empreendedorismo

Empreendedorismo: dicas para equilibrar saúde mental e sucesso

  |  Tempo de leitura: 8 minutos

Empreendedorismo tem a ver com a busca pelo sucesso profissional através de um trabalho inovador. Por isso, a ideia que se tem é de que os empreendedores são pessoas corajosas e constantemente motivadas, sempre engajadas em novos projetos e obstinadas a alcançar seus objetivos profissionais.

Sabemos que isso é muito verdadeiro e real. Contudo, pessoas empreendedoras costumam enfrentar inúmeros desafios que, se não forem bem administrados emocionalmente, podem colocar tudo a perder!

Existem inúmeros fatores que contribuem para abalar as emoções de quem optou pelo empreendedorismo. A pressão por resultados, as horas de sono trocadas pelo trabalho, a preocupação com o retorno financeiro e a ânsia de fazer tudo acontecer rápido e sem erros… Tudo isso pode trazer prejuízos à saúde mental de quem decide mudar de vida empreendendo.

Neste artigo vamos mostrar a importância do cuidado com a saúde mental para obter mais sucesso nos negócios. Confira!

Relação entre saúde mental e empreendedorismo

Muita gente entende que empreender é sinônimo de arriscar. Ainda que seja para alcançar um novo patamar profissional e se tornar um bom “chefe de si mesmo”, o empreendedor, de fato, precisa estar pronto para lidar com situações inesperadas e extremamente desafiadoras.

Por conta da insegurança, principalmente no início de um projeto, pessoas empreendedoras costumam ficar mais suscetíveis ao estresse, à fadiga e à ansiedade.

A depressão também é outra grande inimiga do empreendedorismo. Ela costuma aparecer diante de cenários imprevistos ou períodos de dificuldade financeira pelos quais empresários – sejam eles donos de pequenos ou grandes negócios – estão sujeitos a passar.

Assim, a relação entre empreendedorismo e saúde mental é bastante próxima, estando o empreendedor, de certa forma, dependente da fluidez e qualidade das suas emoções para atingir suas metas e realizar seus projetos.

Razões que afetam a saúde mental do empreendedor

Existem algumas razões pelas quais o empreendedorismo está relacionado a problemas emocionais, e que devem alertar para a vulnerabilidade dos empreendedores e o cuidado com a saúde mental. Vejamos alguns exemplos:

Ausência de garantias no empreendedorismo

Diferente de quem tem um emprego fixo, com salário na data marcada, e todos os direitos e benefícios que lhe são assegurados, o empreendedor precisa lidar com uma ausência de garantias, principalmente financeiras.

Afinal, nem todo retorno dependerá exclusivamente do esforço colocado para fazer o negócio dar certo. Existem muitas variáveis que envolvem o empreendedorismo e determinam o sucesso – ou não – de quem segue esse caminho.

Essa sensação de vulnerabilidade e incerteza constante sobre o futuro é responsável por causar ansiedade em muitos empresários, principalmente aqueles que estão na fase inicial de um projeto.

Maior carga de responsabilidades

Junto com o empreendedorismo vem uma enorme lista responsabilidades que recaem sobre que opta por ser dono do próprio negócio. A lista de tarefas de um empreendedor, que nem sempre pode delegar função a equipe, é infinita, e isso costuma gerar uma carga alta de estresse.

Quando toda essa responsabilidade não é bem administrada, o empreendedor fica mais propenso à estafa mental e à uma sobrecarga emocional que refletem na realização do trabalho e no sucesso do empreendimento.

Fusão da identidade

“Você é a sua empresa”. Essa afirmação é bastante ouvida no mundo dos empreendedores e costuma fazer com que empresários acabem perdendo sua identidade pessoal em troca da identidade corporativa. 

Esse comportamento tende a gerar um vazio existencial e a fazer com que o empreendedor abdique de seus gostos e rotina enquanto “pessoa física” em nome do trabalho, e por não conseguir se dissociar da figura que representa uma marca, pode desenvolver uma crise de identidade.

Isolamento social

Por conta de toda a dedicação necessária para fazer um novo negócio deslanchar, é bastante comum que o empreendedor gaste mais horas do dia no trabalho, perdendo momentos em família e eventos de fim de semana com os amigos.

Assim, o isolamento social acaba sendo uma consequência não planejada, que pode afetar substancialmente a saúde mental de pessoas empreendedoras.

Também é bastante comum que os microempreendedores individuais (MEIs) trabalhem sozinhos, os fazendo perder o vínculo com colegas e criando uma solitude, que mesmo voluntária, pode acabar gerando um sentimento de solidão e tristeza pela falta de contato com outras pessoas.

Menos acesso a recursos de saúde

Apesar de contar com um sistema público de saúde, o Brasil ainda não consegue atender toda a demanda de forma adequada. Quando se fala em saúde mental o caso é ainda mais grave, já que não existem psicólogos e psiquiatras disponíveis para toda a população gratuitamente. Sem contar que não há uma campanha efetiva de divulgação sobre a importância do cuidado com as emoções.

A realidade é que, infelizmente, o empreendedorismo esbarra na ausência (ainda que momentânea) de benefícios como o plano de saúde, que empregados com carteira assinada costumam possuir.

E como no início de um negócio os recursos financeiros tendem a ser mais escassos, grande parte dos empreendedores não contratam um plano de saúde e não acham que devam investir dinheiro nisso, ainda que saibam da necessidade de cuidar das emoções e buscar tratamento.

Plataformas como a Vittude podem facilitar a busca por um psicólogo que atenda a requisitos específicos para atender a todos que precisem de acompanhamento. Acesse nosso site e confira você mesmo todas as oportunidades oferecidas!

Lidando com as emoções: 3 estratégias para empreender com sucesso

Por todas as razões apresentadas e mais uma série de motivos que envolvem o empreendedorismo, é preciso dedicar atenção e cuidado à saúde mental, antes que a falta de controle das emoções prejudique o andamento dos negócios e forme uma barreira que impeça o empreendedor de alcançar o sucesso profissional.

A seguir, listamos algumas estratégias para cuidar das emoções que, inclusive, são benéficas ao empreendedorismo:

1. Mantenha seus vínculos sociais

Atenção: não estamos falando de network! Ao contrário, manter contato com pessoas para além dos assuntos do trabalho é fundamental quando se deseja alimentar as sensações de bem-estar e produtividade.

As suas conexões com pessoas queridas aumenta a felicidade e afasta os sentimentos de solidão, além de diminuir significativamente as possibilidades de ser afetado pela depressão. Dessa forma, a dica é sempre cultivar as amizades e vínculos, sem esquecer, é claro, dos relacionamentos românticos.

Embora muita gente acredite que se relacionar com alguém pode tirar o foco e desviar a atenção de coisas importantes (vide o trabalho), é certo que relacionamentos saudáveis tendem a contribuir ainda mais para o bom andamentos dos negócios e ser um estímulo para a busca dos objetos de quem empreende.

2. Promova o autocuidado

Esqueça a velha desculpa do “eu trabalho demais, não tenho tempo para isso!”. Você precisa achar um caminho para cuidar de si, pois a falta de atenção consigo pode trazer sérias consequências e pôr a perder todo o investimento – de tempo e dinheiro – num empreendimento.

Portanto, arrume um tempinho em meio a correria diária para praticar um esporte ou atividade física que seja prazerosa. Dê atenção às coisas que trazem prazer fora do trabalho e considere os momentos de lazer tão sagrados quanto as obrigações da empresa.

E, acima de tudo: tire férias! Planeje sua vida profissional de empreendedor de modo que possa passar um período afastado das atividades, descansando e repondo as energias. Só assim a continuidade dos projetos será fluida e correrá mais rápido rumo ao sucesso.

3. Busque o autoconhecimento

Essa é a dica de ouro, e tê-la deixado por último não significa que tenha menos importância. Muito pelo contrário! Praticar o autoconhecimento é a principal estratégia de quem busca cuidar da sua saúde mental e ter maior controle das emoções.

Isso faz com que a psicoterapia seja uma grande aliada do empreendedorismo e possibilite desenvolver a capacidade de administrar crises e solucionar problemas com mais assertividade.

Entre tantos desafios e incertezas da vida de empreendedor, também existem benesses que não podem se perder no meio do caminho. Para isso, é preciso saber administrar os sentimentos de forma consciente, para entender como eles afetam sua rotina e o que pode ser feito para evitar ou excluir as interferências negativas.

Se você gostou do conteúdo, compartilhe-o nas redes sociais! Aproveite também para assinar nossa newsletter e receber as novidades da Vittude em seu email!

Leia também:

Cultura de feedback: como ela pode contribuir para a saúde do seu time

Gestão de Pessoas: como a empatia ajuda na gestão de equipes

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta