Quem_é_você_diante_das_mudanças

Quem é você diante das mudanças?

Você já viveu a experiência de estar próximo de realizar um desejo ou projeto de vida, mas algo inesperado aconteceu e foi preciso buscar outro(s) caminho(s)?

Se você pensou: quem nunca!? Ah, então, estamos juntos! 

Às vezes é preciso dar as guinadas necessárias mesmo que isso não seja nada fácil, o legítimo “se ficar o bicho pega, se correr… ”, não é mesmo?!

E como é estar na vida mergulhado num processo em que as mudanças são constantes e que algumas vezes é possível se surpreender positivamente e em outros momentos nem tanto?

Pode ser que você seja uma pessoa que em momentos difíceis se limite ao que já conhece e domina e que lhe proporciona um mínimo de segurança. Porém, cuidado, pois permanecer nesta zona de conforto por muito tempo pode tirar você do fluxo da vida, travando seu processo de desenvolvimento.

É possível, então, que depois de um tempo você comece a sentir-se frustrado e seus incômodos e dores já não passem mais tão despercebidos.

Ao se dar conta disso e na tentativa de encontrar um novo caminho, você pode se conectar com vários sentimentos. Tais momentos podem ser dolorosos ou até ameaçadores, você pode se sentir injustiçado e adotar posturas reativas e impulsivas. De forma consciente ou não, você pode se colocar como vítima das suas próprias ações.

Busque sentir-se vivo!

E aí está você: parado na vida ou tateando como se estivesse na escuridão sem saber mais quem é ou se tornou, o que fazer, por quê continua nesse lugar, se escondendo ou se debatendo com suas dores. Sim, limitado a crenças de si mesmo e com uma visão restrita do todo que dificulta mais ainda encontrar novos caminhos. 

A vida passa a ser percebida como um tormento onde você pode ficar estagnado por não ter desenvolvido a capacidade necessária de mudar, de descobrir novas saídas e seguir num contínuo movimento sentindo-se desafiado, vivo! 

Reconhecer e reavaliar crenças e valores, assim como aceitar que estar ou ter controle é ilusório, pode ajudar você a ser menos exigente e rígido, abrindo caminho para mais flexibilidade e disposição.  Estas podem ser formas de começar a se libertar das amarras da vida, lugar este que muitas vezes nos percebemos estagnados e onde ficamos, ficamos…

Mas como sair de vez desta armadilha? Esperar por um suposto “resgate” pode demorar ou nem acontecer! 

Geralmente, é diante de um revés/eventualidade ou da percepção das mudanças acontecendo em velocidade cada vez mais acelerada que descobrimos o desafio de lidar com a realidade desconcertante da falta de previsibilidade inerente à vida.

Ao mesmo tempo, precisamos considerar a imprevisibilidade humana de onde se manifesta a criatividade, a agilidade nas ações e a possibilidade de assumirmos riscos, num processo contínuo de aprendizado onde se pode colher os frutos tanto dos acertos quanto dos erros, não ficando apenas com suas consequências e danos.

É o transitar por possíveis novas tentativas, num contínuo processo de mudanças em que você se perceba em desenvolvimento: sim, isso é estar no fluxo!

O que aprender com as novas percepções?

Então, vamos lá! O que será que é possível aprender disso tudo que você pode estar identificando no seu processo?

1- Aprenda a se escutar e fazer o mesmo nas relações interpessoais. Considere que lidar com possíveis frustrações pode representar um processo com possibilidades de aprendizados para seu desenvolvimento. Se perceba neste fluxo.

2- Fique atento às oportunidades e sinais em suas vivências. Exercite a flexibilidade necessária para suportar os ventos fortes sem precisar quebrar, tornando-se mais resiliente.

3- A vida nos desafia em diversos momentos. Senti-la e estarmos próximos de nós mesmos pode assustar, mas é deste lugar que podemos descobrir e desenvolver nosso potencial para continuarmos a viver integrados à vida como ela é.

4- Desenvolva sua capacidade de adaptação ao novo. Seja qual for a situação, experimente fazer ajustes, mudar de rumo, mesmo em meio à incerteza, insegurança e medos.

Sim, podemos considerar a possibilidade de nos surpreender positivamente mesmo diante das inesperadas guinadas na vida. Afinal, a vida é uma grande facilitadora da diversidade de experiências que contribuem para o desenvolvimento humano.

Porém, a caminhada pelo novo pode atrair e assustar ao mesmo tempo e você não precisa viver este processo de mudança sozinho. Considere a possibilidade de buscar um profissional da psicologia para acompanhá-lo nas descobertas de recursos internos e externos que podem acionar o potencial humano que existe em você para seguir numa jornada de transformações de acordo com seus propósitos. 

Avalie esse artigo:

Comentários:

1 Comentário
Inline Feedbacks
View all comments
Tania Alves
1 ano atrás

Excelente artigo, muitas vezes as mudanças nos colocam em pânico e quanto mais velhos ficamos, mais resistentes ficamos. Importante criarmos procedimentos conscientes para encararmos com serenidade e de forma positiva as eventuais mudanças.