Meu-psicologo-pode-atender-meus-familiares-e-amigos_-Veja-como-funcionaMeu-psicologo-pode-atender-meus-familiares-e-amigos_-Veja-como-funciona

Meu psicólogo pode atender meus familiares e amigos? Veja como funciona

Autora: Kelly Justino Zago, CRP 06/143194, psicóloga, especialista no tratamento dos transtornos de ansiedade e síndrome do pânico, em psicanálise e terapia cognitivo comportamental e adepta à prática Mindfulness.

Conceito de Tratamento em saúde

Quando trago a palavra tratamento, o que vem em nossa mente? Possivelmente, virão pensamentos como: tratamento é a cura de uma doença, logo já relacionamos a doença com o hospital e o hospital com médico e médico com remédios. 

Na área da saúde, o tratamento é o conjunto de meios de qualquer tipo, sejam higiênicos, farmacológicos, cirúrgicos ou físicos cuja finalidade é a cura ou alívio de enfermidades ou sintomas, após a elaboração de um diagnóstico.

Medicina X Psicologia

Pensando na cura da enfermidade ou no alívio de sintomas, a psicoterapia se tornou uma forma de proporcionar isso. Ela é um recurso utilizado quando a enfermidade e sintomas são de condição emocional, mental ou psicológica. 

Na medicina, assim como existem doenças mais simples como um resfriado, existem doenças mais fortes e que causam sofrimento maior, como o câncer. Há doenças que podem ser curadas e doenças que não, no caso de doenças crônicas, como a diabetes. Quando falamos de doenças físicas, o recurso a ser utilizado é conhecido por todos: os remédios. 

Na psicologia, existem condições nomeadas de transtornos mentais, são de proporção maior, em grau de sofrimento e de interferência na vida social do sujeito, além disso, em muitos casos, os remédios são acionados também, para regulação de hormônios. Também existe a condição de sofrimento, angústia e que ainda não se trata de um transtorno mental, simplesmente pode ser a falta de consciência dos pensamentos e ações, é natural que em um processo de luto haja sofrimento e é natural pessoas buscarem a psicoterapia para isso. Também é esperado que quem tenha conflitos familiares e amorosos busquem a psicoterapia, assim como é esperado que alguém que tenha conflitos com a sexualidade, preocupações no trabalho, entre outras questões, venha a buscar psicoterapia. Algumas condições conseguimos modificar e outras apenas aprendemos como melhor lidar. 

Psicologia é ciência e é regulamentada

Quem é psicólogo precisa passar por em torno de 5 anos de formação e ao longo de sua graduação, irá entrar em contato com várias abordagens teóricas. Essas teorias oferecem métodos e técnicas para serem aplicados ao longo do tratamento psicoterápico. 

Veja esse trecho do Código de Ética:

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS

IV. O psicólogo atuará com responsabilidade, por meio do contínuo aprimoramento profissional, contribuindo para o desenvolvimento da Psicologia como campo científico de conhecimento e de prática. 

O trecho acima afirma que a Psicologia é ciência e que além da graduação, o psicólogo precisa se aprimorar cada vez mais, para oferecer um melhor atendimento. Além disso, toda a prática do psicólogo é embasada no código de ética profissional. E temos o Conselho de Psicologia que fiscaliza e orienta os profissionais da área. 

Meu psicólogo pode atender meus familiares e amigos?

A seguir um trecho do Código de ética que fala sobre isso:

DAS RESPONSABILIDADES DO PSICÓLOGO

Art. 2º – Ao psicólogo é vedado:

j) Estabelecer com a pessoa atendida, familiar ou terceiro, que tenha vínculo com o atendido, relação que possa interferir negativamente nos objetivos do serviço prestado; 

O fato é que não é proibido atender alguém em específico, porém, não pode haver relacionamento que afeta negativamente o tratamento do paciente. 

A seguir, uma orientação do Conselho em relação a isso:

“A decisão pelo atendimento é do(a) psicólogo(a), que considerará se o atendimento interferirá negativamente nos objetivos do serviço prestado, uma vez que não há nada na regulamentação que proíba especificamente o atendimento de familiares e/ou conhecidos(as).”

Vamos partir para dois exemplos, vejam:

Exemplo 1:

(Familiares e amigos do psicólogo)

Eu psicóloga, tenho um amigo de longa data, passamos por algumas situações e histórias em comum, de repente ele vem me pedir para que eu o atenda. Ao iniciar a psicoterapia vamos ter uma imagem de como é cada um de nós, eu então ficaria com alguns pontos cegos para serem analisados. Poderia fazer algumas perguntas íntimas para meu amigo onde, ele não se sentiria confortável de responder, já que às vezes pode refletir minha amizade com ele. Por isso, eu como psicóloga, não atendo amigos e familiares.

Exemplo 2:

(Familiares e amigos do paciente)

Eu psicóloga, estou atendendo você, e estou atendendo também o seu chefe ou seu pai. Você pode passar a temer que eu esteja passando alguma informação que eu recebi dentro do seu atendimento para essas pessoas e segundo o que pensa, isso poderá te prejudicar. Isso tudo trata-se de uma fantasia sua, pois o psicólogo deve garantir o sigilo da sessão. E nunca passará para outras pessoas informações dessa maneira. 

Veja o trecho a seguir sobre o sigilo do psicólogo:

DAS RESPONSABILIDADES DO PSICÓLOGO

Art. 1º – São deveres fundamentais dos psicólogos:

g) Informar, a quem de direito, os resultados decorrentes da prestação de serviços psicológicos, transmitindo somente o que for necessário para a tomada de decisões que afetem o usuário ou beneficiário;

Art. 9º – É dever do psicólogo respeitar o sigilo profissional a fim de proteger, por meio da confidencialidade, a intimidade das pessoas, grupos ou organizações, a que tenha acesso no exercício profissional.

Art. 10 – Nas situações em que se configure conflito entre as exigências decorrentes do disposto no Art. 9º e as afirmações dos princípios fundamentais deste Código, excetuando-se os casos previstos em lei, o psicólogo poderá decidir pela quebra de sigilo, baseando sua decisão na busca do menor prejuízo.

Parágrafo único – Em caso de quebra do sigilo previsto no caput deste artigo, o psicólogo deverá restringir-se a prestar as informações estritamente necessárias.

O psicólogo pode atender os parentes e amigos do paciente sim! 

Porém, se isso causa algum desconforto em você, como paciente, converse com o psicólogo e vocês verão o que é melhor a se fazer. 

Referências

ALMEIDA, Bruno. Por que o psicólogo não pode atender amigos e parentes? Disponível em: https://www.psicologiamsn.com/2014/09/por-que-psicologo-nao-pode-atender-amigos-e-parentes.html. Acesso em: 03 mar. 2021.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Código de Ética Profissional do Psicólogo, Brasil, 2005. Disponível em: https://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2012/07/codigo-de-etica-psicologia-1.pdf. Acesso em: 03 mar. 2021.

Contato

Site https://linktr.ee/psicokellyzago 

Whatsapp – 16 99460 2313

Facebook & Instagram – @psicokellyzago  

E-mail – psicokellyzago@gmail.com

Avalie esse artigo:

Comentários:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments