O que é transtorno específico de aprendizagem

O que é transtorno específico de aprendizagem?

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

O transtorno específico de aprendizagem afeta, como o próprio nome diz, a aprendizagem. O processo de aprender é composto por uma série de habilidades cognitivas as quais normalmente não damos importância: memória, raciocínio, associação, coordenação motora, comunicação e muitas outras.

Quando há uma perturbação nessas aptidões, o processo de aprendizagem é automaticamente interrompido ou fragilizado. O indivíduo, então, demonstra ter diversas dificuldades em atividades relacionadas ao aprender. Ele pode até ter a sua autoestima afetada em virtude do baixo desempenho escolar, acadêmico e até profissional. 

Para corrigir ou aprender a lidar com o problema, é necessário buscar atendimento profissional.

O que é um transtorno específico de aprendizagem?

Transtorno específico de aprendizagem (TEAp) é, na verdade, um termo que engloba vários transtornos do neurodesenvolvimento que afetam o processo de aprendizagem. O DSM-V reformulou a classificação porque as dificuldades que interferem no aprendizado conversam entre si. 

Além disso, o TEAp considera outros fatores que têm impacto direto na aprendizagem de crianças e adultos, como transtornos mentais, ambiente familiar, metodologia da instituição de ensino e questões culturais.

Por definição, então, esta terminação abrange os seguintes transtornos de aprendizagem:

  1. Transtorno da leitura

Consiste na dificuldade de reconhecimento de palavras, sílabas e letras, a qual torna a leitura penosa ou impossível. O indivíduo com essa condição, que também é conhecida como dislexia, não consegue ou leva muito tempo para interpretar o sentido de textos simples ou complexos. 

A inabilidade de leitura não afeta somente o seu desempenho escolar ou acadêmico, como também a sua qualidade de vida. A pessoa disléxica não compreende os dizeres em placas, documentos, livros, anúncios e qualquer outro material de leitura. 

  1. Transtorno da expressão escrita

Também conhecido como disgrafia, esse transtorno é caracterizado pela dificuldade de escrever textos coerentes. 

A pessoa com essa condição não compreende regras ortográficas, comete erros recorrentes, não acrescenta as pontuações necessárias, tem problemas para organizar os argumentos em uma sequência lógica e apresenta fraca caligrafia. Ela também pode trocar letras com sons semelhantes, resultando na redação errada das palavras.

Outra condição que afeta a habilidade escrita é a dispraxia motora. O indivíduo com esse transtorno tem dificuldades motoras, por isso, não consegue segurar o lápis para escrever ou digitar em um teclado. Porém, este não é um transtorno de aprendizagem.

  1. Transtorno da matemática
O que é transtorno específico de aprendizagem

Por fim, o transtorno da matemática, ou discalculia, corresponde a dificuldade de contar corretamente, realizar equações e reconhecer números. 

O raciocínio lógico do indivíduo com discalculia também é afetado, impossibilitando a realização de problemas matemáticos. Sendo assim, ele não consegue identificar ou compreender regras de operações, memorizar fatos numéricos e solucionar problemas de origem quantitativa. 

Muitas vezes, essa condição surge juntamente com o transtorno de leitura ou de expressão escrita. 

Causas do transtorno específico de aprendizagem

Os transtornos de aprendizagem resultam de interferências nas funções cognitivas, as quais prejudicam a aquisição, retenção ou utilização do conhecimento, tais como a memória, a percepção espacial, a concentração, a linguagem e o raciocínio lógico. 

Eles também interferem no desenvolvimento de habilidades, por isso, pessoas com essas condições são consideradas “lerdas” ou “desajeitadas”.

Ainda não foi determinada uma causa específica para esses transtornos. O CID-10, contudo, supõe que perturbações na conexão de informações em diversas regiões cerebrais possam estar associadas ao seu surgimento.

Embora fatores ambientais não sejam a origem do transtorno específico de aprendizagem, eles podem instigar a sua permanência e severidade. 

O indivíduo que vive em um ambiente desfavorável para aprender, não tem oportunidade de ir à escola, possui uma relação turbulenta com a família e é isolado socialmente na escola pode sofrer com o agravamento das suas dificuldades de aprendizagem.  

Transtornos mentais também interferem em funções cognitivas, como a atenção e a memória. A pessoa com depressão, ansiedade, síndrome do pânico e outras condições psicológicas pode ter dificuldade para guardar informações, mas não em razão de transtornos de aprendizagem. 

Para saber exatamente a origem da interferência no processo de retenção de conhecimento, é necessário consultar um profissional. 

Como é feito o diagnóstico deste transtorno?

O psicopedagogo é o profissional que identifica o transtorno específico de aprendizagem, mas pode não ser o primeiro a ser consultado. Por terem dúvidas sobre a sua condição ou a dos filhos, indivíduos podem buscar médicos e psicólogos antes. 

A psicopedagogia, área que une a psicologia e a pedagogia, ainda não é muito disseminada. Logo, o diagnóstico exato pode acontecer tardiamente.

O diagnóstico dos transtornos de aprendizagem é feito após uma avaliação completa das dificuldades apresentadas pelo indivíduo. Alguns critérios são seguidos pelo psicopedagogo para não haver confusão com outras condições de saúde, tais como:

  • As dificuldades de aprendizagem são muito expressivas para a faixa etária e nível de escolaridade do paciente;
  • As dificuldades de aprendizagem se iniciam na escola, porém somente se tornam completamente evidentes quando as capacidades do paciente são testadas. Por exemplo, atividades escolares cronometradas, provas, ditados, redação de textos mais complexos, entre outros métodos de testar o conhecimento;
  • As dificuldades de aprendizagem não podem ser explicadas por deficiências físicas, transtornos mentais ou neurológicos, adversidades na vida pessoal e instrução escolar inadequada.

Durante as primeiras consultas, uma avaliação psicopedagógica é desenvolvida para identificar os possíveis sintomas do paciente e se há correspondência com os critérios de diagnóstico. 

O paciente também pode relatar os seus problemas e experiências negativas com os estudos ao psicopedagogo, bem como expressar sentimentos e desejos por aprimoramento.

No caso das crianças, os pais ou cuidadores acompanham o avanço das consultas e são convidados a participar de entrevistas com o profissional. Dessa forma, podem explanar com exatidão os deficits exibidos pelos filhos. 

Como tratar este transtorno?

O tratamento do transtorno específico de aprendizagem é feito por meio do acompanhamento psicopedagógico

Além de fazer a devolutiva da avaliação ao paciente e seus familiares, o psicopedagogo faz recomendações de tratamento e, se houver necessidade, encaminhamentos para outros profissionais. 

O tratamento psicopedagógico em si é composto por atividades e testes específicos para estimular as funções cognitivas do paciente. 

Ele também recebe orientações para melhorar o seu relacionamento com a aprendizagem, como, por exemplo, organizar um ambiente específico da casa para estudar e criar uma rotina de estudos. A mudança comportamental também promove a melhora do rendimento escolar, acadêmico ou profissional.

O psicopedagogo também busca encontrar metodologias de estudo adequadas para cada paciente para que possam aprender mais facilmente. Com as crianças, o tratamento inclui ainda brincadeiras e atividades lúdicas.

À medida que o paciente compreende que pode aprender como os demais, a sua autoestima se eleva e ele ganha confiança. A questão afetiva, então, também é trabalhada durante o acompanhamento psicopedagógico. 

O transtorno específico de aprendizagem pode acometer tanto crianças e adolescentes quanto adultos. Pessoas de todas as idades podem buscar tratamento com o psicopedagogo assim que identificarem dificuldades de aprendizagem no ambiente escolar e fora dele. 

Vale ressaltar novamente que os sintomas dos transtornos de aprendizagem afetam a vivência cotidiana e a execução de atividades rotineiras. Então, suspeitas em relação a esses fatores também devem ser consideradas para marcar uma consulta.  

Onde buscar acompanhamento psicopedagógico?

Na Vittude!

Se você está com suspeitas da eficiência do seu próprio processo de aprendizagem, ou tem um filho cujo rendimento escolar decaiu consideravelmente, já pode agendar uma consulta com um psicopedagogo para investigar esse problema. 

Quanto mais cedo for feito o diagnóstico, mais eficiente é o tratamento e a menos sofrimento o paciente é submetido.

O que é transtorno específico de aprendizagem

A Vittude é uma plataforma de terapia online com um abrangente repertório de profissionais. As consultas são feitas no próprio site em salas virtuais de extrema segurança. 

Como as pessoas compartilham detalhes e sentimentos por vezes íntimos de suas vidas, a Vittude desenvolveu uma plataforma para proteger as informações pessoais dos pacientes. Esse esforço é refletido nos números: mais de três milhões de pessoas visitam a Vittude mensalmente.

O acompanhamento psicopedagógico online não difere muito do presencial. O profissional pode pedir que o paciente tenha alguns materiais para realizar atividades no momento da consulta. Todavia, as atividades e testes são adequados para essa modalidade para que o aproveitamento do acompanhamento presencial não seja perdido.

Conclusão: não é preciso ter receio em fazer terapia online na Vittude! Possuímos parceria com diversos profissionais especializados e credenciados junto aos órgãos de psicologia. 

Para pacientes com pouco tempo disponível, dificuldade de locomoção ou que não tem fácil acesso a tratamentos psicoterapêuticos, a terapia online é uma alternativa tão eficiente quanto a presencial. Além disso, essa modalidade promove o conforto dos pacientes já que pode ser feita diretamente de casa. 

Marcando consulta com a Vittude

É super fácil marcar uma consulta com a Vittude e dar início a avaliação psicopedagógica. Primeiramente, encontre um psicólogo com formação em psicopedagogia utilizando o Vittude Meet, uma ferramenta de busca personalizada, ou faça uma busca pelo nosso banco de profissionais.

Em seguida, é só escolher um horário e um dia para fazer a consulta online. Ela pode ser realizada tanto no computador quanto no celular ou tablet. O método de pagamento também é selecionado nessa etapa.

Depois, você já pode esperar pelo dia da primeira consulta! Aconselhamos todos os pacientes a levarem as suas dúvidas e preocupações para o profissional já neste primeiro encontro. Se necessário, faça uma lista para se lembrar de tudo.

Agende uma sessão em poucos minutos com a ferramenta abaixo e dê o primeiro passo para olhar com mais carinho para as questões que envolvem seu aprendizado!

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta

Avalie esse artigo:

Comentários:

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Artigo publicado em Transtorno de Aprendizagem