Credibilidade e Liderança_ Uma perspectiva psicológica_

Credibilidade e Liderança: Uma perspectiva psicológica.

A credibilidade é um dos atributos mais fortes da liderança. É a base da confiança. Sem ela, não há vínculo e, consequentemente, a relação de liderança não se forma de maneira saudável.

Existem vários relatos, e exemplos de supostos líderes que tentam exercer suas lideranças e acabam por impor, forçar, ameaçar. Mas essas são ferramentas primitivas que podem parecer funcionar bem num determinado momento, muito pontual e específico, mas não se sustenta quanto ao desenvolvimento de maturidade do time e, consequentemente, logo desmorona.

Aquele que exerce uma liderança, consegue fazê-lo, porque se tornou objeto comum de desejo daqueles que lidera. Ou um objeto transitório de desejo, no qual é considerado como o meio para alcançar o que se deseja.

Explicando de uma outra forma: O líder se torna líder, quando transmite a credibilidade à cada um de sua equipe, que pode ajuda-los a chegar onde precisam.

Como a equipe vê a liderança?

Aqueles que estão em sua equipe esperam que a sua liderança os conduza a seus objetivos que consistem em satisfazer seus próprios desejos. Desejos esse dos mais variados possíveis, podendo ser desde a manutenção de sua vaga até um direcionamento para galgar os mais altos patamares da empresa ou ter uma carga horária menor para conseguir passar mais tempo com a família, por exemplo.

Não há limites nem regras para os desejos e objetivos de cada um.

Dessa maneira o líder fica nesse meio, fazendo o jogo de desejos e realizações, bem como servindo de objeto referencial de transferências de sentimentos, continuamente.

Tudo isso se passa de maneira inconsciente, simbólica, e o líder que tem dificuldade em lidar e perceber esse mar de afetos acaba misturando suas questões e sentimentos com as questões que surgem no dia a dia da operação que, sabemos bem, não é fácil. Se considerarmos o nível de estresse que muitas vezes se instaura, potencializando as emoções de todos, fica ainda mais complicado administrar todas essas emoções.

Entretanto o líder que, consegue elaborar seus afetos, aos poucos, vai percebendo a necessidade de cada membro de sua equipe e, dessa maneira, tem condições de se posicionar frente às demandas de forma consciente e emocionalmente madura. Esse tipo de posicionamento, aliado com os conhecimentos técnicos e específicos de cada área de atuação, vão os poucos e finalmente, formando um conceito de credibilidade no grupo. Que deverá ser, sempre, cuidadosamente mantido para uma boa gestão das pessoas.

Autoconhecimento e seus benefícios para as lideranças

Para chegar a esse ponto, o caminho principal é o autoconhecimento. Conhecer-se bem é fundamental para exercer uma boa liderança. Entretanto, elenco abaixo alguns pontos que podem auxiliar nesse caminho:

  1. Carisma: buscar encantar as pessoas com alegria e entusiasmo.
  2. Empatia: a famosa frase “se colocar no lugar do outro”, é muito importante. Mas verdadeiramente. Busque entender, realmente, o que cada um de sua equipe realmente precisa.
  3. Ser fiel ao discurso: “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”, não funciona pra ninguém. O time sempre buscará seguir os exemplos do líder. Portanto, seja fiel a seu discurso e seja exemplar.
  4. Positivo: Buscar o lado bom das coisas. As dificuldades vão surgir naturalmente. Não é necessário que crie mais, com climas de tensão, medo e estresse. Buscar melhorar as tensões, ver as perspectivas boas e direcionar o clima para um ambiente leve de positividade, pode ajudar bastante.
  5. Gratidão: Agradecer ao esforço da sua equipe é, minimamente um ato de boa educação. Por menor e mais simples que possa parecer, agradeça. Você nunca sabe o esforço que aquela pessoa fez para concluir aquela tarefa. Lembre-se que cada um tem um limite e uma capacidade diferente.
  6. Celebre: As celebrações têm a função de marcar as passagens. Tornam-se rituais que têm grande valor simbólico. Não precisa ser algo grandioso. Mas celebrar cada pequena vitória geralmente é muito significante para o time.

Fábio Bertacini.

Avalie esse artigo:

Comentários:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments