processo-terapia

Para que serve a terapia e quando devo usar o processo a meu favor

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

Você já se perguntou para que serve o processo da terapia? Ao receber um conselho de amigo para buscar ajuda profissional, você parou para considerar as funções reais do acompanhamento psicológico?

Um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) de 2019 apontou que o Brasil é o país mais deprimido da América Latina. São quase 12 milhões de pessoas com o transtorno mental, ou seja, 5,8% da população.

A terapia possui, entre outros objetivos, tratar ou aliviar os sintomas debilitantes dos transtornos mentais. Com base neste dado, porém, pode-se assumir que poucas pessoas buscam os tratamentos disponíveis. É mais do que necessário falar sobre terapia hoje.

Afinal, para que serve a terapia?

Através de encontros semanais e de muita conversa, a terapia tem como função tratar problemas psicológicos. Existem muitas abordagens, cada qual voltada para aliviar as dores emocionais dos pacientes conforme as suas necessidades.

É normal que uma pessoa não reaja bem a uma vertente e obtenha resultados mais concretos com outra. A terapia acompanha a diversidade de personalidades das pessoas. Assim, o psicólogo pode aplicar diversos tipos de tratamento.

A terapia é o processo correto para trabalhar a ansiedade, depressão, estresse, luto, conflitos nos relacionamentos, autoestima baixa, desespero, e uma infinidade de problemas que, aos olhos do paciente, podem parecer não ter solução.

Outro cenário comum é o acompanhamento psicológico de pacientes que não possuem um transtorno mental ou vivem situações estressantes, mas desejam se conhecer melhor, descobrir suas potencialidades e encontrar um propósito para as suas vidas.

A terapia ajuda, ainda, em casos de doenças psicossomáticas, as quais estão relacionadas a emoções e pensamentos. Em outras palavras, são patologias oriundas de uma má administração de sentimentos.

Um exemplo bastante comum é o nervosismo extremo que pode ocasionar o aparecimento de uma gastrite nervosa ou de prisão de ventre.

Como funciona a terapia?

A terapia é um processo de médio a longo prazo. Não existe realmente uma data limite para o tratamento. O psicólogo vai auxiliando o paciente através de questionamentos, análises comportamentais e incentivos à mudança de hábitos até quando for necessário.

Durante as sessões semanais ou quinzenais, o paciente fala sobre as suas perturbações atuais. Estas podem ser qualquer coisa desagradável, seja resultado de uma situação recente ou de uma história antiga.

Ao mesmo tempo em que o psicólogo orienta como lidar com os problemas, analisa o comportamento e a personalidade do paciente para definir os melhores métodos para ajudá-lo. Além disso, identifica possíveis origens para condutas prejudicais com base em conversas sobre o passado.

Embora não seja necessário tocar em tópicos dolorosos ao longo das sessões, são naturalmente trazidos à tona pelo próprio paciente à medida que se abre para o psicólogo e compreende mais sobre si mesmo.

Por isso, algumas pessoas costumam dizer que a terapia é um processo doloroso, mas necessário.

A pessoa pode cessar o tratamento a qualquer instante, porém, não é recomendado fazê-lo sem a orientação do profissional. Afinal, a importância da terapia reside no tratamento completo de fatores problemáticos para o paciente para gerar uma mudança de vida.

O tratamento de transtornos mentais mais graves, como síndrome do pânico ou agorafobia, geralmente envolve o uso de medicamentos psiquiátricos. No entanto, é possível fazer ambos os tratamentos simultaneamente, pois cada um oferece benefícios próprios para a saúde do paciente.

Benefícios da terapia

Se você ainda não está convencido de para que serve o processo da terapia, veja alguns dos benefícios mais típicos abaixo.

  • Desenvolvimento da inteligência emocional;
  • Fortalecimento dos relacionamentos interpessoais;
  • Quebra de círculos viciosos e padrões de comportamento nocivos;
  • Aumento da autoestima e da autoconfiança;
  • Melhora do desempenho profissional;
  • Compreensão de pontos fortes e qualidades e de como utilizá-los;
  • Superação de situações traumáticas;
  • Tratamento de transtornos mentais;
  • Desenvolvimento de hábitos sadios, estimulando a saúde mental diariamente;
  • Aquisição de um propósito de vida;
  • Mudança de percepção – de pessimista para otimista.

Quando procurar a terapia?

Você pode procurar a terapia em qualquer momento de sua vida. Como mencionado anteriormente, você não precisa estar experimentando sintomas de um transtorno mental para buscar ajuda profissional.

Caso #01 – “Quero mudar comportamento X ou Y”

Por exemplo, você recebeu uma avaliação negativa no trabalho e, ao refletir sobre ela, percebeu que aquele comportamento já afetou outras áreas de sua vida. Porém, não sabe como pode melhorar para corresponder às expectativas do empregador.

O processo da terapia pode ajudá-lo a compreender o porquê de certo padrão de conduta e desenvolver estratégias para lidar com ele. Pode ser que você esteja preso em um padrão que se repete desde a sua infância.

É difícil fazer mudanças sozinho. Isso porque o cérebro demora a assimilar hábitos e crenças novas, especialmente se cultivados desde criança. Mesmo hábitos negativos para nós podem nos fazer sentir bem de alguma forma.

É assim que surgem as compulsões. Pessoas procuram aliviar sentimentos negativos através de compras desenfreadas ou comidas de seu gosto ou jogos de azar. Apesar de essas situações trazerem consequências ruins, são também fonte de conforto.

Para desenvolver as suas potencialidades e acabar com condutas desagradáveis, opte pelo acompanhamento psicológico.

Caso #02 – “Acho que tenho um transtorno mental”

A ansiedade, depressão, pânico, entre outros distúrbios mentais, são comuns em nossa sociedade. Eles podem ser reflexos diretos do ambiente hiperconectado, acelerado e estressante em que vivemos, ou possuírem origem genética.

Quando as pessoas notam a existência de comportamentos atípicos, logo concluem que estão ficando loucas. Será que tem algo errado comigo?, divagam. Este pensamento, embora comum, deve ser combatido. Transtornos mentais são como as doenças físicas: enfermidades que carecem do processo de tratamento.

Se você acredita que está muito ansioso, desmotivado ou estressado e não entende porque, não tenha vergonha de procurar a terapia.

Um transtorno mental não diagnosticado causa muito sofrimento. Uma pessoa sem o conhecimento de sua saúde mental não sabe cuidar de si mesma apropriadamente ou responder a críticas alheias.

É importante recorrer ao psicólogo assim que os sintomas começarem a afetar a vida diária para que não se tornem incapacitantes.

Caso #03 – “Quero superar um trauma”

Um cenário extremamente comum são pessoas que procuram um psicólogo após uma morte na família, um acidente, um divórcio, uma situação violenta (assalto ou abuso), uma demissão, uma reprovação na escola, entre outros. São ocasiões que mexem com as emoções e a autopercepção.

Uma pessoa pode se sentir desmotivada, inútil ou incapaz ao ser mandada embora ou se estiver muito tempo desempregada. Esses sentimentos negativos podem ocasionar o surgimento de uma depressão. No cenário brasileiro atual, esta história não é incomum.

A terapia capacita os pacientes para lidar com eventos negativos, frustrações e traumas. Conversar sobre esses assuntos pode ser desagradável, mas é uma parte importante do processo.

Quando expressamos as nossas preocupações, tirando um pouco do peso de dentro de nós, a situação ruim fica mais leve. Não é nada saudável guardar esses sentimentos tão intensos em nosso interior.

Através da digestão dos mesmos, o psicólogo pode ajudar a passar pelo momento difícil ou ressignificar eventos do passado que afetam o paciente.

Caso #04 – “Quero encontrar respostas”

Viver é uma experiência intensa. Passamos por muitas vitórias e fracassos ao longo da nossa existência. Seja lá em qual momento da vida você estiver agora, chegar até ele não foi nada fácil, não é?

Diante de tantos caminhos para seguir é natural sentir incerteza. Algumas pessoas procuram a terapia para encontrar um direcionamento para suas vidas. É comum estudantes do ensino médio ou universitários buscarem ajuda profissional para receber orientações sobre o futuro ou para administrar uma situação complicada.

Por exemplo, quando há muitos conflitos dentro de casa, todos os residentes são afetados. Na terapia, embora talvez não seja provável chegar ao fim deste, principalmente quando envolve terceiros, é possível encontrar respostas para administrar a situação de forma que não lhe afete tanto.

Outro exemplo são fases da vida que costumam levantar muitos questionamentos, como na adolescência, início da vida adulta ou aposentadoria.

“Como proceder? O que devo fazer agora? Para onde devo ir?”, você pode se perguntar ao se encontrar em alguma delas. A terapia serve como um guia para passar por essas situações com mais tranquilidade.

Terapia Online X Terapia Presencial

O tratamento psicólogo tanto na terapia presencial quanto na terapia online é idêntico. O diferencial está apenas na forma de comunicação. Com a facilidade da tecnologia, o tratamento online se tornou possível para milhares de pessoas.

Se você está à procura de respostas, mas possui uma agenda apertada e compromissos quase intermináveis, a terapia online pode ser a escolha perfeita para o seu estilo de vida.

Além disso, é mais fácil encontrar profissionais com qualificações para um tratamento específico em um ambiente virtual. Na Vittude, os psicólogos possuem uma variedade de especializações. Facilmente, você encontra profissionais aptos a tratar um problema específico.

Acessando este link, você tem acesso ao nosso repertório. Basta fazer uma busca rápida para encontrar o psicólogo com o perfil desejado. Recomendamos marcar uma consulta inicial para conhecer o trabalho e a personalidade do profissional. Assim, você terá uma ideia de como será o tratamento!

Este post ajudou você? Então, aproveite para seguir a Vittude no Instagram e assine nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de mais conteúdos bacanas e novidades!

Leia também:

7 benefícios de um acompanhamento psicológico bem feito

Terapias alternativas: como elas ajudam no tratamento de transtornos mentais

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta