Você realmente sabe o que é felicidade?

Você realmente sabe o que é felicidade?

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

O que é felicidade? Já parou para pensar nisso?

É da natureza humana buscar respostas para perguntas complicadas. Muitos estudiosos da religiosidade, da filosofia, das ciências sociais e da saúde dedicam as suas vidas para refletir sobre o sentido da vida, o propósito das emoções e a psicologia por trás da autorrealização. 

Em algum momento da vida, fazemos os mesmos questionamentos para aliviar incertezas sobre a condição humana e o futuro. Todavia, existe uma resposta satisfatória para todas as pessoas, independente de valores e crenças pessoais e religiosas? 

Afinal, o que é felicidade?

Embora existam muitas definições para o que é felicidade, pode-se afirmar que se trata de um estado emocional constituído por sentimentos de satisfação, contentamento e realização. 

Muitos cientistas sociais e psicológicos atribuem a felicidade principalmente a dois elementos: o equilíbrio emocional e os níveis de satisfação. O primeiro diz respeito à quantidade de emoções e humores positivos vivenciados por uma pessoa. Já o segundo refere-se à quão satisfeita essa pessoa se encontra com a sua vida.

É verdade que experimentamos uma variedade de emoções. Às vezes, passamos por expressivas oscilações de humor em um único dia. Dependendo do momento atual e da qualidade da nossa vivência, vivenciamos mais ou menos emoções agradáveis. 

As pessoas expressam felicidade quando se sentem bem consigo mesmas, recordam de momentos bons, passam tempo com indivíduos amados, fazem o que gostam e imaginam possibilidades positivas para o futuro. 

Ser feliz também está associado à percepção geral sobre a vida. 

Se ela é otimista, é provável que mais sentimentos e emoções boas sejam experimentados no dia a dia. Em compensação, quem vê a vida como um estorvo, tende a estar rodeado de emoções ruins. A raiva, tristeza e angústia são expressões claras de infelicidade. 

Ao tomar ciência tanto das emoções predominantes em seu dia a dia quanto das suas impressões sobre viver e estar vivo é possível identificar se de fato sabe o que é felicidade para você. 

A psicologia da felicidade

Como a felicidade é um termo abrangente e pessoal, a psicologia usa a expressão “bem-estar subjetivo (BES)”. 

Existem diversas perspectivas sobre o BES, oriundas de estudos e considerações de muitos psicólogos. Na atualidade, ele é definido como uma categoria de fenômenos que afeta as respostas emocionais e o domínio da satisfação. 

Ele engloba três aspectos.

  • Subjetividade: bem-estar conquistado através da experiência pessoal de cada indivíduo. A experiência envolve os eventos de vida, os relacionamentos interpessoais e a vivência diária. Sentir que possui um propósito de vida também proporciona felicidade. As pessoas precisam ver sentido em seus relacionamentos, planos e comportamentos, mesmo que sejam simples.
  • Satisfação: De acordo com o psicólogo Martin Selligman, um dos criadores da Psicologia Positiva, a principal forma de medir a felicidade é analisar o seu nível de satisfação com a vida. Quanto mais satisfeitas as pessoas estiverem com todos os segmentos de suas vidas, mais bem-estar psicológico terão. 
  • Predominância do positivo: surge do prazer em fazer o que se gosta e de realizar desejos. Em ambas as situações, as pessoas ficam mais felizes ao satisfazerem as suas necessidades. Essas, por sua vez, dependem muito da personalidade, objetivos pessoais e crenças cultivadas desde os primeiros anos de vida. Algumas pessoas encontram a felicidade na simplicidade enquanto outras somente estão felizes quando se desafiam e prosperam. 

Pessoas felizes possuem mais familiaridade com esses aspectos. No entanto, não é possível analisar as suas experiências de vida e torná-las uma referência universal. 

Você realmente sabe o que é felicidade?

Embora alguns hábitos sejam positivos para a maioria, as pessoas possuem percepções diferentes sobre o que é felicidade. Por exemplo, viajar pode ser a principal razão da felicidade de alguém enquanto fazer trabalhos voluntários pode satisfazer outra. 

Por conta disso, esses três elementos devem fazer correspondência ao contexto de vida de cada indivíduo. Tomando-os como pressuposto, para analisar o seu nível de felicidade, você pode se fazer as três perguntas abaixo:

  • Que experiências, hábitos, objetos e relacionamentos lhe fazem feliz?
  • Quão satisfeito você está com a sua vida?
  • Você sente mais prazer e alegria que emoções negativas, como tristeza, medo e raiva?

Utilize as suas respostas para pontuar quais aspectos da sua vida precisam de melhorias. Por exemplo, se você não está satisfeito com o seu trabalho atual, quais mudanças podem ser feitas para elevar o seu nível de satisfação? 

Características de uma pessoa feliz

As pessoas felizes geralmente compartilham algumas características, as quais você pode usar para comparar com o seu próprio comportamento. Esses atributos também podem ajudá-lo a responder as perguntas acima, especialmente a última. Confira-os abaixo!

  • risadas e sorrisos constantes;
  • reconhecimento da alegria diária;
  • facilidade em fazer amigos e manter relacionamentos;
  • postura benevolente e vontade de ajudar o próximo;
  • se colocar em primeiro lugar;
  • amor-próprio;
  • resiliência;
  • fé no futuro;
  • otimismo;
  • paciência;
  • assume responsabilidade por seus atos;
  • jogo de cintura no ambiente de trabalho;
  • habilidade de resolver conflitos. 

Por que é difícil ser feliz?

Nem todos conseguem sustentar a felicidade por muito tempo ou facilmente encontrar razões para rir. Às vezes, essa dificuldade está ligada a transtornos mentais não diagnosticados, como a depressão e a síndrome do pânico. Em outras, tem a ver com a mentalidade cultivada por esses indivíduos. 

Como dito anteriormente, uma parcela considerável do nosso bem-estar psicológico é afetado por eventos de vida e sentimentos. 

Uma pessoa pode ter vivências incríveis, mas alimentar o tédio, a insatisfação e o medo. Assim, não consegue aproveitar as oportunidades que vão ao seu encontro. Por outro lado, outra pessoa pode viver em um ambiente estressante e, ainda assim, encontrar motivos para sorrir. Ela consegue fazê-lo através da esperança e do bom humor. 

Sempre encontraremos situações desagradáveis em nossas vidas. A maioria está muito distante do nosso controle, pois envolvem atitudes de outras pessoas, decisões de governantes, ações do clima, avanço ou estagnação da economia global, entre outros fatores. 

Quando damos muita atenção para os elementos negativos, nos acostumamos a consumir somente informações de má qualidade e emoções ruins. Consequentemente, as razões para ser feliz vão desaparecendo. 

Do mesmo modo, quando valorizamos os aspectos positivos de nossa vida, encontrar a felicidade deixa de ser um desafio. 

Pessoas que enxergam o lado bom de toda situação conseguem superar grandes adversidades, se satisfazer com o necessário (não se deslumbram com o luxo nem com a riqueza) e desenvolver hábitos bons. 

Para não se abalar com os acontecimentos ruins, é necessário fortalecer a saúde mental através de modos de vida sadios e emoções positivas. A felicidade pode ser construída diariamente. Quando você se dispõe a isso, aos poucos adquire mais qualidade de vida, resiliência e controle emocional. 

Como manter a felicidade no dia a dia?

Pode ser impossível ser feliz o tempo inteiro, mas definitivamente é possível ser feliz a maior parte do tempo. As dicas abaixo têm o intuito de dar o pontapé inicial em sua jornada pela felicidade. Todavia, se você sentir a necessidade de uma fonte de apoio e de conselhos para guiá-lo, não hesite em fazer terapia

A terapia é um espaço para resolver problemas, tratar transtornos e encontrar e fazer a manutenção da felicidade. Não raro pacientes buscam aconselhamento psicológico para aproveitar ao máximo as diferentes fases da vida. 

Em seguida, veja as dicas separadas pela Vittude para ajudá-lo a ser feliz todos os dias! 

Cultivar uma mentalidade otimista

Você realmente sabe o que é felicidade?

Já existem muitas pesquisas científicas que comprovam os benefícios do otimismo. Uma mentalidade positiva vai ajudá-lo a solucionar os seus incômodos emocionais de maneira simples e pouco estressante. Dessa forma, você melhora o seu desempenho profissional, relacionamentos e obtém sucesso em projetos pessoais. 

O otimismo também ajuda a combater o enfraquecimento do sistema imunológico e enfermidades causadas pelo estresse

Agradecer

Agradecer pelos elementos bons presentes em sua vida com constância é uma estratégia simples para elevar o humor e renovar a sua perspectiva sobre ela. Pratique a gratidão especialmente nos dias que sentir que nada dá certo. Logo, você vai perceber tudo o que já conquistou e sentir-se melhor. 

Conhecer-se

Conhecer-se é essencial para ter uma vida feliz já que, através do autoconhecimento, você consegue identificar exatamente o que gosta e o que não gosta.

Então, pergunte-se quais fatores lhe causam alegria e sensações boas e traga-os para a sua vida. Tome cuidado para não utilizá-los como mecanismos de gratificação, pois você pode se tornar dependente deles. 

Fazer boas amizades

A postura otimista é bem recebida em todos os ambientes, tornando os indivíduos alegres memoráveis. As pessoas querem ficar perto de quem é positivo para compartilhar a abundância de positividade. Assim, pessoas felizes têm mais facilidade e oportunidades de criar laços afetivos. 

Você também pode buscar fazer amizade com pessoas bem humoradas e aprender a ver o lado bom da vida com elas. 

Aprender a controlar as emoções

Não podemos controlar todos os acontecimentos da nossa vida, mas podemos manejar as nossas reações a eles para não sofrermos desnecessariamente. Sempre que sentir tristeza ou raiva, reflita se realmente vale a pena se entregar para essas emoções. Com a prática, esse exercício simples vai ajudá-lo a controlar as suas emoções com mais eficiência.

Para mais artigos, acompanhe o blog da Vittude!

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta