A-Jornada-do-Cuidador-Emocional

A jornada do cuidador emocional

O ato de cuidar está na essência do humano, nos enobrece, é um exercício de humanidade. Num primeiro momento somos cuidados. Mas tão logo sejamos capazes, seja a criança a cuidar de uma boneca, de um brinquedo, de um bicho de estimação ou de pelúcia, essa dinâmica é exercitada e aprendida. Na medida em que cresce, a criança é instigada a colocar-se no lugar de cuidadora e com o tempo, essa função estará tão presente que nem sequer percebemos, simplesmente executamos. Portanto, somos cuidadores desde muito cedo e isso nos define como espécie, cuidamos dos nossos, cuidamos de pessoas próximas e de pessoas desconhecidas. Seja uma mãe, um professor, um terapeuta, uma enfermeira ou alguém na rua, todos cuidam e por certo os cuidados são muito bem vindos.

Não precisamos de cuidados apenas quando estamos doentes ou quando estamos tristes, precisamos de cuidados para não ficarmos doentes e nem tristes, precisamos de cuidados para sermos melhor direcionados em nossas escolhas e decisões, precisamos de cuidados para sermos felizes e termos uma boa vida. Seja no âmbito pessoal, profissional ou social. Os cuidados nos tornam humanos assim como nos mantém como tal.

Cuidar de Si Mesmo

Quando você ainda não consegue andar com suas próprias pernas, precisa do outro para te carregar, contudo, logo que consiga se manter em pé e caminhar, a jornada passa a ser cada vez mais sua própria responsabilidade. A cada dia que passa você precisa tomar conta de si mesmo, e fazendo isso você começa a se conhecer cada vez mais, fator imprescindível para a liberdade e a felicidade. E antes mesmo de cuidar de alguém você precisa a aprender a cuidar de si e conhecer a si. Essa é uma jornada entre o cuidar de si e o cuidar do outro que estarão sempre se cruzando, e por vezes você pode até não estar cuidando do outro, mas jamais poderá deixar de cuidar de si mesmo. Todo o ferramental do cuidador de si, será utilizado também para o cuidador do outro.

Mantenha isso sempre em mente

O conhece-te a ti mesmo estará sempre caminhando junto com o cuida de ti mesmo. E esse é um exercício para toda a vida.

Cuidar do Outro

Cuidar do outro independente de quem seja, é um ato de humanidade, mesmo o cuidado com animais ou plantas. O cuidado é para toda a vida, seja o cuidar de si ou o cuidar do outro. A vida requer cuidado, requer proteção, a vida como sabemos todos carrega uma fragilidade maior do que gostaríamos de admitir. Enquanto pais, os cuidados com os filhos é para toda a vida, nos tornamos responsáveis e ocupamos de bom grado esse lugar. Quando assumimos esse posto, a ideia é que possamos ir até o fim, seja o fim da dor, o fim do problema ou o fim da própria vida. Cuidado está intimamente ligado com a Cura. Em italiano por exemplo, que vem do latim, Cura significa cuidado. Seja a cura do corpo, da alma ou a cura emocional. O cuidado cura e a cura cuida. Sempre preservando a vida, preservando o bem estar, preservando o prazer e a felicidade.

Mantenha sempre em mente

Estar no lugar de cuidador é uma responsabilidade que você precisa assumir e verdadeiramente enxergar o outro em suas reais necessidades. O seu papel como cuidador não é influenciar o outro, mas sim ajuda-lo a descobrir por si mesmo como tomar as suas próprias decisões e cuidar de si de forma saudável.

Cuidar da natureza

Para fechar a tríade dos cuidados, não podemos esquecer da casa de todos nós, a Terra. Cuidar da natureza faz parte da nossa jornada de cuidadores. Assim como o ser humano não vive sem cuidados, também não vive sem a natureza, sem nosso planeta. Respeitar a natureza, cuidar da natureza, consumir de forma consciente, preservar todo tipo de vida, cuidar de todo tipo de vida, estes também são pré-requisitos para tornar-se um bom Cuidador Emocional.

Mantenha sempre em mente

Todas as formas de cuidado precisam caminhar juntas e são os pilares dessa fortaleza que você irá construir dentro de si.

Cuidar do outro é uma questão de amar a humanidade, de amar aquela pessoa que está na sua frente precisando de ajuda. Normalmente cuidamos melhor das pessoas que amamos, e quando nos colocamos nesse lugar de Cuidadores Emocionais, o amor precisa estar sempre presente, por mais que seja uma profissão, o amor é o ingrediente que faz tudo acontecer de um jeito mais leve e impactante. Quem ama cuida, já ouvimos falar e quem cuida também precisa amar. Se o cuidado é o fio condutor, o amor é a eletricidade que faz tudo acontecer. Quando você apenas exerce a sua profissão racionalmente você está a prestar cuidados, e não a cuidar. Portanto, não se pode cuidar sem o sentimento e a conexão que o amor proporciona.

Cada cuidador tem sua função e seu grau de envolvimento. O cabelereiro cuida o seu cabelo, a manicure cuida das suas unhas, a enfermeira cuida do seu bem estar, o médico cuida do seu corpo, o terapeuta cuida da sua mente. Sem dúvida cuidar do seu corpo é algo que expõe sua intimidade, mas de modo geral estamos muito mais acostumados. Contudo, nossa mente é algo muito mais íntimo e nem sempre acostumados a olhar ou expor. Portanto, todo Cuidador Emocional precisa ter isso em mente, olhar para o mundo interno do outro é sempre um processo delicado e precisa ser feito com muito respeito. Porque ao contrário de um corte no dedo, uma enxaqueca ou um incômodo no estômago que você talvez tenha noção de como é sentir, uma dor emocional é algo muito particular, por motivos muito particulares e que daquela forma que o outro está sentindo, talvez você não faça a mínima ideia de como é sentir o que a pessoa está sentindo. E por vezes, não é nem uma questão de colocar-se no lugar do outro, mas colocar-se ao lado dele e ouvir e mostrar que está verdadeiramente ali para ajuda-lo em sua superação.

Odair Comin | Psicólogo Clínico e Hipnoterapeuta

Avalie esse artigo:

Comentários:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments