estar sozinho

Estar sozinho

 Estar sozinho. Pensar nesta condição pode parecer tão inoportuno em meio a prioridades da vida, mas mesmo assim é possível afirmar que muitos de nós optaram em ficar sozinhos, a comodidade da tecnologia tem nos aproximado de quem queremos nos relacionar e nos afasta de quem não queremos nos aproximar, simplesmente pela tecla Delete, e outras comodidades de possíveis confortos e adaptações a própria casa\apartamento, são opções existentes  nos nossos dias, apesar de algumas pessoas se adaptarem ,trago para debater o assunto que aparentemente fingimos não incomodar com tantos disfarces do cotidiano .

Você já parou para pensar porque está sozinho (a)?

Posso lhe adiantar que a resposta está relacionada a um momento, um período e que são inúmeras as razões por mais incomodo que possa ser de experenciar tal fase, exemplo: por empenho a carreira, por situações familiares, de adaptação a uma nova cidade em caso de mudança. A condição de se ver  sozinho (a) ainda aflige a diversas pessoas parece trazer sentimentos de não ser atraente, de não ser agradável, de não ser inteligente e tantas outras características , de nossas reais habilidades , leva muitos a afirmarem não serem não ser capazes de manter alguém ao lado, no entanto uma forma equivocada de se avaliar, conforme abordado anteriormente. Infelizmente ao se convencer de tal “incapacidade” realmente podemos afastar ou não atrair as pessoas.

Se você está sozinho (a), sabe dizer em qual momento se encontra?

É de suma importância se inteirar de qual é este momento, para uma possível reflexão, em alguns casos cabe uma viagem, espairecer para se olhar em novos contextos em outros casos considerados mais difíceis de vivenciar o luto de separações e términos de namoros conflitantes, oriento uma intervenção profissional, através de psicoterapia, pela condição da pessoa não se sentir capaz de superar sozinho (a), de seguir sem apoio e assumir a necessidade de ajuda. O motivo de fazer este alerta se deve a visão que comumente as pessoas nos apresentam, me refiro a indagações de amigos, familiares, pessoas do trabalho e de nós mesmos (conceitos que formamos ao longo da vida), traduz quase sempre que não podemos estar só.

É indicado que possamos buscar a nós internamente enquanto vivenciamos o luto, descobrir belas características próprias neste estado, nesta condição, explorar gostos e habilidades que enquanto namorava ou estava casado não era permitido ou não se permitia. Exemplo: jogar vôlei um dia na semana a noite, andar de bicicleta com um grupo desconhecido, escrever diversos artigos, viajar para determinado local, frequentar um determinado bar ou danceteria, ouvir determinado ritmo de música e tantos alternativas.

Dividir seu ser com outra pessoa é sempre visto como favorável nos remete ao sentimento de ser cuidado pelo outro, de ser esperado pelo outro, ser melhor considerado pelo meio social, compartilhar bons momentos ou até momentos complicados junto a alguém,  é o intuito, porém o fato de dividir traduz o significado de soma, ou seja ,o chamado mais um em nossa vida, a parceria, que não depende de uma pessoa e sim de duas para fluir ou  “dar certo” enquanto durar.

É preciso ter claro que não somos responsáveis unicamente por estar ou não sozinhos, a união se origina de vários fatores como: abertura a interação pessoal, resolução de um relacionamento anterior, afinidade, atração entre outros.

Se você não se vê disposto a buscar alguém agora, pode significar a necessidade de viver um período de recolhimento e aqui sim, cabe dizer não se sentir capaz de emergir nenhum destes aspectos, isto por sermos humanos e termos nossas limitações ao tempo, necessário para fechar uma ferida e nos reencontrar como pessoas prontas para uma nova relação. Neste contexto vamos explorando nosso interior e lidando com o dia e a rotina, de formas e maneiras adaptáveis, por vezes nos reconhecemos e por vezes  descobrimos, as chamadas surpresas da caminhada.

A) Você acredita que pode se reinventar, por se ver sozinho (a)?

Se a resposta for afirmativa deve olhar ao redor, não se recolher em sua casa, aproveitar sua família, seus amigos, seu bairro e ou descubra novos caminhos.

 B) Você está sozinho (a), mas não se vê neste momento em condições de trilhar sem ajuda?

Neste caso, não hesite em esclarecer suas dúvidas, coloco-me a disposição para conversarmos em sessões que podem lhe propiciar a superação que tanto busca, mas que depende unicamente de nós mesmos!

Se identificou com o tema? Agende agora a sua consulta com a psicóloga Cristiane Evangelista!

Assine nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de nossos conteúdos e novidades!

Avalie esse artigo:

Comentários:

Please Login to comment