Fobia

Fobia: conheça sintomas, tipos e como tratar

  |  Tempo de leitura: 6 minutos

Fobia é um medo irracional de algo que é improvável que cause danos. A palavra em si vem da palavra grega phobos, que significa medo ou horror.

A hidrofobia, por exemplo, se traduz literalmente em medo da água.

Quando alguém tem uma fobia, experimenta um medo intenso de um determinado objeto ou situação. As fobias são diferentes dos medos regulares porque causam sofrimento significativo, possivelmente interferindo na vida em casa, no trabalho ou na escola.

As pessoas com fobias evitam ativamente o objeto ou situação fóbica, ou suportam-no com medo ou ansiedade intensos.

Fobias são um tipo de transtorno de ansiedade. Transtornos de ansiedade são muito comuns. Estima-se que afetem mais de 30% dos adultos dos EUA em algum momento de suas vidas.

No Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, Quinta Edição (DSM-5), a Associação Americana de Psiquiatria descreve várias das fobias mais comuns.

Tipos de Fobia

A agorafobia é um transtorno onde o indivíduo sente medo e evita lugares ou situações que possam causar pânico.

Já as fobias sociais, que são medos relacionados a situações sociais, também são apontadas com um diagnóstico único. Trata-se de um transtorno originado da ansiedade intensa ou medo de ser julgado, avaliado negativamente ou rejeitado em uma situação social ou em um período de avaliação de desempenho.

Fobias específicas são uma categoria ampla de fobias exclusivas relacionadas a objetos e situações específicas. Fobias específicas afetam cerca de 12,5% dos adultos americanos.

Fobias vêm em todas as formas e tamanhos. Como há um número infinito de objetos e situações, a lista de fobias específicas é bastante longa.

De acordo com o DSM, as fobias específicas geralmente se enquadram em cinco categorias gerais:

  • medos relacionados a animais (aranhas, cachorros, insetos);
  • medos relacionados ao ambiente natural (alturas, trovão, escuridão);
  • medos relacionados a sangue, ferimentos ou problemas médicos (injeções, ossos quebrados, quedas);
  • medos relacionados a situações específicas (voar, andar de elevador, dirigir);
  • outro (asfixia, ruídos altos, afogamento).

Fobia e situações específicas

As categorias citadas acima abrangem um número infinito de objetos e situações específicos.

Não há uma lista oficial de fobias além do que está descrito no DSM, de modo que os médicos e pesquisadores criam nomes para eles conforme a necessidade. Isso geralmente é feito combinando um prefixo grego (ou às vezes latino) que descreve a fobia com o sufixo -phobia.

Por exemplo, o medo da água seria chamado pela combinação de hidro (água) e fobia (medo).

Existe também o medo dos medos (fobofobia). Isso é realmente mais comum do que você imagina.

Pessoas com transtornos de ansiedade às vezes experimentam ataques de pânico quando estão em certas situações. Essas crises podem ser tão desconfortáveis que as pessoas fazem todo o possível para evitá-los no futuro.

Por exemplo, se você tem um ataque de pânico enquanto navega, pode ter medo de velejar no futuro, mas também pode ter medo de ataques de pânico ou medo de desenvolver hidrofobia.

Lista de fobias comuns

Estudar fobias específicas é um processo complicado. A maioria das pessoas não procura tratamento para essas condições, portanto, os casos em grande parte não são relatados.

Essas fobias também variam com base em experiências culturais, gênero e idade.

Uma pesquisa de 1998 com mais de 8.000 entrevistados publicada no British Journal of Psychiatry Trusted Source descobriu que algumas das fobias mais comuns incluem:

  • acrofobia, medo das alturas;
  • aerofobia, medo de voar;
  • aracnofobia, medo de aranhas;
  • astrofobia, medo de trovão e relâmpago;
  • autofobia, medo de ficar sozinho;
  • claustrofobia, medo de espaços confinados ou lotados;
  • hemofobia, medo do sangue;
  • hidrofobia, medo da água;
  • ofidiofobia, medo de cobras;
  • zoofobia, medo de animais;
  • tripofobia, medo de padrões geométricos;
  • amaxofobia, medo de dirigir.

Como tratar uma fobia?

As fobias são tratadas com uma combinação de terapia e medicamentos.

Se você estiver interessado em encontrar tratamento para sua fobia, marque uma consulta com um psicólogo ou psiquiatra, que são profissionais de saúde mental qualificados.

O tratamento mais eficaz para fobias específicas é um tipo de psicoterapia chamada terapia de exposição. Durante a terapia de exposição, você trabalha com um psicólogo para aprender a dessensibilizar-se ao objeto ou situação que teme.

Este tratamento ajuda você a mudar seus pensamentos e sentimentos sobre o objeto ou situação, para que você possa aprender a controlar suas reações.

O objetivo é melhorar sua qualidade de vida para que você não seja mais prejudicado ou afligido por seu medo.

A terapia de exposição não é tão assustadora quanto pode parecer no início. Este processo é feito com a ajuda de um psicólogo qualificado, que sabe guiá-lo lentamente através de níveis crescentes de exposição juntamente com exercícios de relaxamento.

Se você tem medo de aranhas, você começará simplesmente pensando em aranhas ou situações em que você pode encontrar uma. Então você pode progredir para fotos ou vídeos. Então, talvez, vá para um lugar onde as aranhas possam estar, como um porão ou área arborizada.

Levará algum tempo até que você realmente seja solicitado a olhar ou tocar em uma aranha.

Plataformas como a Vittude podem facilitar a busca por um psicólogo que atenda a requisitos específicos para atender a todos que precisem de acompanhamento. Acesse nosso site e confira você mesmo todas as oportunidades oferecidas!

Sobre medicamentos

Um bom psiquiatra pode recomendar certos medicamentos redutores da ansiedade que podem ajudá-lo na terapia de exposição. Embora esses medicamentos não sejam exatamente um tratamento para fobias, eles podem ajudar a tornar a terapia de exposição menos angustiante.

Medicamentos que podem ajudar a reduzir sentimentos desconfortáveis ​​de ansiedade, medo e pânico incluem beta-bloqueadores e benzodiazepínicos.

Embora as fobias possam ser extremamente desconfortáveis e desafiadoras, a terapia e a medicação podem ajudar.

Se você acha que pode ter uma fobia que está causando uma interrupção em sua vida, fale com um psicólogo para uma avaliação e opções de tratamento.

Se você gostou desse artigo, aproveite para seguir a Vittude no Instagram e também assinar nossa newsletter!

Leia também:

Tipos de fobias e como elas podem atrapalhar sua vida

Neurose: conheça as origens, tipos e tratamentos

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade.