O maior problema de qualquer empreendedor

O maior problema de qualquer empreendedor

Olá, o meu nome é Patrícia Grilli, sou psicóloga, psicodramatista, especialista em marketing, inovação e empreendedorismo. Me acompanhe nesta reflexão que vai colocar em cheque o senso comum sobre o real problema do empreendedor e de qualquer trabalhador, na realidade.

O principal problema dos empreendedores brasileiros

Todas as revistas especializadas dizem que o maior problema que os empreendedores enfrentam no Brasil é a falta de acesso ao crédito.  Acreditam que o Brasil tem leis muito complicadas, taxas altas e que dificultam, principalmente para os pequenos empreendedores, acesso a crédito suficiente para dar o start nos seus negócios sem comprometer a própria grana.

Outro problema muito grave é o fato dos empreendedores não buscarem estudar o seu negócio antes de começar a investir esforços nele.  O chamado empreendedorismo por necessidade ( e não por oportunidade) tem como característica  esse despreparo

A falta de consciência de acesso ao crédito, aliada ao desconhecimento sobre a importância de se planejar antes de agir, leva à triste constatação:  mais de 80% das empresas do Brasil fecham com menos de 5 anos de vida.  A fonte dessas informações é uma pesquisa realizada pelo Sebrae, chamada “Causa Mortis”,  e você consegue acessar digitando esse nome no Google.

Mas eu não vim aqui dizer o óbvio.  Essas informações você encontra em absolutamente qualquer site de Finanças ou de gestão corporativa.

Eu venho aqui dizer o REAL PROBLEMA:

Pessoas e a sua incapacidade de se auto gerir, ou a incapacidade de gerir outras pessoas. Tanto no que diz respeito à gestão administrativa,  de tarefas no dia a dia, quanto na gestão emocional.

A compreensão do negócio pelo dono

Existe um entendimento de que uma empresa é composta de recursos, pessoas e resultados.  Algumas culturas empresariais mais antiquadas se referem às pessoas enquanto recursos. (coisa que me deixa nervosa só de lembrar, preciso confessar a você)  E é exatamente essa herança que compara pessoas a coisas, o começo de muitos problemas relacionando pessoas e seus trabalhos.

As pessoas não sofrem no trabalho somente pela má gestão das relações, das tarefas e das emoções. Elas sofrem muito por não conseguirem administrar a própria vida, e permitem que o trabalho seja somente mais um ponto desarranjado, vão levando a vida como se não a comandassem… Ou fazem o extremo oposto e acreditam que a vida é uma planilha de Excel.

Escuto muitos problemas também em relação à autoestima das pessoas nesse ambiente, problemas relacionados à dificuldade de autogestão, problemas relacionados à sensação de incapacidade, brigas de poder,  abusos psicológicos, físicos e morais,  e uma total desconexão do escritório, com o mundo lá fora. Como se os trabalhadores, não “existissem” para além de seus papéis profissionais.

Minha proposta aqui com esse blog e com todo o meu trabalho é trazer às pessoas a possibilidade de criar experiências mais gostosas ao trabalhar. Trazer inspiração e força aos trabalhadores, os incentivando a escolher carreiras com objetivos maiores do que simplesmente ganhar dinheiro ou alcançar uma posição social (sim, no Brasil é difícil até isso, mas podemos querer mais).

Acredito que os trabalhadores podem ajudar a “salvar o mundo”, mas isso só vai acontecer se as nossas intenções forem nesse sentido.  Temos problemas econômicos, sociais, culturais, ecológicos e políticos, todos extremamente complexos e difíceis de resolver.

Digo que se todos nós pudéssemos colocar no trabalho um pouco da nossa intencionalidade de fazer do mundo um lugar melhor para todos, o resultado seria maravilhoso!!

Trabalho com saúde e sustentabilidade, com dignidade, salários que custeiem uma vida prazerosa, uma economia variada, coletiva e criativa: é isso que eu desejo para nossa vida.

Eu acredito que preciso ser responsável em compartilhar os meus conhecimentos sobre o universo do trabalho, relacionando a psicologia ao pensamento estratégico. Essa temática mexe muito comigo, me interessa e me encanta, pois trabalhar é uma das coisas que eu mais gosto de fazer na vida. E gostaria de transmitir à você que é possível fazer do trabalho algo melhor para sua vida.

E como e pretendo fazer isso:

  • Realizando psicoeducação sobre esses fatores que causam esses sofrimentos através do blog, vídeos no Youtube e conteúdos no Instagram;
  • Fazendo Rodas de Conversa Online, para ensinar educação emocional e relacional para empreendedores e trabalhadores em geral à baixo custo;
  • Oferecendo atendimento psicológico individual e grupal para empreendedores e trabalhadores;
  • Oferecendo mentorias profissionais, para que você possa treinar o seu papel profissional e melhorar estratégia por trás do seu negócio.

Conto com sua presença, engajamento e compartilhamento de dúvidas, para que nossa troca seja cada vez melhor.

Avalie esse artigo:

Comentários:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments