Habilidades do futuro

12 habilidades do futuro que você precisa desenvolver

  |  Tempo de leitura: 13 minutos

As habilidades do futuro são os atributos que, na verdade, já estão sendo mais procurados pelas empresas ao redor do globo. Eles estarão ainda mais em alta nos próximos anos, quando os empreendimentos passarem a se padronizar, adaptando-se às mudanças do clima organizacional.

Essas habilidades são muito diferentes das requisitadas no passado. Hoje, o mercado de trabalho é extremamente competitivo e seletivo, buscando o profissional ideal para resolver os problemas da empresa. A competição não é somente relevante para quem busca emprego, mas também para as organizações.

Assim, o que esse cenário acirrado significa para elas? Inovação.

Então, que tal conhecer o mindfulness, a técnica para o aperfeiçoamento da atenção plena? Pode ser o que você precisa para dar o foco necessário à sua carreira.

Banner mindfullness

Novas demandas do ambiente profissional

Há 30 anos, o setor de Tecnologia da Informação era praticamente inexistente. No momento atual, é um segmento em constante ascensão. É capaz de resistir crises financeiras e, em certas localidades, chega a apresentar déficit de novos profissionais.

Assim, a razão por trás desse crescimento gigantesco é simples: o mundo está mais tecnológico. Logo, as empresas estão se tornando mais tecnológicas.

Os modelos tradicionais ainda existem, é claro, mas a tendência é que se modernizem com o passar do tempo. Novos profissionais precisarão existir dentro dessas empresas para que possam acompanhar as inovações do mercado. Contudo, esse processo não é nem um pouco fácil, mas é de extrema urgência.

Para os profissionais, isso significa mais oportunidades de empregos e criação de funções extremamente segmentadas. Nesse contexto, o campo da Tecnologia da Informação não engloba somente o suporte técnico, como se costuma supor quando se pensa em T.I.

Envolve também desenvolvimento de softwares, administração de bancos de dados, consultoria de qualidade de softwares, programação, construção de sites e de aplicativos, especialidade em computação em nuvem, entre outras áreas.

Contudo, a Tecnologia da Informação é somente um dos muitos campos profissionais que estão sofrendo alterações. Essas não são voltadas apenas para às funções dos profissionais e as necessidades de conhecimento técnico das empresas, mas também para as habilidades comportamentais dos profissionais.

Habilidades do futuro: foco na tecnologia
Oportunidades de trabalho cada vez mais focadas na tecnologia

Novas demandas dos consumidores

O comportamento dos consumidores também evoluiu muito nos últimos anos. Se antes não dedicavam tempo para pensar nos ideais e modo de operação das empresas, hoje estão mais antenados do que nunca para isso!

Os consumidores querem condutas mais pessoais e humanas, mas ainda profissionais. É um equilíbrio que exige dos profissionais a atenção redobrada para os seus comportamentos, ideias e palavras.

Além de tratarem o cliente com educação, precisam demonstrar preocupação com as suas necessidades e disposição para atendê-las.

Outro fator relevante é a afinidade de ideias. Se o consumidor não encontra nada em comum com uma marca, é provável que não se torne leal ou deixe de consumi-la.

Elementos como sustentabilidade, tratamento humanizado dos funcionários e dos clientes, caridade, trabalho exploratório ou escravo, empatia, inteligência emocional, entre outros, são levados em consideração pelos consumidores na tomada de decisão.

Consequentemente, as habilidades do futuro também envolvem uma sensibilidade aguçada para as demandas emocionais dos consumidores. Esses, por sua vez, tendem a se tornarem cada vez mais exigentes.  

O que são soft skills?

As habilidades do futuro são, em essência, as soft skills (habilidades ‘suaves’, do inglês). Embora as hard skills (habilidades ‘duras’, do inglês), associadas ao conhecimento técnico, nunca deixem de serem necessárias, competências interpessoais, sociais e emocionais ganharão um enfoque maior.

Em vez de serem tratadas como complemento das habilidades técnicas e experiência de trabalho, as soft skills serão colocadas em uma posição de destaque.

Já é possível notar características dessa tendência hoje. As vagas de trabalho, por exemplo, exigem tanto o conhecimento da área como facilidade para trabalhar em equipe e criatividade.

Benefícios de investir nas soft skills

Corporações que compreendem a importância de investir no capital humano depositam atenção extra nas competências interpessoais e intrapessoais.

Os funcionários recebem treinamentos ora para subir os degraus da empresa ora para entregarem um trabalho de maior qualidade. Assim, quando alcançam posições mais altas e recebem mais responsabilidades, sabem implementar os valores da empresa em sua rotina de trabalho e passá-los adiante.  

A promoção das soft skills também é uma forma de combater a síndrome de burnout. Um em cada cinco brasileiros é afetado pelo estresse ocupacional. Uma solução possível para esse cenário é a psicoterapia empresarial.

Através do acompanhamento psicológico, eles aprendem a usar as suas capacidades emocionais para administrar o estresse, serem mais produtivos, criarem um ambiente de trabalho harmônico, entre outros. De fato, a terapia no ambiente corporativo colabora para a manutenção da saúde mental dos colaboradores. 

Do investimento no capital humano nascem ambientes de trabalho colaborativos e bem-sucedidos. A formação de líderes focados nos interesses da empresa também se torna mais fácil quando os funcionários possuem acesso à psicoterapia.

Também cabe ao próprio profissional refletir sobre suas habilidades e personalidade. É dele a responsabilidade de construir a confiança e buscar o amadurecimento se deseja crescer na empresa.

O autoconhecimento é um grande aliado dos profissionais e futuros profissionais. Nos próximos anos, será um parceiro ainda maior!

Caso contrário, o profissional mergulha na mesmice e permanece estagnado na mesma posição por anos. Esse é exatamente o tipo de perfil que as empresas desejam evitar. Indivíduos curiosos e conscientes, não apenas detentores de conhecimento, ganharão (e já estão ganhando) a preferência dos recrutadores.

Habilidades do futuro mais procuradas

Investir no desenvolvimento pessoal se tornou prioridade tanto para conquistar quanto para manter o emprego dos sonhos. Saber fazer o trabalho é, sem dúvidas, excelente! Mas é somente o primeiro passo para a construção de uma carreira.

O segundo deve ser o investimento em cursos, palestras e especializações para melhorar o conhecimento técnico bem como em psicoterapia para fortalecer o emocional.

Um profissional conhecedor de suas competências têm maiores chances de ser notado pelos superiores, receber uma promoção, concluir projetos de qualidade, formar laços profissionais duradouros e, ainda, administrar o estresse originado da pressão do mundo corporativo.

Embora pareça um cenário utópico, é totalmente possível alcançá-lo quando você se dedica a desenvolver as suas soft skills.  

Veja em seguida quais as habilidades do futuro que você precisa desenvolver já. Reflita sobre quais já domina e quais precisa desenvolver!

1.      Inteligência Emocional

A inteligência emocional é a capacidade de reconhecer, analisar e administrar os próprios sentimentos e os dos outros. É essencial para prevenir conflitos no ambiente de trabalho, concluir projetos no prazo, cultivar bons relacionamentos e driblar o estresse.

Ao identificar as suas emoções, você consegue redirecionar o que for negativo e aproveitar o positivo. Já a aptidão para reconhecer os sentimentos alheios permite encontrar formas de conviver com colegas de trabalho, supervisores e chefes sem esbarrar em atritos.

Você pode desenvolver sua inteligência emocional ao trabalhá-la com um psicólogo, na prática terapêutica. Dê uma chance ao desenvolvimento dessa habilidade.

Banner inteligência emocional

2.      Adaptabilidade

É certo que os próximos anos serão marcados por transformações tecnológicas e sociais. A necessidade de cuidar do meio ambiente resultará em produtos mais sustentáveis. Novas profissões poderão aparecer. Os desejos dos consumidores serão mais específicos.

Eles estarão à espera da próxima inovação incrível para revolucionar as suas vidas. Logo, os profissionais deverão ser especialistas em se adaptar aos mais diversos cenários.

A competência de passar por altos e baixos sem se deixar abalar pelas consequências de cada fase já é muito valorizada nas empresas. No futuro, deverá se tornar um requisito para os profissionais de sucesso.  

3.      Criatividade

Para ter ideias originais em um mercado saturado de produtos e serviços semelhantes, é preciso ter muita criatividade! Até as profissões mais engessadas precisarão se modificar de forma inteligente, a qual só pode ser desenvolvida através de dotes criativos.

De fato, esta soft skill é composta por uma variedade de elementos úteis para quaisquer profissionais, como inspiração, imaginação, mapeamento mental, mudança de perspectiva, inovação, experimentação, questionamento, curiosidade, design, entre muitos outros.

4.      Capacidade de resolver problemas

As empresas querem profissionais capazes de solucionar os seus problemas. Para isso, é preciso analisar os desafios do presente e do futuro e pensar fora da caixa para implantar a melhor solução.

A análise dos resultados é igualmente vital para determinar se a dificuldade foi realmente superada ou se a suposta solução causou ainda mais problemas.

Nem sempre é possível encontrar a resposta de prontidão, por isso, o profissional também deve trabalhar a paciência, confiança e perseverança. Carreiras em que a habilidade de solucionar problemas agilmente é fundamental são as profissões relacionadas à saúde, advocacia, administração de empresas, entre outras. 

5.      Habilidades intrapessoais

Corresponde à competência de voltar o olhar para si mesmo e analisar sentimentos, pensamentos, opiniões e crenças. Através desta reflexão é possível quebrar padrões de comportamento nocivos, substituindo-os por condutas de caráter positivo. Profissionais que dominam as suas habilidades intrapessoais conseguem:

  • Compreender os sentimentos;
  • Entender como eles e as demais pessoas são impactados pelas emoções;
  • Expressar-se com assertividade;
  • Conduzir a própria vida, sem necessidade de aprovação;
  • Respeitar e aceitar eles mesmos como são;
  • Definir objetivos possíveis de concluir; e
  • Se automotivar para completar projetos.

6.      Habilidades interpessoais

Ao contrário das habilidades intrapessoais, estas se referem à capacidade de conviver com tranquilidade com as pessoas. Indivíduos detentores desta competência constroem relacionamentos sadios, encontram soluções eficazes, trabalham em equipe sem problemas e passam a imagem de serem confiáveis.  Além disso, não costumam se abalar com intrigas criadas por terceiros.  

Dentro das habilidades interpessoais estão as seguintes aptidões:

  • Saber ouvir e absorver informações e, se necessário, seguir instruções;
  • Compreender as dificuldades e dores dos outros;
  • Disciplina;
  • Obediência às regras ou orientações sociais;
  • Tolerância;
  • Capacidade de aceitar o próximo como ele é; e
  • Resiliência para se adaptar e evoluir nos momentos de adversidade.

7.      Organização

Uma vida organizada é uma vida feliz. O mesmo é verdadeiro para o ambiente de trabalho. A competência de organizar documentos, sejam virtuais ou físicos, gerir compromissos e eventos, cultivar relacionamentos, manter o espaço de trabalho limpo, entre outros, é vital para manter os negócios prosperando por muitos anos.

Dessa forma, o mesmo vale para a organização da rotina profissional e pessoal. O profissional que consegue encontrar o equilíbrio entre essas duas áreas leva uma vida mais alegre e livre de estresse. Ou seja, saber usar as 24 horas de cada dia com sabedoria é uma habilidade extremamente importante, especialmente nos dias atuais.  

Ebook Estresse

8.      Pensamento crítico

Pensar antes de agir. Um conselho antigo e precioso o qual também pode ser aplicado no ambiente corporativo. As empresas valorizam profissionais que sabem o momento certo para adotar uma conduta reflexiva e observadora antes de tomar decisões.

O profissional com pensamento crítico está sempre questionando a si mesmo e as convenções do mundo onde habita. Desse modo, possui uma compreensão elevada de situações diversas e, ainda, consegue enxergar caminhos que outras pessoas podem não ver.

9.      Habilidade de trabalhar em grupo

Lidar com pessoas não é fácil. Por isso, quem possui essa habilidade é valorizado. Uma organização deve ser como o interior de um relógio: todas as peças devem trabalhar em harmonia para movimentar os ponteiros. O trabalho interdisciplinar é comum em diversas empresas, portanto, desenvolver o espírito de equipe é essencial.

10.  Comunicação

Um dos maiores problemas das empresas é a falta de comunicação. As informações se perdem entre os departamentos porque não são transmitidas por canais eficientes ou não são claras o suficiente.

Muitos impasses poderiam ser facilmente resolvidos com comunicação objetiva. A comunicação é como a cola que mantém a empresa unida e deve ser colocada em uma posição de destaque entre as habilidades do futuro.

11.  Ética de trabalho

Ser um profissional ético não significa somente saber cumprir regras. É, acima de tudo, a forma como você desenvolve o seu trabalho e os ideais que conduzem o seu comportamento dentro da empresa. Alguns exemplos são a integridade, disciplina, iniciativa, comprometimento, profissionalismo, responsabilidade e motivação.

12.  Capacidade de inovação

Finalmente, uma das habilidades do futuro mais importantes é a inovação.

Uma empresa não sobrevive sem ela. Logo, corporações procuram por indivíduos capazes de trazer novidades.

Além do desenvolvimento de novos produtos e serviços, essa habilidade engloba a reformulação de processos tradicionais, experiência do consumidor, solução de problemas, identificação de oportunidades de mercado, entre outros aspectos.

E então, gostou do artigo? Quer saber como você pode desenvolver as suas soft skills? Na Vittude, você consegue fazê-lo sem estresse através do acompanhamento psicológico on-line, e este ainda pode ser um benefício oferecido pela sua empresa. Saiba mais!

Banner terapia onde trabalho

Leia mais:

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta