Lidar com o medo na quarentena

5 estratégias poderosas para lidar com o medo na quarentena

  |  Tempo de leitura: 6 minutos

Lidar com o medo na quarentena pode ser complicado. Este período de distanciamento social, mesmo quando passado ao lado da família, é enfadonho e incerto. O momento é ainda mais difícil para os idosos que se encontram sozinhos. 

O medo é um sentimento aterrorizador capaz de confundir a mente. Ele nasce de uma apreensão pequena e, gradualmente, cresce e transforma os pensamentos em radares de más notícias. Quando o cérebro assustado não as encontra, ele fantasia com uma realidade desastrosa.

É assim que as pessoas acabam com medo de sair de casa, de ficar doente, de entrar em contato com outras pessoas, de passar dificuldades financeiras, de perder o emprego ou de ser forçado a trabalhar em meio a um surto de coronavírus, e até de morrer.  

Portanto, é vital aprender a administrar o medo para que ele não floresça dentro de você neste período incerto de quarentena. Afinal, a pandemia é passageira assim como tudo na vida

Ebook Quarentena

Os efeitos do medo

Ao dedicar tempo e energia para formar cenários catastróficos em sua mente, o indivíduo amedrontado estimula o surgimento precoce da ansiedade e do medo. Consequentemente, seu corpo vive sob constante estado de alerta, o qual é alimentado pela liberação do cortisol – hormônio do estresse.  

Quando você não aprende a lidar com o medo, ele se alastra. Ou seja, especulações do tipo ‘e se…?’ se tornam rotineiras e debilitam a qualidade de vida. 

Da mesma forma, contribuem para o aparecimento de emoções e pensamentos negativos que, eventualmente, podem se transformar em um transtorno mental, como a depressão.

Além disso, o medo “crônico” traz consequências preocupantes para o corpo físico, como o enfraquecimento do sistema imunológico, o surgimento de doenças cardiovasculares e gastrointestinais e a redução da fertilidade. Enxaquecas, dores musculares e problemas respiratórios também são comuns. 

Como lidar com o medo na quarentena?  

É essencial verificar como anda a sua saúde mental e dedicar alguns minutos do dia para cuidar de si mesmo. Lidar com o medo do desconhecido se torna mais simples quando adotamos estratégias para administrá-lo. 

A mente sob os efeitos do medo e do estresse acaba sucumbindo em algum momento, por isso, tanto a prevenção quanto o combate ao medo são importantes. 

Abaixo, confira estratégias que podem ser facilmente implantadas em sua rotina. O segredo para o sucesso é a repetição das mesmas para que se tornem hábitos!

1. Exercite a mudança de perspectiva

Sim, a situação é difícil. O mundo se transformou em um local desconhecido do dia para a noite e tende a continuar se modificando. 

Mas vale mesmo a pena ficar remoendo isso o dia inteiro? 

O que isso acrescenta em sua vida?

Muitas das coisas que se ouve durante a quarentena, infelizmente, estão longe do nosso alcance. O máximo que podemos fazer é nos cuidar para, assim, cuidar do próximo ou fazer doações para quem precisa de ajuda.  

Ficar remoendo apenas o negativo não é saudável. Então, mude a sua perspectiva! Volte o olhar para a sua própria vida e procure pelas coisas boas existentes nela. 

Além disso, foque em histórias positivas: pessoas que se doaram para ajudar o próximo, que saíram da zona de conforto e se reinventaram para não perder a renda, que se organizaram para cuidar da própria comunidade. Há tantas histórias bonitas por aí, mesmo em meio à incerteza.

2. Busque ferramentas de distração para lidar com o medo

Ficou desanimado? Triste? Irritado? Assustado? 

Em nenhuma das ocasiões acima é recomendado estimular o medo. Ele pode se tornar uma constante em sua vida ao ser fortalecido. O que se deve fazer é buscar a felicidade nas pequenas coisas. 

Não se trata de ser covarde ou fugir da realidade, mas de cuidar da sua saúde. De fato, esta é uma excelente forma de lidar com o medo, pois combina a mudança de perspectiva e a elevação do humor em uma só estratégia! Veja só! 

Assista filmes ou séries, escute suas músicas favoritas, cozinhe algo gostoso, interaja com quem você ama e brinque com seu animal de estimação. Desse modo, você estimula o seu cérebro de forma positiva. 

3. Diminua o consumo de informação

Procure se atualizar sobre o país e a sua cidade somente uma vez na semana. Escolha um dia em que poderá se dedicar a atividades prazerosas para ser possível aliviar as emoções negativas logo em seguida. 

Embora seja necessário saber o que está acontecendo para se prevenir ou se preparar para novas medidas de prevenção, a overdose de notícias negativas é o alimento favorito do medo. 

Por isso, minimize o tempo dedicado para consumir informações sobre a pandemia. Se recebeu algo no WhatsApp ou nas redes sociais que não parece ser verdadeiro, faça uma busca pelo assunto em fontes confiáveis para sanar as dúvidas. 

ser mais feliz

4. Expresse seus sentimentos

Existem muitas maneiras de expressar sentimentos além de verbalizá-los. Os hobbies são excelentes para liberar tudo o que está acumulado dentro de você e, ainda, garantir a liberação de hormônios positivos no cérebro!

Um hobby pode ser qualquer coisa que faça você se sentir bem, como cozinhar, desenhar, ler, cantar, dançar ou jogar vídeo game. Se você ainda não pratica nenhuma atividade assim, por que não aproveitar para descobrir o seu hobby ideal

Quando estiver imerso na atividade, concentre os seus sentimentos e emoções nela para, então, conseguir exteriorizá-los. 

5. Converse com um psicólogo para lidar com o medo

Se você acredita que a terapia poderá ajudá-lo a lidar com o medo de maneira mais eficiente, procurar ajuda profissional é a decisão certa. Afinal, uma ajudinha para cuidar da saúde mental é sempre bem vinda!  

Sabia que os psicólogos estão atendendo remotamente na quarentena através de consultas on-line? Essa modalidade de atendimento é igualmente eficaz para prevenir e tratar a ansiedade, o estresse e o medo com flexibilidade. 

Você pode organizar a sua rotina de forma que sempre tenha aquele tempinho especial para cuidar de você através da terapia! Se não sabe por onde começar, a Vittude ajuda!

A plataforma possui diversos profissionais com diferentes especialidades prontos para ajudá-lo a passar pela quarentena com mais saúde e tranquilidade.

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta