Meditação guiada

Meditação guiada: técnicas e benefícios da prática

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

Meditação guiada é um processo pelo qual um ou mais participantes meditam em resposta à orientação fornecida por um praticante ou professor treinado.

A meditação guiada pode ser conduzida pessoalmente ou através de um texto escrito, gravação de som, vídeo ou mídia audiovisual, incluindo música ou instrução verbal, ou uma combinação de ambos.

Como a expressão sugere, trata-se de uma prática meditativa orientada, na qual o praticamente pode contar com uma ajuda extra para direcionar e disciplinar sua atenção.

A verdade é que ouvimos falar sobre os múltiplos benefícios da meditação, sabemos que médicos a recomendam com frequência, nos interessamos no assunto! Mas, para quem não é conhecedor de técnicas, meditar se torna um mistério!

Basta sentar, fechar os olhos, observar a respiração, se concentrar num único pensamento… Pode ser bastante simples — e é — para quem já desenvolveu seu método e descobriu como focar a atenção.

Contudo, para entusiastas e principiantes, o caminho não parece tão intuitivo. O pensamento, acostumado a ser múltiplo — retomando lembranças e projetando ações para o “depois” —, se inquieta, se distrai, simplesmente não sabe como proceder diante da ideia de se fixar no presente.

Com a meditação guiada, esse problema se resolve. E, o melhor: é possível encontrar sessões conduzidas por profissionais, gratuitamente, em vídeos de YouTube ou aplicativos para celular como o Headspace e o Simple Habit.

Conheça todas as facilidades da meditação guiada neste post! Depois de experimentar o recurso, deixe seu depoimento nos comentários!

Meditação guiada para iniciantes 

De forma objetiva: como você age diante de um novo assunto ou habilidade que o cativa? Procura obter mais informações, não é mesmo?

Compra livros, pesquisa na internet, se matricula num curso… Enfim, você busca se inteirar, aprender, da melhor forma possível — e que esteja ao alcance de seu bolso e tempo.

A meditação, como novidade, pede o mesmo cuidado. De fato, ela não é uma atividade complicada. Porém, isso não significa que você deva simplesmente adivinhá-la ou se tornar um perito, da noite para o dia.

Quanto mais orientação dispomos, melhor nosso desempenho. Em qualquer área. 

Dependendo de sua disponibilidade e vontade, você pode procurar por sessões de meditação guiada realizadas presencialmente, com instrutores.

Existem, também, cursos intensivos ou de imersão, que ensinam várias técnicas. Em poucos dias, auxiliam quem deseja descobrir como meditar sozinho e precisa de uma base para elaborar a prática.

Já aqueles que preferem explorar recursos digitais como auxiliares do dia a dia, se surpreenderão com a quantidade — e qualidade — de opções de meditação guiada.

De meditação mindfulness — a mais popular, atualmente — a meditações tradicionais, aplicativos e YouTube oferecem inúmeros caminhos, desmistificando a complexidade do exercício.

Uma vez que, realmente, são centenas de possibilidades, a dica é encontrar um produtor de vídeos ou aplicativo que tenha maior empatia com seu perfil.

Alguns apresentarão um discurso mais espiritualizado. Outros, se isentam completamente de características esotéricas — como adeptos da meditação mindfulness.

Pesquise, conheça e experimente vários, até localizar aquele que melhor dialoga com suas intenções e personalidade. Então, foque em sua escolha, para fortalecer o hábito. 

Se, todos os dias, você iniciar uma nova busca por áudios de meditação guiada, perderá tempo e poderá desanimar. Melhor centrar num guia e apostar em sua metodologia, tornando a prática mais fluente e em evolução.

Quem pode praticar a meditação guiada?

Dado que a meditação consiste numa grande introspecção, um estado de concentração no próprio corpo, sensações e pensamentos, pessoas com graves transtornos — como depressão e ansiedade — podem sentir um mal-estar ao tentar meditar sozinhas, sem direcionamento.

Não é difícil entender o motivo: quando estamos povoados por sentimentos pesados e angustiantes, como esperar que eles sumam, justamente, ao nos propormos a focar em nossa autopercepção?

A meditação é extremamente benéfica para quem sofre com depressão e ansiedade, desde que o indivíduo esteja sendo acompanhado por um psicólogo ou mesmo um psiquiatra. Pode ser tão ou mais eficaz que remédios, em casos leves ou avançados. Contudo, sem conhecimento para utilizar técnicas, o efeito fica severamente comprometido.

Nesses casos, a meditação guiada é especialmente indicada. Seguindo as instruções de áudios, a atenção migra para um estado controlado, resultando em maior equilíbrio das sensações.

Não há contraindicações

Como praticar a meditação guiada é mais seguro, ela não conta com contraindicações. Apenas se certifique da qualidade do conteúdo e veja se está de acordo com suas expectativas.

Para algumas pessoas, por exemplo, práticas de meditação que expressem conotações religiosas podem ser incômodas, ao não dialogarem com convicções pessoais.

Por isso é importante dedicar um tempo à etapa de pesquisa do recurso apropriado ao perfil do praticante. 

A meditação deve ser prazerosa, positiva, integrada com o estilo de vida. Enquanto não descobrir um instrutor — ou aplicativo — que lhe ofereça tal conforto, não encerre suas buscas!

Frequência e disciplina: quanto tempo meditar por dia?

Não existe um consenso sobre o período ideal de uma sessão de meditação. Na internet, você encontrará meditações guiadas que contam com apenas 1 minuto. 

Uma sessão de 1 a 3 minutos pode ser o estímulo que faltava para quem não sabe nem por onde começar. Por ser breve, curiosidade e disposição colaboram.

Todavia, o tempo muito enxuto também pode ser insuficiente. Para quem está iniciando no “treino do cérebro”, a distração pode se impor nos primeiros minutos. Logo, se a sessão termina muito rápido, a sensação pode ser frustrante.

Você entenderá o que funciona melhor para seu aprendizado de hábitos com auto-observação. Tutoriais curtos atingem o objetivo esperado? Ótimo! Aposte neles. Prefere mergulhos mais demorados, entre 10 e 30 minutos? Opções não faltam!

O crucial da meditação guiada é que ela seja empreendida com disciplina e assiduidade. Meditar apenas em dias ruins ou “de vez em quando”, não cria o hábito nem traz os benefícios esperados.

Numa situação ideal, a meditação é diária. Você optou por sessões presenciais e elas ocorrem duas vezes por semana? Sem problemas, desde que você não encontre motivos para furar o compromisso.

Uma dica, para quem precisa organizar os horários de meditação, é fixar um momento específico do dia. Isso confere uma certa flexibilidade, quanto ao relógio, enquanto reforça a naturalidade da prática na rotina.

Você pode meditar antes de dormir, depois do almoço, ao chegar em casa após o dia de trabalho, ao acordar… Assim, não importa a hora exata de cada atividade. A meditação fica associada automaticamente, sem depender de maiores lembretes.

Como funciona a meditação guiada?

A meditação guiada é uma espécie de roteiro para seus pensamentos e sensações. Pode sugerir que você imagine lugares, conduzindo sua imaginação. Ou pode fixá-lo na percepção da própria respiração, por exemplo.

Sons da natureza, músicas, tom de voz, repetição de palavras… Todos são recursos válidos para estimular a concentração.

Algumas meditações você pode fazer deitado ou caminhando. Outras, solicitam que você procure se sentar confortavelmente, com postura ereta. Siga as instruções para melhor aproveitamento da técnica.

Entregue-se ao exercício. Sem prejulgamentos. Dependendo do instrutor que estiver escutando, a narrativa pode lhe parecer menos envolvente, o vocabulário ou o ritmo pode trazer algum incômodo. Se for o caso, tente outro instrutor — mas não desista da meditação!

A técnica da visualização — de formas, objetos, lugares —, por exemplo, pode trazer muita dispersão ou dificuldades de imaginação para alguns. Lembre que ela é apenas um recurso, não a única possibilidade.

Áudios com sons de chuva, canto de pássaros, mantras ou frases repetidas, são alternativas igualmente bem ou mal aceitas, de acordo com preferências do praticante.

Não se force a um exercício de meditação sem empatia com a técnica. Não é porque muitos a aprovam e recomendam que será a ideal para você. Busque a prática que fizer sentido para você e persista no caminho que achar mais conveniente.

Benefícios da meditação guiada

Ao trazer mais foco para as vivências do presente, aguçar a percepção do corpo, das reações diante de sentimentos, a meditação guiada proporciona:

  • autoconhecimento;
  • melhora na qualidade do sono;
  • redução da depressão;
  • controle da ansiedade;
  • aprimoramento da memória;
  • maior capacidade de concentração;
  • alívio do estresse;
  • relaxamento;
  • redução de dores crônicas;
  • equilíbrio de emoções;
  • raciocínio mais centrado e produtivo;
  • desenvolvimento da criatividade;
  • consciência do corpo e de padrões de comportamento.

Lógico que essas conquistas na qualidade de vida acontecem com o tempo. Ninguém vence a ansiedade com 1 semana de prática. Tal como um exercício físico, o “treino do cérebro” precisa de constância para mostrar seus efeitos.

Vale mencionar que a listagem de benefícios não é mera especulação: elas apresentam amplo respaldo científico!

Desde os anos 1970 estudos acadêmicos — de medicina, psicologia e neurociência — vem sendo publicados, legitimando os efeitos da meditação, através de pesquisas e estudos sistemáticos.

O sucesso da meditação guiada

Meditação guiada e yoga ganharam grande popularidade e interesse, nos últimos anos. O Ocidente “descobriu” o Oriente, enxergando, na cultura milenar, aprendizados que adapta à realidade urbana do presente.

A tradição oriental é permeada por exemplos de posturas e condutas que valorizam a compreensão do “eu”, convidando à elevação de potenciais pessoais — seja através do conhecimento e desenvolvimento da saúde do corpo, ou da mente.

Como vivemos uma época que nos impulsiona para a necessidade de superação — ao mesmo tempo que vários transtornos nos assombram —, o investimento em novas habilidades é natural.

Yoga e meditação guiada são sucessos comprovados porque preenchem lacunas em nossas necessidades mais elementares. Com o cotidiano tão corrido, tantos acúmulos de atividades, problemas, emoções conflitantes, precisamos de um respiro.

A meditação guiada não irá impedir que o ritmo acelerado do dia a dia aconteça. Mas oferecerá um equilíbrio, além de maior resiliência para os enfrentamentos rotineiros.

Gostou do post? Então assine nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de nossos conteúdos e novidades!

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade.