Coronavírus - Um convite para a jornada da alma

Coronavírus – Um convite para a jornada da alma

28 de fevereiro de 2020 – 1º primeiro caso de coronavírus no Brasil;
31 de março de 2020 – 5.744 casos de coronavírus no Brasil;
30 de abril de 2020 – 85.507 casos de coronavírus no Brasil;
31 de maio de 2020 – 514.200 casos de coronavírus no Brasil;
30 de junho de 2020 – 1.402.041 casos de coronavírus no Brasil.

Há um grande protagonista aqui nesse cenário, não percebido com os olhos, não dito pela mídia e não mensurável: o sentimento.

Quanto maior o crescimento dos números acima, maior a instabilidade emocional dos seres humanos. Esses números são somente uma pontinha no iceberg, pois além deles há diversas outras perdas e ganhos envolvidos. Há uma outra questão importante nesse cenário: a dificuldade de desligarmos o modo racional de ver os fatos, e nos entregarmos ao convite de mergulhar naquilo que é simbólico.

Esta é a reflexão que eu desejo a você com este texto.

Uma reflexão em meio ao coronavírus

Quero te convidar a se desligar por alguns minutos e fazer um mergulho interior, por meio de algumas imagens.

Para Jung, um processo de transformação psíquica muito se assemelha, resumidamente, às principais fases Alquímicas: Nigredo, Albedo e Rubedo. Que é essencialmente um processo simbólico de transformação de materiais inferiores em Ouro. Levando em consideração que a nossa psique é um campo de imagens, é por meio delas que vamos fazer essa viagem que oscilará entre inconsciência e consciência.

É difícil não se abalar com as imagens de enterros coletivos, rostos desesperados, empresários falindo, crise política, violência de protestos. Uma imagem atrás da outra, uma tragédia atrás da outra.

Pausa (separação do mundo para olhar para si)

Nesta primeira fase de transformação, chamada Nigredo, é quando a realidade cai igual a uma pedra na nossa vida, trazendo consigo a dor, o machucado, o ferimento. Essas sensações são geradas pela morte concreta ou pela morte simbólica. Essa primeira fase é muito sofrida, pois o indivíduo (e neste caso também o coletivo) se depara com muita dor, emoções negativas, sombras. Parece um beco sem saída.

Aqui há uma falta de energia, até mesmo para buscar uma ajuda, e normalmente acontece uma entrega a dor, depressão, melancolia, desilusão, silêncio, falta de ânimo. Na Alquimia, este processo se dá por meio da substância Enxofre. Nesta fase o mais indicado é a pessoa dar um tempo para si, não tomar decisões, se afastar por um momento, pois aqui é muito fácil confundir o que é seu com o do outro, e acabar denegrindo relacionamentos.

Pausa (destilação para entender o que é meu e o que é do outro)

Contudo, em meio ao sofrimento, chega um momento que a situação começa a clarear, tornar-se mais conhecida, e nessa fase é o momento de colocar a dor para fora, deixando acontecer uma espécie de “lavagem”. É muito comum observar o choro nesta fase, como uma forma de se reintegrar. E assim, aos poucos se abre o espaço para o conhecer (co-nascer), por meio de algumas indagações: Qual é a minha participação nisso tudo? Como posso realizar essa travessia? O que não serve para o meu crescimento pessoal que posso deixar de lado? Surge assim, o espaço para emergir o novo. O esforço já não parece tão grande. E aqui, se inicia a segunda fase da transformação, denominada Albedo.

As imagens que remetem a essa etapa, podem ser os rostos mascarados, introspectivos, o isolamento em nossa morada (física e psíquica), a atenção aos sentimentos que mais perturbam. Essa fase é como se tivesse uma porta chamada emoção se abrindo e fechando, representada pela fluidez da água, que vai e vem, às vezes acontece um retorno para a primeira fase e logo um retorno para a segunda fase. O famoso pêndulo do perceber e não perceber.

O cenário coronavírus

O cenário coronavírus nos convida a entrar nesses dois primeiros estágios, no qual temos que ficar isolados em nossa morada (de lar e de alma), e há uma percepção forçada em relação aos sentimentos. Aqui vale a pena ressaltar o aumento de casos de pessoas buscando ajuda psicológica neste momento de pandemia. Há empresas de teleatendimento psicológico que afirmam ter recebido 150% a mais de demandas neste período. A busca de ajuda é fundamental quando estes dois primeiros estágios causam sensações muito intensas. Eu costumo dizer que o momento para se buscar uma terapia é quando percebemos nossas emoções se manifestarem de forma exagerada, e com isso, prejudica a própria pessoa, ou as quais ela se relaciona.

Esta fase da Alquimia, chamada de Albedo, é caracterizada pela mistura do Mercúrio a prima matéria, ele é como um mediador que facilitará a reconstrução, a qual pode levar tempo, pois é preciso identificar o que está no inconsciente, e trazer para a consciência. Normalmente nos deparamos com conteúdos desconhecidos que nos acompanharam, e criaram forma, ao longo de nossos anos vividos, e não é uma simples mudança que ocorre de um dia para o outro. Cada transformação leva o seu tempo.

Pausa (transformação: união daquilo que causou a separação, mas de forma diferente)

Na última fase deste processo alquímico, acontece a fase denominada Rubedo. Nessa fase é muito importante experimentar-se, pois com a energia que vem, é possível descobrir o novo. Rubedo, vem do rubro, vermelho, energia, conectando o branco com o vermelho e resultando na transformação da matéria: iluminação (A Grande Obra), em outras palavras, no nosso tesouro interior. Transformar é ser o que já era, sem precisar forçar isso. É como um diamante que vai sendo lapidado.

Este processo de transformação é cíclico, seja para a humanidade, para um país ou mesmo para o indivíduo.

A vida é bela quando podemos olhá-la como um eterno aprendizado. Ou seja, entre altos e baixos, aproveitando os momentos felizes, sabendo que sempre haverá uma nova situação, a qual despertará novos sentimentos. Assim, tudo é impermanente e cíclico.

Que este momento de aprendizado causado por um pequeno grande vírus, desperte muitas transformações e sejamos cada vez mais conscientes da Beleza das nossas almas, seja no coletivo ou no individual.

E você, como tem se cuidado nesse período de quarentena do coronavírus?

Finalmente, não hesite em buscar a ajuda de um psicólogo. Isso porque o autoconhecimento e a reinvenção de si mesmo tornam-se ainda mais importante diante desta crise.

É na beleza da alma que mora a essência da vida, e como disse Jung: “Sou eu próprio uma questão colocada ao mundo e devo fornecer minha resposta; caso contrário, estarei reduzido à resposta que o mundo me der”.

Avalie esse artigo:

Comentários:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments