Guia ansiedade

Guia completo para lidar e deixar de sofrer com a ansiedade

  |  Tempo de leitura: 12 minutos

Você sabia que a ansiedade é uma emoção humana natural que faz parte dos nossos dias? No entanto, é preciso entender que sofrer de ansiedade excessiva pode estar atrapalhando a sua vida.

A ansiedade trata-se de uma resposta do nosso corpo, e ocorre de maneira independente. Portanto, se você está diante de um perigo ou medo, a ansiedade entra em cena e faz com que você reaja.

Porém, sofrer de ansiedade constante pode ser prejudicial ao bem-estar psicológico do indivíduo. É preciso estar atento e saber quando ela está passando dos limites.

Cupom Ansiedade

Sofrer de ansiedade é normal? Aprenda a identificar os sintomas!

O Brasil recebeu o título de país mais ansioso do mundo segundo a Organização Mundial da Saúde. Contudo, sofrer de ansiedade excessiva é um problema que precisa ser tratado como qualquer outro, caso contrário, pode afetar o dia a dia e o bem-estar do ser humano.

Assim, reconhecer os sintomas é a principal maneira de detectar que algo não vai bem e, para isso, é preciso acesso à informação.

Sofrer de ansiedade – Sintomas psicológicos

1. Medo excessivo

Se você tem percebido que desenvolveu um medo excessivo, isto pode ser um sinal de alerta. Isso porque sofrer de ansiedade está ligado à superestimar o perigo nas situações, ou seja, enxergar mais perigo do que realmente existe.

2. Insônia

Outro sinal de que transtornos de ansiedade estão tomando conta de você é a insônia. Alterações drásticas de sono precisam de atenção, pois significam que algo não vai bem.

3. Dificuldade para relaxar

Sofrer de ansiedade é sinônimo de conviver com um constante estado de tensão, ou seja, nunca relaxar totalmente.

4. Pensamentos catastróficos

Visto que a ansiedade faz com que a pessoa tenha medo de tudo, ela também acaba cultivando muitos pensamentos negativos e catastróficos.

5. Dificuldade para se concentrar

O indivíduo está sempre apreensivo, cultivando pensamentos negativos ou projetando catástrofes. Dessa forma, quando precisa realmente se concentrar em algo que está fazendo no momento, tem dificuldade.

6. Inquietação e angústia

Além da dificuldade para se concentrar, um sinal de que a ansiedade é excessiva é a inquietação e angústia constantes. Ou seja, a pessoa ansiosa não consegue ficar parada e tranquila.

Sofrer de ansiedade – Sintomas físicos

1. Sudorese

Por mais que seja um sintoma bem comum, quem convive diariamente com a ansiedade acaba lidando com a sudorese o tempo todo. Da mesma forma, durante as crises é comum sentir ondas de calor.

2. Falta de ar e boca seca

Muito comum, a falta de ar causa certo desespero nas pessoas que precisam lidar com as crises de ansiedade agudas. A sensação é de que você não consegue respirar e a boca fica seca também.

3. Náuseas

Os enjoos também estão muito presentes no dia a dia de quem sofre com ansiedade. Invariavelmente, em casos mais graves a pessoa pode chegar a vomitar.

4. Formigamento

Há quem também tenha a sensação de formigamento quando está muito ansioso.

5. Tensão muscular

O ansioso tem muito medo, preocupação e é apreensivo em relação a tudo. Assim, a tensão psicológica é descarregada no corpo. Como resultado, a pessoa tem dores na cervical, nas costas, ombros e nuca.

6. Taquicardia e dor no peito

Muita gente que sofre com a ansiedade relata que durante as crises acreditava estar sofrendo algum problema do coração. Isso porque a ansiedade não é uma questão puramente psicológica, ela é capaz de afetar o corpo físico.

7. Problemas gastrointestinais

Sofrer de ansiedade está muito relacionado aos problemas gastrointestinais, ou seja, diarreia, azia e má digestão. Contudo, a pessoa passa a sofrer destes males mais constantemente, podendo até desenvolver úlceras e gastrites.

8. Tremores

Outro ponto para ficar de olho são os tremores. Diante de uma crise de ansiedade a pessoa pode começar a tremer diante do medo e pânico excessivos.

Ebook ansiedade

Quais situações desencadeiam transtornos de ansiedade?

Sofrer de ansiedade pode ser resultado de muitas causas. Entre elas, há os fatores genéticos, traumas e o abuso de álcool, assim como doenças físicas.

Vamos ressaltar aqui a importância de ficar atento àquilo que acontece na sua vida e como lidar com as situações que cruzam o seu caminho. Isso porque a ansiedade pode ser desencadeada por traumas, perdas e crises.

Instabilidades econômicas

Você sabia que os casos de depressão e ansiedade dobraram depois da pandemia do coronavírus no Brasil? Por outro lado, a boa notícia é que as pessoas que procuraram pela psicoterapia online e praticaram exercícios tiveram menores índices.

Outra grande preocupação que tira as noites de sono das pessoas nesse contexto da pandemia é a instabilidade econômica. Isso porque desemprego e diminuição de renda são sinais de que as coisas não vão bem.

Quem tem reservas financeiras, um bom planejamento e pratica atividades para aliviar a tensão já saiu ganhando dessa vez. Ou seja, é preciso cuidar da saúde mental e se organizar para momentos de instabilidade.

Angústias em relação ao futuro

Outro ponto fraco do ser humano é a angústia em relação ao futuro. O fato de não terem clareza e segurança em relação ao futuro assusta.

No caso do coronavírus, já há especialistas falando na “somatização”, que é a manifestação de sintomas físicos de um problema psicológico. Assim, há pessoas que desenvolvem os sintomas da doença, mas eles não são reais.

Perda de um ente querido

A perda de um ente querido pode afetar muito um ser humano. Assim, muitas pessoas podem encontrar dificuldades e acabar sofrendo com transtornos de ansiedade e depressão também. E para enfrentar a situação, muitas vezes pode ser necessário buscar auxílio psicológico.

Término de um relacionamento

Sofrer de ansiedade após um término de um relacionamento também é comum. Assim, dependendo da situação e do grau de dor pela qual a pessoa está passando, pode ocorrer de desencadear algum transtorno psicológico.

Quais são os principais transtornos de ansiedade?

Sabia que existem diversos tipos de transtornos de ansiedade? Infelizmente, há pessoas que sofrem para estar em ambientes sociais ou até para sair de casa.

Transtorno de ansiedade generalizada (TAG)

O transtorno de ansiedade generalizada se caracteriza por longos períodos de ansiedade que interferem no cotidiano. Ou seja, mesmo quando não há motivos, a pessoa continua criando preocupações em sua cabeça.

Ela também pode apresentar sintomas físicos como irritabilidade, dificuldade de concentração, alterações de sono, inquietação, tensões musculares e problemas gastrointestinais.

Síndrome do pânico

A síndrome do pânico é caracterizada por crises inesperadas de medo excessivo. Assim, quem sofre deste tipo de crise se sente ameaçado e é afetado pelo medo acentuado sem motivo. Eventualmente, em casos graves a pessoa nem consegue sair de casa.

Transtorno obsessivo compulsivo (TOC)

Nem todo mundo sabe, mas o transtorno obsessivo, o TOC, também é um distúrbio de ansiedade, caracterizado por pensamentos obsessivos e comportamentos impulsivos e repetitivos.

Fobia social

Sofrer de ansiedade também está relacionado às fobias sociais, ou seja, a quem tem dificuldade para conviver em situações que exigem o convívio social.

Fobias específicas

Existem diversos outros tipos de fobias que se caracterizam por um medo irracional e constante em relação a algo. Veja abaixo algumas das fobias que são bem conhecidas:

  • Claustrofobia (medo de lugares fechados);
  • Aracnofobia (medo de aranhas);
  • Acrofobia (medo de altura);
  • Agorafobia (medo de ficar sozinho em lugares públicos).

Transtorno de estresse pós-traumático

Após viver um evento traumático onde você sentiu que sua vida corria perigo, é comum desenvolver um transtorno de estresse pós-traumático. Mesmo após resolver tudo, a pessoa continua revivendo a situação que gerou estresse e se sente ansiosa e angustiada.

Qual a diferença entre ansiedade e crise de pânico?

A ansiedade acentuada resulta em uma crise de ansiedade, que se caracteriza por falta de ar, enjoos, palpitações, sudorese etc. A ansiedade generalizada diz respeito a uma preocupação constante com eventuais picos.

A síndrome do pânico, por sua vez, se caracteriza por períodos de intensa ansiedade. Estes são chamados os ataques de pânico, que costumam ser pouco previsíveis e sem razão aparente para acontecer.

Sofrer com a ansiedade? Como diagnosticar

O diagnóstico para os transtornos de ansiedade só pode ser realizado em consultas com médicos e psicólogos. É clínico, baseado na análise dos sintomas, pois não existem exames que possam confirmar o transtorno.

O importante é ter em mente que assim que detectar que algo não vai bem, você deve procurar um profissional especializado no assunto para um diagnóstico adequado.

Vencendo a ansiedade

Para não sofrer com a ansiedade: como prevenir e tratar?

Sofrer de ansiedade é um problema que tem tratamento, com várias maneiras de cuidar da sua saúde mental.

Aqui na Vittude acreditamos que a informação é vital para que mais pessoas procurem auxílio psicológico. Confira algumas dessas maneiras:

Procure fazer psicoterapia

A psicoterapia não é destinada apenas para pessoas com transtornos psicológicos. Todo ser humano tem questões pessoais que podem ser trabalhadas junto de um psicólogo.

Quem convive com um transtorno de ansiedade deve procurar auxílio de um psicólogo para cuidar da saúde mental e promover o autoconhecimento.

Pratique meditação

Sofrer de ansiedade significa perder o foco no presente. Cada vez mais difundida, a meditação é uma maneira simples de tirar alguns minutinhos do seu dia para focar no momento presente.

Pratique yoga

O yoga cuida tanto da saúde física (força, equilíbrio, flexibilidade, resistência), quanto da saúde mental (concentração, foco, respiração). Tudo isso diminui os níveis de estresse e ansiedade e proporciona uma sensação de bem-estar.

Faça exercícios aeróbicos

É recomendado realizar exercícios aeróbicos para aliviar tensões, estresse e ansiedade. As atividades físicas proporcionam a sensação de bem-estar e ajudam a distrair a mente.

Cultive hábitos saudáveis

Se preocupar com a sua alimentação, com o equilíbrio entre vida pessoal e profissional e com o consumo de álcool e cigarro é cultivar uma vida saudável. Alimentos que ajudam a reduzir a ansiedade: frutas cítricas, carnes e peixes e espinafre são alguns dos exemplos.

Realize atividades para externalizar emoções

Escrever, pintar, cantar ou qualquer outra atividade que vise externalizar as emoções são muito benéficas. Permita-se descobrir novas maneiras de falar sobre o que sente e colocar as emoções para fora.

Procure por terapias alternativas

As terapias alternativas fazem parte do campo da medicina alternativa que, apesar de não serem reconhecidas pela comunidade médica, podem ser muito úteis para complementar tratamentos convencionais. Conheça algumas delas:

  • Acupuntura;
  • Homeopatia;
  • Terapia de florais;
  • Fisioterapia.

Se indicado, tome medicamentos

Caso o seu médico receite medicamentos para tratar o seu quadro de ansiedade, siga as recomendações. Contudo, nunca se medique sem orientações de um profissional especializado.

O que fazer se você tiver uma crise de ansiedade?

É importante saber o que fazer caso você vivencie uma crise de ansiedade (sua ou de alguém próximo). Você pode tentar aplicar técnicas de respiração e relaxamento, por exemplo.

Se você estiver ao lado de alguém que está sofrendo uma crise, incentive a pessoa a respirar profundamente e focar no momento presente. Fique ao seu lado até que ela se sinta mais calma e se coloque à disposição para ouvir o que ela está sentindo.

Então, a ansiedade tem cura?

É importante entender que a ansiedade crônica, de origens genéticas, como o TAG (Transtorno de Ansiedade Generalizada), não tem cura. Mas isso não quer dizer que você passará o resto de seus dias preso à ansiedade.

Com o tratamento adequado, entendendo os sintomas, seus gatilhos e como se manifestam, estratégias são criadas e medidas são tomadas para que a ansiedade não interfira negativamente no seu dia a dia.

Ebook 24 razões

Não tenha medo de procurar ajuda e pare de sofrer com a ansiedade

Muitas pessoas têm vergonha de assumir que convivem com algum tipo de transtorno psicológico. No entanto, estamos evoluindo e, cada vez mais, conscientizando as pessoas em relação ao auxílio psicológico. Confira algumas dicas para ter coragem!

1. Não tenha medo de se mostrar vulnerável

Livre-se do medo do julgamento. Se alguém ao seu redor julgar o fato de que você está sofrendo com um transtorno de ansiedade, essa pessoa precisa se informar mais sobre o assunto.

2. Entenda como um psicólogo pode te ajudar

Um psicólogo é um profissional qualificado. Assim, por meio de técnicas especializadas, ele conduz o processo para que você eleve seus níveis de autoconhecimento, entenda seus gatilhos emocionais e se desenvolva em determinadas áreas.

3. Pare de acreditar que ignorar os problemas é uma solução

Esconder e ignorar o problema só irá torná-lo maior ainda. Não acredite nesse papo de que deixar para depois ou omitir o que você está sentindo ajudará nessas horas. É preciso procurar ajuda.

Pare de sofrer de ansiedade: faça psicoterapia com a Vittude

Está cansado de sofrer de ansiedade e quer começar as suas sessões de psicoterapia? Conte com a Vittude! Nós conectamos psicólogos e pacientes para sessões presenciais ou à distância. Clique aqui e saiba mais!

Bruna Cosenza

Escritora, produtora de conteúdo e LinkedIn Top Voice 2019. Autora do romance "Lola & Benjamin", acredita que as palavras têm poder próprio e são capazes de transformar, inspirar e libertar. É apaixonada por comportamento humano e pela relação entre corpo e mente. Escreve porque considera o conteúdo uma das ferramentas mais poderosas que existem para provocar reflexões e derrubar barreiras.