sofrimento em sua vida. 

Quando uma pessoa compreende esses conceitos e os aplica no dia a dia, preenche as lacunas que faltavam para conquistar a proatividade, a saúde mental e o amor-próprio. 

A seguir, confira as principais características de ambos. 

Autocuidado

Qual a diferença de autocuidado e autogestão

O principal objetivo do autocuidado é preservar a sua saúde mental e física. Você pode adotar uma série de hábitos saudáveis para a mente e para o corpo para fazer isso. Pode ser necessário fazer mudanças drásticas em seu modo de vida para que seja possível cuidar de você com eficiência. 

Ele consiste em:

  • praticar a gratidão
  • manutenção da vida social através de encontros com amigos;
  • engajar em atividades prazerosas com frequência;
  • aproveitar o tempo livre para praticar hobbies ou desenvolver habilidades que sempre teve vontade, como aprender a tocar um instrumento;
  • adoção de técnicas para gerir as emoções, como escrever em um diário, meditar ou fazer yoga;
  • encontrar tempo para o relaxamento em meio à vida corrida;
  • priorizar as suas vontades diante da pressão social;
  • persistir para conquistar os seus objetivos, mesmo que os outros desaprovem; e
  • não dar tanta importância a julgamentos alheios. 

Autogestão pessoal

A autogestão pessoal caracteriza-se pela administração de diversos aspectos da sua vida, visando a sua satisfação e autorrealização conforme os seus objetivos. Cada pessoa possui uma visão única de sucesso, então, pode ser que a sua fórmula para chegar lá difira da do seu amigo. 

Ela consiste em:

  • refletir sobre onde você está hoje e aonde pretende chegar;
  • definir os seus pontos fortes, como qualidades, experiências e habilidades;
  • estabelecer planos de ação para a realização de metas;
  • pedir ajuda quando não conseguir superar um obstáculo, como fazer terapia ou solicitar conselhos de mentores;
  • administrar as suas emoções com racionalidade;
  • fazer autoavaliações constantes; 
  • valorizar os seus atributos e melhorar os aspectos que necessitam de atenção, como combater a procrastinação e o complexo de rejeição; e
  • visar, acima de tudo, a sua felicidade. 

Como aliar o autocuidado à autogestão, e vice-versa?

Aprender a cuidar de si mesmo para evitar doenças psicossomáticas e o esgotamento psicológico é vital para uma vida saudável. Da mesma forma, saber gerir as suas vontades, habilidades e necessidades é importante para se adaptar a qualquer situação.

Quando se sabe o que necessita de aprimoramento e quais os recursos a serem usados para fazer isso, a estagnação e a zona de conforto deixam de ser viáveis. A pessoa com capacidade de se autogerir desenvolve, ainda, a inteligência emocional e a autonomia. 

Pense só: você começa a trabalhar em uma nova empresa e descobre que as habilidades que lhe garantiram a vaga foram apreciadas, mas precisam de melhorias. 

Em vez de se desesperar ou se diminuir em face de erros e observações de superiores, você define os fatores que precisam ser aprimorados para se adequar ao novo cargo. Tudo feito com calma e paciência de modo a combater a ansiedade

Na mesma situação, o autocuidado o auxilia a evitar a sobrecarga de emoções negativas e de estresse. Ele coloca o seu bem-estar e o bom humor como prioridades principais. Dessa forma, sempre que se deparar com um evento pouco agradável ou sentir-se esgotado, você saberá o que fazer para sentir-se bem novamente. 

Tanto o autocuidado quanto a autogestão pessoal consistem em processos contínuos. Isso significa que você poderá aplicá-los em diferentes contextos sociais pelo resto de sua vida e sempre obter um novo aprendizado.

Conheça a si mesmo

O autoconhecimento é essencial para a autogestão pessoal. Um acaba incentivando o outro naturalmente. Para definir a trajetória para conseguir o que você deseja, primeiro é preciso saber com quais rotas você se identifica, certo? Desse modo, conseguirá aproveitar melhor o caminho escolhido.

Da mesma forma, se autoconhecer é uma parte intrínseca do autocuidado. É preciso dedicar tempo para descobrir quais estratégias de gestão de humor são mais adequadas ao seu jeito de ser.

 Faça reflexões

A reflexão é uma das muitas maneiras de aprofundar o conhecimento de si mesmo. Essa ferramenta é, na verdade, útil para uma diversidade de propósitos. 

Refletir permite que você analise os acontecimentos através de uma ótica racional e encontre soluções para os problemas com serenidade. A reflexão também costuma ser o pontapé para mudanças de vida de significância. 

Qual a diferença de autocuidado e autogestão

Algumas pessoas não gostam de simplesmente parar e pensar sobre suas vidas ou sobre si mesmas. Preferem focar a sua energia na ação em vez da reflexão. Porém, pensar antes de tomar grandes decisões ou para avaliar a sua vida clareia caminhos antes escondidos pelo descontrole emocional.

Assuma responsabilidade por sua vida

Quando admitimos que a realidade de hoje é produto das nossas ações do passado, mesmo que essa seja desagradável, automaticamente assumimos o controle de nossa vida.  

Fugir da responsabilidade nos leva a viver em um estado nada produtivo de negação. Dessa forma, o nosso crescimento pessoal é interrompido e permanece estagnado por muito tempo.

Para praticar a autogestão pessoal, é necessário assumir a responsabilidade por seus atos, pensamentos, escolhas, falas e relacionamentos. Pode ser desagradável perceber que o seu modo de agir é a razão do seu descontentamento atual. Todavia, é um passo indispensável para consertar o que está errado.  

Desenvolva métodos para lidar com o negativo

Alguns indivíduos nutrem a crença de que o que é ruim vai passar sem que seja necessário fazer algo para isso. Até certo ponto, estão certos.

Não é preciso se apegar aos momentos ruins, pois, com o tempo, eles se tornarão lembranças distantes. Os sentimentos antes latentes deixarão de incomodá-lo à medida que você retoma a sua vida diária. 

Entretanto, você pode ajudar a si mesmo a se livrar de emoções e sensações pouco agradáveis. Basta desviar a atenção do que é negativo para o positivo

Assistir um filme, ler um livro, sair para passear, conversar com amigos queridos, combinar um programa divertido em família e tirar um cochilo quando sentir-se esgotado são formas simples de balancear sentimentos negativos oriundos de eventos ruins.

Tenha amor-próprio 

Amar a si mesmo é um passo fundamental para viver de acordo com os seus ideais. Não importa se você possui objetivos grandiosos ou de ter uma vida simples, se não amar a si mesmo não encontrará razões para se esforçar para conquistá-los. 

Além disso, a falta de amor-próprio fortalece a crença do desmerecimento. Pessoas incapazes de se amar acreditam que não merecem a felicidade, por isso, aceitam viver de maneira medíocre e insatisfatória. 

O processo de autogestão pessoal requer motivação, encontrada somente quando você tem autoestima elevada e uma opinião bacana sobre si mesmo. 

Faça terapia

Para desenvolver a autogestão pessoal e o autocuidado, você pode recorrer à orientação profissional de um psicólogo. A psicoterapia é um processo contínuo de autoconhecimento cujo único objetivo é a sua felicidade. 

Durante o acompanhamento psicológico, você aprende a se reconhecer como uma pessoa valorosa, habilidosa e merecedora. Fazer esse reconhecimento pode ser complicado para alguns indivíduos. Traumas, baixa autoestima e crenças equivocadas podem ser obstáculos para terem uma vida equilibrada. 

Se você não tem ideia de por onde começar, a Vittude está aqui para orientá-lo a respeito das particularidades da terapia online

Conheça nossa plataforma, busque o profissional que mais se encaixa em seu perfil e agende uma sessão!

Conteúdos Que Você Pode Gostar Também:

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta

Avalie esse artigo:

Comentários:

1 Comentário
Inline Feedbacks
View all comments
Gisley Scott
9 meses atrás

Gostei da explicação sobre as diferenças e como ambas são importantes. É preciso estar desenvolvendo as duas se quisermos ter uma melhoria na nossa qualidade de vida.

<b>Gisley Scott </b>
<b><a href=”http://www.vivendolaforanoseua.blogspot.com”>www.vivendolaforanoseua.blogspot.com</a></b> 

Artigo publicado em Autocuidado