O amor me disse Adeus

O amor me disse Adeus

Tudo esta tão frio e sem sentido. Os encontros, beijos, caricias, transa, tudo ficou vazio, como se eu estivesse oco. Para onde foi todo aquele fogo, paixão, desejo e amor?

Os beijos perderam o tom rubricado e passaram a serem simplesmente dois lábios se tocando. Os encontros de nossos corpos que antes dispunham de desejos ardentes com picos de grande euforia, agora foram substituídos por gélidos minutos, contando os segundos que faltam para que tudo aquilo termine, o estranho vista as suas roupas e se despeçam para nunca mais se verem.

O amor disse adeus, bateu a porta e apenas vi pelo buraco da fechadura o seu vulto se dissipando na neblina da alma. Procurei por algum recado, mas nada encontrei, ele disse apenas adeus e partiu. Para onde foi? Será que um dia voltará? Acho que esqueci qual era seu gosto… acho que esqueci como amar.

Teria Afrodite esquecido de mim?

Decido retornar a porta em que vi o amor indo embora. Abro-a e apenas vejo uma densa neblina, meus olhos buscam algum ponto porém nada vejo, caminho mas nada encontro. Então começo correr, o mais rápido que posso, mas nunca chego em lugar algum. Penso em gritar, talvez ele possa me ouvir, mas o que gritar, que nome chamar, a quem ou a o que devo clamar?

Fico ali, no meio da densa neblina da alma parado.

De repente um nome me vem em mente, um ligeiro sussurro em meus ouvidos, um sussurro de dentro para fora. Era o meu nome, o meu próprio amor havia partido, acabei negando- o e esquecendo em algum canto qualquer, e quando me deparei com a solidão era ele que  havia partido.

Agora é minha vez de me despedir. Digo adeus a um grande amor, preciso soltá-lo, pois já não vive, para que eu possa encontrar o meu amor próprio que esta escondido na neblina da minha alma.

Não sei quanto tempo ira demorar para te achar amor… para me achar… me amar… amar.Farei de tudo para me encontrar.

Avalie esse artigo:

Comentários:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments