Categories: Todos

Transtorno do estresse pós-traumático: explicação e causas

O estresse pós-traumático é um tipo de transtorno de ansiedade que pode causar diversas consequências na vida de uma pessoa, interferindo nos relacionamentos, trabalho e estudos. Por isso, é importante procurar ajuda caso você detecte os sintomas em si mesmo ou em pessoas próximas.

Neste artigo, compilamos as principais informações sobre o distúrbio, incluindo sintomas, causas e tipos de tratamento. Assim, você terá em mãos tudo o que precisa saber para lidar com o quadro. Continue a leitura!

O que é o estresse pós-traumático?

O transtorno do estresse pós-traumático (TEPT) se trata de um distúrbio de ansiedade caracterizado por sintomas físicos, emocionais e psíquicos que são consequência de uma experiência violenta ou traumática. O acontecimento que desencadeia o transtorno costuma representar ameaça à vida do indivíduo ou de terceiros.

Assim, quando a pessoa se lembra do fato traumático, revive aquele momento como se o mesmo estivesse acontecendo novamente e acaba sentindo a sensação de dor e sofrimento que o agente estressor provocou. Esse tipo de recordação gera alterações neurofisiológicas e mentais.

Pesquisas desenvolvidas pela UNIFESP e outras universidades brasileiras em parceria com pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz, levantaram a hipótese de a causa do transtorno estar relacionada ao desequilíbrio nos níveis de cortisol ou na redução de 8% a 10% do córtex pré-frontal e do hipocampo.

Apesar de o medo ser uma reação normal do organismo, nesses casos, o estresse pós-traumático é capaz de causar um medo excessivo e constante que gera limitações na vida do indivíduo. Assim, é possível que ele deixe de realizar tarefas do dia a dia ou tenha receio de ficar sozinho, mesmo sem perigos aparentes.

Quais são os sintomas do transtorno?

É importante pontuar que é completamente normal ficar abalado após uma experiência traumática. No entanto, algumas pessoas vivenciam sentimentos e pensamentos perturbadores associados ao acontecimento e os mesmos persistem por meses ou anos. Nesses casos, é preciso ficar atento aos sintomas que podem indicar que algo não vai bem. 

  • lembranças persistentes: a pessoa revive involuntariamente o trauma por meio de memórias repetitivas e angustiantes, pesadelos ou a sensação de que a situação está acontecendo de novo;
  • reações físicas: as mais comuns são náuseas, sudorese, taquicardia, tremores, tonturas, dores de cabeça;
  • excitação exagerada: diz respeito ao estado de alerta constante, explosões de raiva e dificuldade para se concentrar e dormir;
  • comportamento de esquiva e isolamento social: a pessoa passa a evitar lugares, atividades e até mesmo pessoas que provocam lembranças difíceis e dolorosas. Também pode ter dificuldade para falar sobre o evento traumático;
  • crenças e emoções negativas: dificuldade para confiar nas outras pessoas e manter relacionamentos, além de sentimentos de culpa e vergonha.

Como é realizado o diagnóstico?

O Manual de Diagnóstico dos Distúrbios Mentais e o CID-10 (Classificação Internacional das Doenças) estabeleceram os critérios para o diagnóstico do distúrbio. O primeiro requisito é a identificação do agente estressor, ou seja, o evento traumático que representou ameaça à vida da pessoa ou de alguém próximo.

Em seguida, são analisados os sintomas que, por sua vez, devem estar presentes por pelo menos um mês. O psiquiatra deve fazer avaliações para descartar outras doenças orgânicas, como abuso de álcool, e outros transtornos psicológicos, como depressão e síndrome do pânico. 

Quais são as causas do estresse pós-traumático?

Por volta de 20% das pessoas que sofreram algum evento traumático desenvolvem o distúrbio. No entanto, é importante ressaltar que boa parte só busca ajuda alguns anos depois das primeiras crises. Entre os principais tipos de acontecimentos que podem gerar o transtorno, estão:

  • violência urbana;
  • agressão física;
  • abuso sexual;
  • tortura;
  • terrorismo;
  • sequestro;
  • guerra;
  • acidentes;
  • catástrofes naturais ou provocadas.

No geral, qualquer evento traumático pode desencadear o problema. Além disso, não necessariamente precisa ser algo que aconteceu com a pessoa em si, ou seja, ela pode ter presenciado um evento difícil com outros indivíduos ou ter sido informada sobre o mesmo (agressões ou sequestro, por exemplo).

Qualquer indivíduo exposto a algum tipo de trauma psicológico pode desenvolver o transtorno, mas um dado importante é que as mulheres são duas vezes mais atingidas do que os homens.

Qual é o tratamento para o estresse pós-traumático?

O tratamento do estresse pós-traumático visa ajudar o paciente a controlar o medo e a angústia, sendo capaz de lidar com os sintomas do distúrbio. É importante buscar orientação de profissionais como psiquiatras e psicólogos para que seja estruturado um plano de tratamento individual.

O mais comum é que sejam realizadas sessões de psicoterapia, principalmente por meio do método de terapia cognitivo comportamental. Além disso, em alguns casos pode ser necessário o uso de medicamentos antidepressivos, ansiolíticos ou outros tipos que aliviam os sintomas do transtorno.

Onde encontrar um psicólogo para tratar o transtorno?

Além das indicações de amigos e familiares, você pode contar com plataformas online para encontrar o seu psicólogo e começar o seu tratamento. Hoje em dia, é possível realizar sessões online ou presencialmente, o que facilita bastante o processo para muitas pessoas.

Independentemente do formato, o mais importante é não ignorar os sintomas e procurar ajuda o quanto antes para melhorar o bem-estar e a qualidade de vida!

Bruna Cosenza

Recent Posts

Telepsicologia no Brasil e o novo atendimento psicoterapêutico

A telepsicologia já é uma realidade no nosso país. Com os avanços da tecnologia, o…

1 semana ago

Como funciona a psicologia experimental?

A psicologia experimental é uma metodologia que, para entender como mente e comportamento estão conectados,…

2 semanas ago

Como parar de roer as unhas?

Pesquisas apontam que por volta de 30% da população mundial costuma roer as unhas, um…

2 meses ago

Como reconhecer a ansiedade noturna? Veja causas e tratamentos

O sono é necessário para todos os seres humanos se sentirem dispostos e energizados. No…

2 meses ago

ANS determina o fim do limite para consultas com psicólogos

Na última segunda-feira (11), a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) decidiu em reunião extraordinária…

3 meses ago

Mulheres na tecnologia: os desafios femininos no setor

Entenda os desafios das mulheres na tecnologia e as razões pelas quais é, muita vezes,…

6 meses ago

Já fez Terapia Online? 😉

Começar agora!