Feedback

Feedback: uma ferramenta essencial para o sucesso

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

Feedback é um ritual muito comum em qualquer instituição. É a partir dele que o líder vai engajar o seu pessoal e garantir que eles estão no caminho certo. 

Entretanto, só de falar disso, gestores e funcionários têm pesadelos. 

Esse processo se tornou algo tão intimidante a ponto de provocar medo tanto em quem fornece quanto quem recebe. O problema já começa aí: o ambiente emocional está tão negativo que o funcionário mal consegue ouvir as sugestões do gestor e apresentar suas próprias sugestões. 

Não há como fugir dele, pois é um direito do funcionário saber os seus pontos positivos e negativos dentro de uma instituição. Mais do que isso: Eles devem ser ouvidos e também receber sugestões de como podem melhorar. 

Quando o gestor tem as intenções éticas e o processo é feito da maneira certa, o desempenho do funcionário pode crescer surpreendentemente. 

Descubra aqui dicas de coaching para fazer um bom feedback. 

O que é feedback

Antes de mais nada, devemos saber o que não é um feedback

Geralmente, os gestores economizam ao máximo os seus comentários até que o funcionário cometa um erro e/ou venha pedir uma avaliação de seu desempenho. 

Então, o gestor leva o seu funcionário ao escritório (que, nesse momento, parece mais uma câmara de gás) e fornece uma hora (ou mais) de “críticas construtivas”.

Infelizmente, essa é a tática mais usada, justamente porque os gestores costumam adiar esse momento até não ser mais possível. 

Saiba que o feedback é muito mais do que um mero “sermão”. 

1. É uma maneira de motivar

Dar um feedback positivo nada mais é do que fazer um elogio. É o momento em que mostramos que o trabalho bem feito do funcionário foi reconhecido, ao mesmo tempo em que buscamos motivá-lo a se esforçar cada vez mais. 

Infelizmente, poucos líderes têm tempo para expressar gratidão pela colaboração de seu funcionário. Curiosamente, tempo para criticar eles têm de sobra, não é mesmo?

Entretanto, toda oportunidade de dar ao funcionário um sentimento positivo e motivos para que ele vista a camisa da instituição é fundamental para que a empresa cresça. 

2. É importantíssimo para melhorar o desempenho

Para a maioria das pessoas, o feedback é algo um apenas uma desculpa para receber ataques do gestor. 

Porém, ele não é uma crítica sem fundamento, mas sim uma ferramenta de apoio, que ajuda o funcionário a saber lidar com o desempenho insuficiente de uma forma construtiva.

Em outras palavras, é fundamental para elevar o desempenho a um nível superior. 

A psicologia explica que saber usar a linguagem de maneira correta é fundamental. Para exemplificar, analise as formas que um pai pode abordar o filho que não fez a tarefa:

  • Você não fez a tarefa; 
  • Se você tivesse feito a tarefa, teria tirado uma nota melhor na prova; 
  • Sua nota não foi muito boa da última vez. O que você pode fazer para melhorar?

São três formas de se falar a mesma coisa, não? Entretanto, a terceira forma chama o filho à responsabilidade. Para completar, o pai poderia ter dito “Posso te ajudar em alguma coisa? ” ou “Você está com dúvidas? ”. 

3. Dá chances para continuar melhorando sempre

Que o funcionário pode (e deve) melhorar a cada feedback que recebe, isso é óbvio. Por isso, vamos ver o que é esse processo para o gestor. 

Para o gestor, perguntar para os seus funcionários: “O que você gosta e o que não gosta sobre a forma com que eu trabalho? ” é importante para saber se você está administrando a instituição de maneira correta. 

Pode ser complicado, especialmente porque, como vimos, poucos enxergam o feedback de maneira positiva. Porém, saber escutar e refletir sobre o que foi dito é importante para se autoavaliar e pensar no que será feito daquele ponto em diante. 

Tipos de feedback

Agora que você entendeu o que é um feedback, precisa entender que há três tipos distintos e, consequentemente, devem ser usados para diferentes finalidades. 

Feedback de desenvolvimento

O foco desse tipo de feedback é no funcionário. É usado para acompanhar a rotina dele e também o seu desenvolvimento. Em outras palavras, é “educativo”. 

O objetivo é que o funcionário pense sobre as suas atitudes e, assim, prepará-lo para tomar as ações necessárias, de acordo com o que é esperado dele. 

Feedback de correção

É usado quando alguma coisa não aconteceu da maneira que deveria. Nesse caso, o foco está na demanda do gestor, já que ele apontará os erros cometidos e, em seguida, apresentará uma sugestão.

Sendo assim, o objetivo deste tipo de feedback é corrigir imediatamente a fim de que o desempenho do funcionário seja melhorado. 

O gestor deve expor para o funcionário o que deve ser feito e o porquê. 

Feedback de reconhecimento

O foco do último tipo está no comportamento adequado do funcionário. Por isso, ele reforça os comportamentos e atitudes que foram tomadas dentro do esperado, ou ainda quando ele supera as suas expectativas.

Nesse momento, o gestor deve mostrar que está sempre de olho em tudo, inclusive quando os seus funcionários têm uma atitude correta e/ou superam as expectativas.

Não reconhecer o bom desempenho do funcionário pode arrancar-lhe a motivação e, como resultado, o desempenho dele tende a cair. 

Como realizar um feedback

Dar um feedback é uma habilidade e, como tal, segue o ditado “a prática leva à perfeição”. Para fornecê-lo de maneira eficiente, você deve se certificar de que está se comunicando da melhor maneira possível. Veja:

1. Prepare o ambiente

Em primeiro lugar, você deve garantir que não será interrompido ou ouvido. O seu funcionário deve se ter certeza de que não será humilhado. 

Nunca perca de vista o motivo pelo qual você está realizando o feedback: melhorar uma situação ou ajudar o funcionário a melhorar o próprio desempenho. 

Se você for ofensivo ou acabar dando críticas em excesso (o que acontece quando “acumulamos” as críticas), o funcionário pode se ofender ou ficar desmotivado. 

2. Discuta poucas questões 

Nunca discuta mais do que duas questões em um feedback, para que o funcionário não se sinta desmotivado ou até desmoralizado. 

É melhor que você tenha reuniões periódicas para este fim do que acumular por meses e bombardear o funcionário com críticas. 

3. Não se esqueça dos pontos positivos

Começar o feedback com algo positivo prepara o terreno, pois o funcionário fica mais à vontade. Além disso, é importante terminar a reunião com um elogio e demonstrar que você confia em seu funcionário e sabe que ele é capaz de melhorar. 

4. Não enrole

Ir direto ao ponto e ser o mais específico possível, especialmente nos pontos que o seu funcionário pode melhorar é importante para que não haja dúvidas. 

Sempre pergunte se o seu funcionário entendeu e, caso não tenha entendido, pergunte a ele o que precisa fazer para quem ele compreenda. 

Ao dar sugestões, também é importante que você seja específico, para evitar ambiguidades que podem levar o seu funcionário a agir de uma maneira totalmente diferente. Por isso, sempre analise se você está sendo claro no que está pedindo. 

4. Utilize a autoavaliação

A autoavaliação é muito importante, pois faz com que o funcionário abandone a sua postura defensiva e passiva e comece a pensar no que pode corrigir ou melhorar. 

5. Nunca critique em público

A maior regra para um feedback é “Critique em particular e elogie em público”. Criticar em público pode fazer com que o funcionário se sinta desmoralizado e, na pior das hipóteses, pode acabar em processo.

Já o elogio em público é muito bem-vindo, pois o funcionário elogiado se sentirá ainda mais motivado e os colegas, a fim de também terem algum destaque, se esforçarão ainda mais. 

6. Dê tempo ao seu funcionário

É importante dar um tempo ao seu funcionário, já que o feedback oferece a ele uma perspectiva que ele não tinha percebido antes. Em outras palavras, ele precisa absorver a sugestão antes de colocá-la em prática. 

7. Cuidado com a linguagem

Como já foi dito, há várias formas diferentes de se dizer a mesma coisa. 

Quando der um feedback negativo, por exemplo, é importante ater-se aos pontos que devem ser melhorados, além de conscientizar o funcionário de que ele é, sim, capaz de melhorar da próxima vez.  

Em vez de fazer um comentário negativo, como “fiquei desapontado com a sua atitude“, procure agradecer por alguma coisa que o seu funcionário tenha feito, apontar alguma qualidade dele e, somente depois você deve mostrar que há pontos que podem ser melhorados. 

O feedback é um ritual das empresas de qualquer tamanho. Incentivar os funcionários a fazer o melhor trabalho possível pode ser um complicado, mas é possível se você se mostrar aberto para ouvir e oferecer sugestões em vez de apenas falar sobre coisas negativas. 

Feito de maneira correta, o feedback é essencial para o sucesso da instituição, pois é uma maneira de garantir que os seus funcionários caminhem na mesma direção que a sua empresa.

Plataformas como a Vittude podem facilitar a busca por um psicólogo que atenda a requisitos específicos para atender a todos que precisem de acompanhamento ou desenvolvimento pessoal. Acesse nosso site e confira você mesmo todas as oportunidades oferecidas!

Gostou das dicas? Então, continue navegando pelo nosso blog! Assine também nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de nossos conteúdos e novidades!

Leia também:

Síndrome do Impostor – Conheça os sinais e dicas úteis para superar a autossabotagem

Tipos de coaching, conheça alguns e saiba como eles podem ser uma alavanca profissional

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta