Maternidade saudável: mãe feliz, filho feliz

Maternidade saudável: mãe feliz, filho feliz

Em minhas buscas de informações por aí, percebi um ponto bastante interessante e que quero conversar com vocês. Existem diversas fontes de informações para orientar mães e pais nos quesitos parto, amamentação, introdução alimentação, educação dos filhos, carreira profissional, entre tantos outros. Mas sobre a saúde mental na gravidez ou da mulher na maternidade, quase ninguém fala. Eis o tema deste texto: maternidade saudável, de corpo e alma.

O tabu da maternidade saudável

Sinto como se olhar para as demandas emocionais de uma mãe fosse um grande tabu, como se fosse um tema muito delicado ou sensível. Parece que conversar sobre esse assunto desvia a atenção ou diminui a importância dos cuidados com o bebê.

Uma coisa está ligada a outra, elas são complementares, mas socialmente ainda vejo uma ideia de que a mulher que é mãe precisa estar 100% pronta para gerar, cuidar, alimentar e educar, custe o que custar a ela.

Não concordo com esta ideia e por isso tenho falado tanto da saúde mental das mães. Acredito sim que, para a saúde plena do bebê e da família como um núcleo, a mulher precisa estar bem. E estar bem entendo por equilibrada, feliz, forte diante dos desafios.

Maternidade saudável: os desafios

Minha experiência como mãe só me confirmou esta ideia, de que a mãe estando bem, pai e filhos também estarão. Ou seja, temos um importante papel de gerar harmonia para nossa família, e harmonia traz saúde, alegria e paz.

Tão importante quanto o pré-natal médico para uma boa gestação e formação da maternidade, é o pré-natal psicológico. Falar dos sentimentos e dar atenção às emoções faz de nós mulheres mães e futuras mães, mais fortes e mais espertas para superar as dificuldades.

Sentir é um privilégio, nos faz seres melhores. Calar sentimentos ou menosprezar não os extingue, e sim os coloca debaixo do tapete. Tapete este que, um dia, de tão cheio você tropeça e leva um tombo feio, com ferimentos graves. E tudo isso pode ser evitado.

Buscando ajuda

Por isso acredito cada dia mais no meu trabalho com gestantes e mães recentes, pois este período da maternidade deixa janelas abertas de oportunidade de elaboração de conteúdos que vão nos fortalecer, amadurecer, nos fazer mais seguras e felizes.

O amar começa dentro de nós, para então trasbordar e abranger o que está fora. Pensem com carinho nisso!

Avalie esse artigo:

Comentários:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments