Em busca da felicidade

Todos dizem que estão em  busca da felicidade. Mas o que realmente buscam?

Tem muitos livros falando de sucesso e felicidade mas que não falam dos fracassos, das dores e sofrimentos que fazem parte de nosso dia a dia.

A propaganda e os perfis das redes sociais mostram  as pessoas muito felizes e radiantes, sorrindo, aproveitando a vida. E, aqueles que não se sentem assim, se acham as piores das criaturas. Porque se todos são tão felizes e realizados tem algo de errado com ela. Mas na maioria das vezes é propaganda enganosa. 

Ninguém consegue manter um estado de felicidade contínuo. Viver é encarar frustrações, sofrimentos, insucesso e fracassos, aceitar que nem sempre a vida é fácil, cheia de alegrias e realizações. Temos que lidar com nossas  emoções  o tempo todo, como se fosse uma montanha russa, com altos e baixos. Também temos que lidar com nosso corpo que nem sempre está bem disposto e saudável, o que atrapalha nosso bem estar. 

A busca da felicidade para cada um também é definida de formas diferentes. Para alguns ser feliz é ter muitos bens, coisas valiosas  e de marca, é estar na moda e isto vai custar muito trabalho, esforço e dedicação. O que pode acabar não sobrando muito tempo para apreciar os bens acumulados. E, de acordo com os estudiosos da felicidade, bens materiais são o que menos trazem felicidade. Outros acreditam que a felicidade é a paz de espírito, o bem estar, a busca do equilíbrio emocional. Mas isto também dá um trabalho enorme. E não se mantém constante. É uma busca contínua. 

Então a felicidade não se conquista de forma fácil e é sempre passageira. São momentos que passam e voltamos ao desequilíbrio. Ninguém consegue ser sempre feliz. Além de uma tendência do nosso cérebro para reter mais emoções negativas que positivas, temos que lidar com uma série de situações em nossas vidas que nos desviam da felicidade. Então, achar que temos que estar bem o tempo todo, é algo que não existe, a não ser na propaganda e nas redes sociais em que todos parecem muito bem.Tristeza, ansiedade, mal estar, cansaço, medo fazem parte de nosso dia a dia. Temos que lidar com isto. 

Por acreditarmos que a felicidade é um grande momento, não damos valor às pequenas satisfações do nosso dia a dia. Colocamos um nível muito alto de expectativa do que seja ser feliz e não nos satisfazemos com pequenas coisas. Buscamos a felicidade plena que nunca vamos encontrar porque ela não existe. 

Mas, assim como não há bem que sempre dure, não há mal que nunca se acabe. 

Se identificou com o tema? Clique aqui para agendar sua consulta com a psicóloga Salete Boucault

Avalie esse artigo:

Comentários:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments