Os Conflitos do Divórcio

A palavra divórcio vem do latim divortium derivada de divertere o que significa “tomar caminhos opostos, afastar-se”. Atualmente é comum em nossa sociedade ver muitos casais separando-se, e muitas vezes passando por diversos conflitos após divórcio.
Os motivos podem ser dos mais variados tais como: Perda de amor, relacionamento extraconjugal, distanciamento sexual, brigas recorrentes, entre outros, resultando em um desajustamento conjugal.
Mesmo o casamento passando por uma fase ruim resultando em um divórcio, tal situação desencadeia um processo de luto devido ao fim da união. A maioria das pessoas acredita que os seus problemas serão totalmente solucionados com o fim do relacionamento, no entanto esquecem que devido ao processo de perda os sentimentos de tristeza e angústia intensa farão parte dessa fase tão delicada.

DE QUEM É A CULPA?

Quando um casamento resulta em divórcio a responsabilidade por tal situação é de ambos os cônjuges, mesmo que a princípio a culpa pareça ser apenas de um lado.
Tal fenômeno está relacionado a um acordo inconsciente, e isso é evidenciado na maioria das vezes pelo comportamento do casal, que sutilmente contribui para que de fato o divorcio seja o desfecho da relação.

O QUE FAZER?

Não existe uma formula mágica para fugir das angústias geradas pelo divórcio, sendo uma situação de perda o melhor a fazer é dar tempo ao tempo. Dependendo da situação em como foi o término do relacionamento, é normal ambos ou apenas uma das partes criar expectativa de uma possível volta, ou até mesmo não acreditar que tal situação esteja acontecendo, essa fase de negação é basicamente esperando no processo de perdas.
Diante de tudo isso o melhor a fazer é seguir em frente, se permitir a novas possibilidades, e se após um período não conseguir retomar a sua rotina, a terapia será um recurso importante nessa fase.
Vivencie novas oportunidades, retome projetos seja ele profissional ou pessoal, reaproxime-se de amigos e familiares, viaje para lugares que ainda não conheceu e participe ativamente da vida cotidiana dos filhos. Independente do rumo que optar, o importante é lembrar que cada dia é único e as experiências fazem parte do nosso processo de aprendizado e desenvolvimento.

SEJA FELIZ!

“Ao longo de nossa existência podemos amar milhares de vezes, mas temos de aprender que somos a nossa melhor companhia”.

Engrid Pires
CRP: 06/138894

Avalie esse artigo:

Comentários:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments