Categoria: Maternidade

Fase lútea

Entendendo tudo sobre a Fase Lútea

  |  Tempo de leitura: 6 minutos

A fase lútea é a última etapa do ciclo menstrual da mulher, a qual detém uma responsabilidade significativa: manter a gravidez. No entanto, poucas mulheres conhecem a sua função ou como a saúde mental é afetada neste período. O ciclo menstrual é composto por três fases: a fase folicular, a fase proliferativa e a fase lútea. Entretanto, algumas divisões o separam em quatro partes, sendo a fase secretora a última. Já outras preferem juntar a lútea e a secretora. Independente da literatura que você encontrar, o mais importante é compreender a funcionalidade desta fase. Como acontece o ciclo menstrual? Enquanto a menstruação permanece por apenas alguns dias e costuma ser o elemento mais lembrado pelas mulheres quando pensam em ciclo menstrual, este possui permanência de 28 a 30 dias. A duração pode variar de mulher para mulher. Fase folicular Esta fase consiste no período entre o primeiro dia da menstruação...

Continue lendo
Como as mães podem cultivar emoções positivas?

Como as mães podem cultivar emoções positivas

  |  Tempo de leitura: 8 minutos

Emoções positivas incluem respostas situacionais agradáveis ou desejáveis. Variam de interesse e contentamento a amor e alegria, mas são distintas da sensação prazerosa e do afeto positivo indiferenciado. As emoções positivas são marcadores do bem-estar geral ou da felicidade das pessoas, mas também aumentam o crescimento e o sucesso futuros. Isso foi demonstrado no trabalho, escola, relacionamentos, saúde mental e física e longevidade. A teoria ampliada das emoções positivas sugere que todas as emoções positivas levam a repertórios ampliados de pensamentos e ações. E, que sentir mais emoções positivas ajuda a construir recursos que contribuem para o sucesso futuro. Ao contrário das emoções negativas, que são adaptadas para fornecer uma resposta rápida a uma ameaça focal, as emoções positivas ocorrem em situações seguras ou controláveis. Elas levam mais difusamente à busca de novos recursos ou à consolidação de ganhos. Esses recursos sobrevivem ao estado emocional temporário e contribuem para o sucesso...

Continue lendo
Semana mundial de amamentação aleitamento materno e saúde mental

Aleitamento materno e a sua relação com a saúde mental

  |  Tempo de leitura: 7 minutos

A Semana Mundial do Aleitamento Materno foi criada em 1948, pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Um dos principais objetivos tem sido encontrar soluções para a prevenção da mortalidade infantil. Ela é realizada anualmente, na primeira semana de agosto, em mais de 170 países. É feita a partir de um tema idealizado pela OMS e adaptado às características regionais de cada nação. Para as novas mães, uma decisão importante é a de amamentar ou não. O que muitas mães podem não considerar ao tomar essa decisão, é como a amamentação pode afetar a saúde mental, bem como a saúde física da mãe e do bebê. Aleitamento materno e a semana mundial de amamentação Agosto é o Mês Nacional de Amamentação. Este mês também inclui a Semana Mundial da Amamentação de 1 a 7 de agosto. Os especialistas compartilham informações sobre aleitamento materno e saúde mental. Apesar de muitas mães e...

Continue lendo
Depressão pós-parto

Depressão pós-parto: principais sintomas, causas e tratamentos

  |  Tempo de leitura: 13 minutos

Depressão pós-parto é um transtorno de humor que pode afetar as mulheres após o parto. Dessa forma, não tem uma causa única, mas provavelmente resulta de uma combinação de fatores físicos e emocionais Em mães com depressão pós-parto os sentimentos de tristeza, ansiedade e exaustão podem ser extremos e podem interferir na capacidade de uma mulher cuidar de si mesma ou do filho. Estima-se que entre 70 e 80% das novas mães são afetadas pela Baby Blues ou tristeza materna, como também é conhecida. De acordo com uma pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), 1 em cada 4 brasileiras sofrem com a depressão pós-parto, quadro que pode durar muito mais do que algumas semanas e apresentar emoções muito mais intensas. Depressão pós-parto: o que é? Certamente, o nascimento de um bebê pode desencadear uma mistura de emoções poderosas, da excitação e da alegria ao medo e à ansiedade. Mas...

Continue lendo
Escala de depressão pós-parto de Edimburgo - faça o teste agora

Escala de Depressão Pós-parto de Edimburgo (EPDS)

  |  Tempo de leitura: 2 minutos

A gestação e o pós-parto são considerados períodos de elevado risco para o surgimento de transtornos psiquiátricos. Estima-se que entre 70 e 80% das novas mães são afetadas pela Baby Blues ou tristeza materna, como também é conhecida. De acordo com uma pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), 1 em cada 4 brasileiras sofrem com a depressão pós-parto. Este quadro pode durar muito mais do que algumas semanas e apresentar emoções muito mais intensas. O impacto negativo da depressão pós-parto é significativo não apenas para a paciente e a família, mas também para o recém-nascido. A depressão pós-parto pode prejudicar a interação mãe-bebê. Pode aumentar as dificuldades de desenvolvimento neurobiológico e psicológico da criança nas primeiras fases da vida. A depressão pós-parto é um transtorno freqüentemente negligenciado e, portanto, subdiagnosticado. Para facilitar a autoavaliação da mulher durante a gravidez e após o parto, pesquisadores de saúde escoceses desenvolveram, na...

Continue lendo
Depressão pós-parto, tristeza materna e baby blues - quais as diferenças.

Tristeza Materna e Depressão pós-parto : quais as diferenças?

  |  Tempo de leitura: 6 minutos

Observo que há muitos esclarecimentos necessários sobre a depressão pós parto. Entretanto, o primeiro passo é diferenciar a depressão pós-parto da tristeza materna, também conhecida como baby blues ou blues puerperal. O nascimento de um bebê mobiliza muitas coisas não só no físico da mulher. Mobiliza também no emocional e no ambiente em que vive. Durante a gestação, a mãe provavelmente se preparou para receber o bebê. Isso inclui mudanças que envolvem o corpo, como hábitos físicos e alimentares, preparação do seio para o aleitamento materno. Além de mudanças no ambiente para receber o bebê e do preparo interno (psicológico) para a chegada da criança. O período que se sucede ao parto é propício para que a mulher vivencie várias questões. Em primeiro lugar, ocorre uma queda drástica nos hormônios progesterona e estrogênio. Isto podeinterferir no físico e também no emocional da mulher. Inevitavelmente acontece uma mudança cotidiana que pode...

Continue lendo