meditação para dormir

Meditação para dormir: aprenda a meditar e durma melhor

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

Adotar técnicas de meditação para dormir proporciona não apenas maior facilidade para cair no sono, mas também um tempo de descanso com superior qualidade.

Não raro, nos deitamos com a cabeça lotada de pensamentos. Alimentamos preocupações com o dia seguinte, criando uma agenda mental de afazeres. Ou retomamos ações e conversas transcorridas no dia que passou. 

Fato é que esses diálogos internos em nada colaboram para a entrega que o sono nos solicita. Mesmo quando estamos exaustos, dormir pode ser um grande obstáculo, já que a mente se mantém agitada.

Efeitos da meditação

A meditação para dormir é eficaz para aquietar pensamentos inoportunos ao momento. Confere profundo relaxamento e conduz ao estado ideal para o sono revigorante.

A melhor forma de atestar os efeitos da meditação é experimentando-a, na prática. Portanto, neste post reunimos todas as informações que você precisa saber para inserir o hábito em sua rotina. 

Os resultados podem ser colhidos já na primeira sessão. No médio e longo prazo, causam significativos impactos na saúde e disposição.

Meditação para dormir vs. medicamentos

Quem já enfrentou noites mal dormidas, sabe como corpo e humor reagem. A sensação de cansaço é persistente. Fica complicado manter o foco e raciocinar com clareza. Dores de cabeça, musculares e distúrbios no apetite costumam se manifestar. Além disso, a aparência entrega a ausência de repouso adequado. Isso sem falar na irritação, que fica exacerbada!

Quando o sono saudável — de 6 a 8 horas, sem significativas interrupções ou agitações — se torna uma exceção na rotina, os problemas se agravam.

O equilíbrio do organismo, em todas as suas funções metabólicas, depende da qualidade de nosso descanso. Investir na excelência do repouso, portanto, é uma das atitudes mais inteligentes quando se busca saúde plena — para corpo e mente.

Infelizmente, a banalização de fármacos indutores do sono surge como aparente única solução. 

Sem dúvida, para certos transtornos graves, como insônia crônica, o uso de remédios pode ser, ao menos durante certo tempo, aconselhável.

Porém, pela facilidade de acesso a medicamentos “tarja preta” — como Rivotril — receitados sem critérios claros, boa parte da população adota pílulas, com risco de dependência, quando não seria necessário fazê-lo.

Efeitos colaterais

Qualquer artifício químico apresenta sérias possibilidades de efeitos colaterais. Se estamos preocupados com nosso bem-estar, precisamos analisar nossas escolhas e investigar alternativas.

A estratégia de meditação para dormir bem, de forma natural, nos oferece muito mais autonomia, somando vantagens ao invés de prejuízos — típicos do consumo contínuo de medicamentos.

Não é preciso mudar drasticamente o estilo de vida ou abraçar crenças religiosas para experimentar os efeitos da meditação para insônia — seja ela ocasional ou persistente.

Algumas pessoas fogem da ideia de meditar, justamente, porque a consideram um ritual místico. 

Em sua origem, a meditação, de fato, sempre esteve atrelada a questões de desenvolvimento espiritual. Contudo, uma vez que seus efeitos chamaram a atenção de pesquisadores acadêmicos, as técnicas ganharam adaptações, desvinculando todo caráter esotérico da atividade.

Assim nasceu o mindfulness, forma de meditação mais popular atualmente. Amplamente recomendada por médicos e psicólogos, ela se abstém de qualquer convicção religiosa, buscando respaldo em evidências científicas, para embasar sua validade.

Portanto, se a sua desculpa para não se interessar por meditação está associada ao entendimento da prática como exclusiva de praticantes de alguma religião, reveja seus conceitos! São os profissionais da saúde — comprometidos com a pesquisa metódica de recursos que promovem maior qualidade de vida — que a recomendam como solução.

Benefícios da meditação para dormir

Há quem se deite na cama e só consiga pegar no sono após horas, mudando várias vezes de posição, olhando para o relógio, com aflição pelo tempo que passa. 

Quanto mais corriqueira se torna essa situação, mais preocupados ficamos, já esperando pela dificuldade. 

Somos criaturas de hábitos. Logo, se o momento de colocar a cabeça no travesseiro ficar atrelado às revisões da vida ou planejamentos de futuro, será cada vez mais difícil romper o costume.

Note, por exemplo, se você tem mania de levantar, no meio da madrugada, para ir ao banheiro ou tomar um copo d’água. O processo tende a se repetir, diariamente, porque ficamos condicionados.

Adotar técnicas de meditação antes de dormir, interrompe nossos padrões. Isso porque reorientamos nossos pensamentos, substituindo o imperativo das preocupações por instruções que conduzem ao relaxamento.

Mesmo quem não tem dificuldade para adormecer pode se beneficiar da meditação. Além de induzir ao sono, ela confere qualidade às horas de descanso.

Lembre-se: quanto melhor você dorme, melhor seu aproveitamento do tempo desperto!

Dormir bem pode ser a resposta para uma série de entraves que você enfrenta, cotidianamente, mas nunca pensou que pudessem resultar do sono mal resolvido.

Confira alguns impactos, comprovados, que a prática da meditação para dormir traz para sua saúde:

  • controla o apetite (como o sono é fundamental para regular hormônios, quando dormimos mal ou pouco, ficamos mais propensos a sentir vontade de comer alimentos calóricos e gordurosos);
  • melhora o desempenho do metabolismo (somado ao item anterior, para quem deseja emagrecer, por exemplo — e não descobre porque encontra dificuldade —, o descanso adequado pode ser a solução);
  • reduz o estresse (um dos principais inimigos da produtividade e felicidade);
  • diminui a depressão e a ansiedade;
  • aumenta os níveis de melatonina (hormônio essencial para adormecermos e despertarmos bem dispostos, além de ser um poderoso antioxidante);
  • favorece o sistema imunológico;
  • combate a hipertensão e problemas cardiovasculares;
  • promove a síntese do hormônio GH (que contribui para o desempenho físico, previne osteoporose e inibe o acúmulo de gordura no corpo);
  • colabora para a saúde e beleza da pele, impedindo o envelhecimento precoce (cujas evidências — rugas, linhas de expressão, perda do tônus e olheiras — são bastante comuns em pessoas dormem mal);
  • aprimora a capacidade de concentração, clareza de raciocínio, foco e memória;
  • confere maior disposição e bom-humor (repercutindo em relacionamentos pessoais, sociais, profissionais e atividades rotineiras).

Como realizar a meditação para dormir

Se você for um iniciante na arte de meditar, a dica é buscar áudios de meditação guiada. Eles são facilmente encontrados no YouTube ou aplicativos específicos.

A meditação guiada nada mais é que uma série de instruções, que vão conduzindo o foco de seu pensamento, enquanto convocam sensações propícias à indução do sono — no caso da meditação para dormir, já as finalidades de meditar são variadas.

As narrativas de meditação guiada irão lhe ajudar a dar atenção plena ao intuito de dormir. Também proporcionarão grande relaxamento, com impressionante rapidez e eficiência.

Geralmente, as técnicas de meditação para dormir dão grande ênfase ao controle da respiração. Você será convidado a inspirar profundamente e expirar, contando o tempo. Pode parecer muito simples, mas a verdade é que o controle da respiração nos acalma de modo ímpar.

Em qualquer situação que o estresse ou ansiedade bater, experimente respirar fundo e soltar o ar, como se fosse um grande suspiro. Repita o exercício algumas vezes e testemunhe a alteração de seu estado físico e mental.

Sinta seu corpo!

Além da observação da respiração, provavelmente, a narrativa pedirá que você sinta seu corpo, do couro cabeludo aos dedos dos pés. De olhos fechados e se fixando em uma parte do corpo, por vez, você vai relaxando os músculos, sentindo o contato com a cama, se entregando ao conforto do momento.

Sons e músicas tranquilas, além do tom de voz pausado do instrutor, contribuem para a imersão no clima.

Palavras e sugestões oferecidas pela meditação para dormir lhe guiarão para um intenso bem-estar. A visualização de paisagens, cores e atmosferas positivas também pode ser estimulada.

Encontre áudios que expressem empatia com suas preferências. Use fones de ouvido e escute as sessões, até assimilar as instruções, como um novo hábito para favorecer o sono. Com a prática, você saberá como proceder e poderá meditar sozinho, sem ajuda de recursos extras.

Dicas para potencializar os efeitos da meditação para dormir

Quando entendemos que dormir bem transforma nossa qualidade de vida, compreendemos que vale investir cuidados para garantir que o sono seja o melhor possível.

Não é preciso revolucionar a rotina para obter ganhos expressivos! Faça, apenas, escolhas mais sensatas, como evitar a ingestão de café, refrigerantes ou chás estimulantes após o fim da tarde. 

Exceções acontecem, mas não faça do jantar um momento de excessos. Prefira comer menos e alimentos mais leves (muita gordura ou carboidrato são inimigos do repouso tranquilo).

Vista roupas confortáveis, escolha um bom travesseiro, edredom e, claro, um colchão de qualidade. Seu corpo precisa se sentir aconchegado e sua postura deve ser favorecida, até mesmo para evitar dores no dia seguinte.

Deixe o ambiente escuro e sem ruídos (como uma televisão ligada). Não fique vasculhando as redes sociais ou respondendo mensagens quando estiver na cama.

Outra consideração importante diz respeito à manutenção de horários. Estabeleça a hora para deitar e para acordar, pois isso ajudará a condicionar sua disposição para ambas atividades. Ser desregrado, nesse quesito, atrapalha os estímulos naturais do organismo.

Enfim, crie seu ritual e depois aposte na meditação para dormir. Além de descobrir como a prática acalenta seu sono, notará resultados da meditação para acordar disposto, revigorado, com energias e pele rejuvenescidos!

Gostou do post? Então assine nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de nossos conteúdos e promoções!

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade.