Mito da meditação: pensar em nada!

Você conhece o mito da meditação? Um mito deles é de que meditar controla o  pensamento.
Quantas vezes você já ouviu falar que alguém gostaria de meditar para fazer com que a mente “se cale”?
Quanto mais você tentar fazer isso, mais barulhentos seus pensamentos ficarão.
Simplesmente porque é impossível controlar os pensamentos a ponto que eles desapareçam por completo!
Esse mito criado faz com que muitas pessoas desistam logo quando começam a meditar.
E se eu te falar que no começo da meditação você tem a sensação de que seus pensamentos são gigantes, destruidores e impulsivos? Isso acontece pois tudo que a gente coloca atenção, parece ficar MAIOR.
Faça um pequeno exercício: opte por ouvir apenas um som do ambiente que você está agora. Pode ser o dos carros passando ou o latido contínuo do cachorro da vizinha. Concentre-se somente nesse som. Com o passar do tempo você vai ter a sensação de que ele ficou mais alto e mais perceptível. Mas não é verdade. Você apenas colocou atenção nele. O som estava ali o tempo todo, só que você não estava percebendo ele.
Exatamente o mesmo acontece na meditação. Quando a atenção passa a ser você e seus pensamentos, eles ficam mais claros e às vezes até parecem que estão berrando! Mas mantenha a calma, isso é perfeitamente normal.
Tive a honra de receber o conselho do Mestre Goenka em seu país natal, o Myanmar. Ele disse que quando um pensamento diferente chegar, ao invés de tentar expulsá-lo, botar pra fora ou ficar frustado, simplesmente sorria para ele. Isso significa que sua mente está funcionando perfeitamente, pois a natureza do pensar é vagante e transitória. Não tem como mudar.
Ah Lorena, já que esse é o mito da meditação, então é pra ficar sentada só viajando nos pensamentos?!
Não é bem assim! Toda técnica de meditação vai solicitar que você coloque sua atenção em algo. Seja ela no seu próprio corpo, respiração ou na imaginação. Então o grande esforço, na verdade, é o de sempre voltar a atenção para isso que foi solicitado. Quando sua mente vagar para um outro assunto, sorria e volte a atenção para o exercício.
Esse ciclo pode e vai acontecer inúmeras vezes. Não fique decepcionado que você não consegue ficar muito tempo focado em algo até se dispersar. A prática leva tempo. Aprecie o processo. Aproveite para se conhecer e ficar a vontade consigo mesmo.
Não faça meditação esperando chegar em algum estágio algum dia da vida. Cada pessoa tem uma experiência completamente diferente. Eu fiz o Vipassana, que é conhecido como um dos mais rígidos treinamentos de meditação durante 10 dias. Ao final, eu não encontrei ninguém que tenha tido a mesma experiência que eu tive.
O desafio é o de não ter expectativa sobre o que vai ocorrer. O que vai ocorrer está no futuro e você está no presente.
Faça a meditação gostando do seu efeito aqui e agora.
Se identificou com o texto? Clique aqui para agendar sua consulta com a Psicóloga Lorena Nascimento Guedes.

Avalie esse artigo:

Comentários:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments