Redes sociais e stress

Ansiedade e stress causados pela violência e agressividade nas redes sociais.

O uso das redes sociais fazem parte do dia a dia das pessoas e são muito importantes na troca e divulgação de ideias. Mas são causadores de stress e ansiedade. 

Quem lê alguns comentários em publicações nas redes sociais detecta o nível extremamente agressivo da comunicação. Chega a ser chocante o conteúdo e os termos usados para desclassificar as pessoas e suas opiniões. Parece que alguns fazem uso da rede como um meio para descarregar a agressividade, protegido pelo anonimato, pela distância física do outro e pela impunidade.

O descontrole emocional e verbal de certos comentários vão a um ponto tão radical que chega a ser assustador. Em uma situação cara a cara o nível de agressividade, os xingamentos, os termos preconceituosos dificilmente chegariam ao ponto que chegam nas redes sociais, onde a pessoa sente-se protegida do confronto, do olho no olho.

Como nas redes sociais não existe o cara a cara, age-se com o outro como se ele não fosse de carne e osso mas um personagem imaginário. É como se ali não existisse uma pessoa com sentimentos, humanidade, digna de respeito e consideração. Por maiores que sejam as diferenças de valores e opiniões, são pessoas que estão ali. De carne, osso e sentimentos. Alguns agressores das redes sociais nem colocam suas fotos nos perfis. Desumanizam-se para tratar o outro desumanamente também.

O que faz com que uma pessoa agrida a outra de forma tão ostensiva, sem qualquer filtro, sem respeitar os limites mínimos de convivência social que nos obriga a ter respeito por outro ser humano, mesmo que não tenhamos nenhuma admiração por ele?

Alguns acreditam que faltam regras de postura mais claras de como se comportar nas redes sociais. Por falta destas regras, as pessoas se liberam de seguir normas de convivência social que elas já conhecem e lhes são ensinadas desde que nasceram.

O que faz com que as pessoas esqueçam destas regras e se liberem para dizer o que lhes vem à cabeça, sem qualquer tipo de censura ou consideração pelo próximo?

Alguns estudos mostram que pessoas que agridem nessas plataformas sentem-se fracas, frustradas e sem poder. Assim, redes sociais e stress tornam-se intimamente relacionados. Agredir alguém é uma forma de mostrar poder, diminuindo ou aniquilando o outro. Muitas vezes também são pessoas que têm dificuldade de trocar ideias e entender argumentos e, diante destas dificuldades, usam de agressividade para oprimir o outro. Querem ganhar a discussão derrubando o oponente, não com uma boa argumentação, mas humilhando e agredindo.

Também se nota que estas pessoas tem dificuldade de entender o que leem, interpretar o texto. Fazem uma leitura superficial e comentários também superficiais e degradantes. Muitos comentários demonstram que a pessoa não entendeu nada do que leu e tirou conclusões rápidas. Pela necessidade de ser visto, querer participar e se incluir na conversa, fazem comentários rasos, superficiais e agressivos como forma de chamarem atenção sobre si.

Aqueles que se sentem vítimas destes agressores e do cyberbullying, se quiserem manter sua saúde mental, não participem de grupos de que fazem parte pessoas que fazem comentários agressivos, preconceituosos e desrespeitosos.

Não abram sua intimidade para as pessoas que não fazem parte de seu círculo pessoal, protejam sua privacidade. Não se exponham para não dar entrada aos agressivos de plantão.

E, talvez, a melhor forma de lidar com eles seria ignorá-los, não entrar na briga, não responder. Ou, denunciá-los quando o nível de agressão atingir a pessoa em sua honra e dignidade.

É a crença na impunidade e invisibilidade que faz com que eles sintam-se à vontade para ofender e agredir.

Avalie esse artigo:

Comentários:

Please Login to comment