Quanto vale sua saúde mental?

4.7/5 - (4 votes)

O valor que cada um irá dar é diferente, mas todos concordam que vale muito. E quanto vale a sua? Em geral, as pessoas buscam cuidar da saúde mental quando têm um adoecimento, ou vivenciam isto com algum familiar próximo. Cuidar da saúde mental não deve ser deixado apenas para o momento que surja a ameaça da doença, mas é algo que pode ser feito no nosso dia a dia.

Vamos considerar como saudável o estado de equilíbrio, no qual seja possível desfrutar de bem-estar na maior parte do tempo. E ninguém melhor do que você para perceber como anda seu equilíbrio emocional. Ah, então não preciso ir ao psicólogo para avaliar minha saúde mental? Entenda que você percebe que algo não está bem, seja com você e muitas vezes com algum familiar, mas identificar e propor um tratamento é um trabalho que você deve contar sim com uma avaliação profissional. Então procure um psicólogo. O psicólogo é o profissional capacitado e que trabalha com empenho e muita satisfação para ajudar pessoas e irá te avaliar e propor um tratamento adequado.

Na rotina diária naturalmente ocorrem os desgastes, surgem as situações de estresse, levando ao desequilíbrio. E por isso se faz necessário investir para retomar este equilíbrio, afinal sua saúde mental vale muito. Você trabalha ou estuda muito todos os dias e por muitas horas. E o tempo de folga, descanso ou férias representa uma parcela bem inferior de todo período do ano. Você planeja e investe tempo e dinheiro para ter um descanso merecido e justo, e planeja uma bela viagem ou atividade que te permita aproveitar.

Agora, já imaginou se não tiver saúde para desfrutar disso?

E além disso, ficar dependente dos outros, ainda que seja de alguém da sua família. Certamente você não quer isso, mesmo sabendo que sua família irá acolher você. Então que tal parar para refletir sobre como sua vida está hoje, e pensar em mudanças consistentes para ela?

E saiba que você não precisa realizar ações e mudanças como destino final, e sim como meio de vida. Vou explicar melhor!

O fato de você trabalhar em uma profissão e não em outra, já tem um impacto na sua saúde e bem-estar. Se trabalha em algo que escolheu, tem uma chance maior de experienciar mais momentos felizes. Assim como, ao contrário, trabalhar em algo que não se ama pode se tornar fonte de frustração. Sendo assim, o fato de trabalhar em algo que te realize já é um modo de cuidar da sua saúde mental.

Um outro exemplo disso, também se dá em relação aos estudos. É muito curioso observar o discurso dos estudantes que estão no ensino fundamental ou médio. Muitos dizem não saberem para que estudam tantas disciplinas se não irão usar depois. Mas, vamos considerar que nossa maturidade naquele momento ainda está se desenvolvendo. Não temos uma visão de mundo tão ampla e reflexiva nesse período. Confesso que também pensei assim por muito tempo, afinal era uma criança. Mas apesar de não encontrar um sentido naquilo que estudava, o aprendizado se tornou satisfatório a medida que fez sentido e fez sentir.

Ingressar na faculdade ou curso técnico, como pré-requisito para escolher uma profissão. Isto é um passo importante e também tem relação com o valor da nossa saúde mental. Estudar aquilo que seja satisfatório representa um MODO DE CUIDAR DA SAÚDE MENTAL.

Poderia escrever inúmeros outros exemplos, mas vamos pensar somente em mais um exemplo; relacionamento.  Aqui cabe até um desdobramento da questão principal deste papo. Quanto vale a sua paz? Bem, construir e nutrir relações saudáveis também é essencial para sua saúde mental. Há relações que não escolhemos. A principal delas é nossa família de origem. Ah, lembrando também que não escolhemos nascer, mas calma, este argumento não muda muita coisa, pois a humanidade passou por isso. Podemos chamar até de não escolha. Mas as não escolhas podem ficar por aí. Você nasce em uma família e ali cresce de modo satisfatório, assim esperamos, e a partir disso vai construindo novas relações.

De acordo com as diferentes fases da vida de uma pessoa serão os níveis de autonomia e independência para escolhas. Se observarmos uma criança sob este ponto de vista, iremos perceber que o nível de escolha dela é mais reduzido em relação ao adolescente, que é inferior em relação ao adulto. Uma criança quando muito nova ainda não consegue expressar um mal-estar ou dor. Isto é algo que ela vai desenvolvendo ao longo da vida. E se tratando das emoções não é muito diferente. Neste momento, o adulto torna-se seu interlocutor para ajuda-lo a lidar com sua dor.

Já o adolescente desenvolve uma maior capacidade de realizar isto sozinho. O adolescente consegue comunicar ao adulto o que está sentindo, em muitas ocasiões, embora não em todas elas. Do mesmo modo, ele consegue fazer mais do que a criança pela sua SAÚDE MENTAL e BEM-ESTAR. Manter as relações que o incentivem a crescer e se desenvolver é valorizar a sua saúde. E o adulto? Este possui mais independência e autonomia do que os demais para fazer pela própria saúde. Em geral, o adulto faz mais escolhas por si do que os outros por ele. Isto tem dois lados, ou mais, mas vamos considerar estes apenas.

Um aspecto desfavorável é o desafio de lidar com tanta responsabilidade e ter que realizar suas tarefas, pagar contas, e ainda cuidar da saúde mental de familiares, sejam filhos, ou mesmo pais.

Por outro lado, estes mesmos aspectos podem ser favoráveis.

Realizar tarefas: na maior parte das vezes estas tarefas são escolhidas pelo próprio adulto;

Pagar contas: claro que todos precisam de comer, morar, viver. Mas ele pode escolher o que comer, onde morar e como viver, sempre considerando sua realidade, claro.

Cuidar da saúde mental de familiares: sem dúvidas é muito satisfatório para o adulto se responsabilidades pelos cuidados de saúde da família. É um ato de amor, e o afeto gerado neste cuidar potencializa todo tratamento. E claro, cuidar da própria saúde é muito satisfatório, ao se escolher o profissional para quem você irá depositar sua confiança. Este auto-cuidado também pode ser um momento da semana no qual se reserva para si.

Portanto, investir tempo na sua rotina diária e mesmo dinheiro, com sua saúde mental, sem dúvidas vale a pena. Então considere a palavra investir ao invés de gastar. Sua saúde é muito valorosa, afinal você é uma pessoa importante.

Avalie esse artigo:

4.7/5 - (4 votes)

Comentários:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments