Depressão na terceira idade

Durante toda a vida estamos pré-dispostos a alterações na rotina e mudanças no corpo. Na terceira idade essas mudanças ocorrem também, e em alguns casos é tão grande que se o individuo não se prepara, e não aceita essas mudanças, logo elas podem lhe causar grande sofrimento e comprometendo sua vida social.

Bom, mas qual a relação disso com a depressão? Muita! E se você quer entender, peço que acompanhe as próximas linhas, pois esse texto é para você que já chegou à terceira idade e também para quem um dia irá chegar e quer se preparar.

No Brasil a população acima dos 60 anos de idade tem aumentado significativamente. Em 1980, haviam 7 milhões de idosos, atualmente, são cerca de 28 milhões, correspondendo a 13 % da população total. Estima-se que, para o ano 2050, haverá, no Brasil cerca de 2 bilhões de idosos. 

Muitos idosos apresentam algum problema psiquiátrico ou neurológico, entre eles um dos que merecem grande atenção é a depressão, pois ela atinge uma parcela considerável desse público e que é um dos transtornos com maiores chances de tratamento. Apesar de maior pré-disposição para desenvolver algumas doenças na terceira idade, é importante esclarecer que não se pode afirmar que envelhecer seja sinônimo de adoecer, especialmente quando as pessoas desenvolvem hábitos de vida saudáveis. No entanto, alguns fatores podem influenciar para uma maior disposição a doenças ou transtornos psiquiátricos como a depressão.

E quais são os fatores que podem pré-dispor o idoso a uma depressão? 

  •       Condições médicas como Parkinson, demência ou infarto;
  •      Mudanças de papéis sociais, por exemplo o idoso que trabalhava desempenhando um cargo importante em uma empresa, se aposenta e começa a ter sentimentos de inutilidade ao ficar em casa sem nenhuma atividade;
  • Uso de alguns medicamentos para tratamento de hipertensão;
  •   Ausência de práticas de atividades físicas ou sociais em alguns casos há alterações orgânicas e físicas que incapacitam a pessoa a realizar atividades que antes lhe davam prazer;
  • Perdas progressivas – do companheiro e dos laços afetivos;

·       Na terceira idade a depressão pode ser mais severa, tem maior duração e é mais incapacitante do que em outras fases da vida. Além dos sintomas comuns, o idoso tem queixas somáticas, hipocondria, baixa auto-estima, sentimentos de inutilidade, humor disfórico, alteração do sono e na alimentação, e em alguns casos  pensamentos recorrente de suicídio. Por isso é muito importante que a pessoa busque se preparar para as mudanças que ocorrerão em sua vida devido à idade e principalmente busque o tratamento adequado quando perceber sintomas depressivos. Em alguns casos é necessário a combinação do tratamento farmacológico e psicológico, portanto se você tem apresentado sinais de depressão ou conhece alguém nessas condições não deixe de procurar um profissional da área da saúde.

Algumas dicas para uma vida mais saudável na terceira idade:

Muitos estudos revelam que atividades sociais podem contribuir para a melhora na qualidade de vida do idoso, como por exemplo, atividades físicas, lazer, práticas religiosas e serviços voluntários, tais atividades podem evitar sintomas de depressão no idoso que com a aposentadoria pode enxergar a terceira idade como o fim de sua vida, por não desempenhar o mesmo papel na sociedade como anteriormente.

Portanto…

·         Busque apoio social, tanto da família e amigos é muito importante que o idoso construa vínculos sociais para que se sinta apoiado e acolhido nesses contextos;

·         Se possível buscar atividades físicas, atualmente existem diversos locais que oferecem aulas de ginástica, hidroginástica, dança ou até mesmo uma simples caminhada pode contribuir para qualidade de vida da pessoa;

·         Caso haja um comprometimento físico o qual impeça o idoso de realizar atividades físicas, outra alternativa é envolve-lo em atividades recreativas e lúdicas em que exercitem o cérebro como por exemplo atividades artesanais, leituras e jogos tais atividades também podem retardar o inicio de problemas cognitivos;

·         Boa alimentação, existem alimentos que podem contribuir para a produção de neurotransmissores responsáveis pela sensação de prazer e bem-estar, além de que uma alimentação saudável pode ajudar para melhores níveis de concentração e memória que podem estar comprometidas na velhice.

Portanto, busque sua felicidade independente da idade, a qualidade de vida necessita estar presente em todas as fases da vida, portanto, não tenha medo de buscar ajuda se for necessário para que tenha dias melhores…

“Envelhecer é uma dádiva que deve ser encarada não como uma perda de habilidades, mas como uma oportunidade para transmitir os conhecimentos adquiridos ao longo da vida”! (Autor desconhecido).

Avalie esse artigo:

Comentários:

Please Login to comment