Perseverança em Foco: 7 Atitudes para Viver sem Desistir

Perseverança em foco: 7 atitudes para viver sem desistir

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

A perseverança é uma qualidade para cultivarmos. Às vezes encontramos desafios que aparentam ser grandes demais, além de experiências dolorosas capazes de deixar marcas. Embora tudo possa parecer perdido nesses momentos, vivências como essas fazem parte da vida de qualquer pessoa. 

Entretanto, nem sempre é fácil juntar forças dentro de nós para enfrentá-las, certo? 

O inesperado tem essa característica de manter as pessoas estagnadas, seja em uma situação (morte, doença ou demissão repentinas) ou em um trauma (abuso na infância, abandono parental ou bullying). Para enfrentar momentos ruins ou as feridas não cicatrizadas é preciso fazer um esforço a mais. 

No início, qualquer atitude extra pode parecer fora de cogitação. O cansaço, o esgotamento psicológico e o estresse podem impedi-lo de ver as possíveis soluções para os problemas. Mas, acredite, elas aparecem mais certo ou mais tarde quando se é perseverante! 

Quando a vontade de desistir aparece

A vontade de desistir pode surgir mais rapidamente para uns do que outros. 

Algumas pessoas aprendem esse comportamento dos pais ou o desenvolvem ao longo da infância e/ou adolescência. Por exemplo, pais que permitem que seus filhos desistam de tudo sem questionamentos encorajam esse comportamento, embora não tenham ciência disso.

Outra razão para a desistência frequente é a incapacidade de lidar com as emoções que despertam da falta de experiência ou conhecimento.

Quando essas pessoas se sentem envergonhadas, irritadas ou frustradas, logo desistem de seus objetivos e procuram outros para preencher o seu tempo. O problema é que ambos os elementos são aprendidos com a persistência.

Em alguns casos, as situações enfrentadas são muito árduas. O estresse proveniente delas promove tanto cansaço (mental e físico) que a vontade de desistir de tudo aparece sem convite! Para que seguir em frente nessas condições? Não existe um caminho mais simples?

Às vezes não. 

Precisamos passar por experiências ruins para aprendermos lições valiosas para o nosso crescimento pessoal de vez em quando. Na hora, essas situações podem parecer extenuantes, mas, depois, você conseguirá olhar para trás e pontuar exatamente quais elementos o ajudaram a ser a pessoa que é hoje. 

A desistência não proporciona isso. Ela, na verdade, gera arrependimento quando olhamos para trás e percebemos que desistimos antes da hora, ou que tínhamos capacidade para persistir e não aproveitamos a experiência. 

O hábito de desistir também leva à depressão. A pessoa que desiste facilmente não consegue compreender porque o faz e, assim, acredita haver algo de errado com ela. Ela pode pensar que é mais fraca ou menos competente que os demais, além de dificilmente sentir a satisfação de ver um grande feito concluído. 

Importância da perseverança

É evidente que às vezes “desistir” é a melhor opção. 

Quando não estamos preparados para um desafio, podemos pausar os nossos esforços, refletir sobre as características deles e juntar recursos (intelectuais ou materiais) para prosseguir. Em outras situações, descobrimos que uma aspiração estabelecida na juventude não corresponde, de fato, ao que não desejamos.

Só que em ambas as circunstâncias acima não há desistência! 

Pedir demissão de um emprego estressante, mudar de carreira, terminar um relacionamento de longa data, recomeçar um projeto do zero e trancar uma graduação ou mudar de curso costumam ser interpretados como desistências. 

Mas, na verdade, todos os esforços realizados para encontrar a felicidade são válidos. Saber quando “desistir” e modificar o trajeto para encontrar o bem-estar de uma forma diferente também são características das pessoas perseverantes. 

A perseverança é a qualidade de quem não desiste facilmente e apresenta consistência em suas atitudes e comportamentos. Permite que objetivos sejam alcançados, mesmo se for necessário se esforçar por anos ou mudar de caminho para conquistá-los. Assim, a paciência e a força de vontade também são características da pessoa perseverante.

Além disso, ser persistente significa aprender com os próprios erros para aprimorar habilidades, garantindo um melhor desempenho no futuro. A pessoa com essa qualidade não tem medo de anunciar os seus “fracassos” porque os considera parte da sua trajetória para o sucesso. 

Como ter mais perseverança 

Perseverança em Foco: 7 Atitudes para Viver sem Desistir

Algumas pessoas são naturalmente mais perseverantes enquanto outras precisam de empurrõezinhos para prosseguir. Provavelmente, as lições aprendidas pelo primeiro grupo ao longo da vida facilitaram o desenvolvimento da perseverança. Você também pode desenvolver essa qualidade quando quiser!

Abaixo, você vai encontrar algumas atitudes certeiras para fazer justamente isso. Não se cobre caso a vontade de desistir não enfraqueça de imediato. Leva tempo para desconstruirmos ou construirmos hábitos, crenças e pensamentos. 

Com a prática diária dessas atitudes, você gradualmente trará mais constância para o seu modo de pensar e agir:

  1. Seja sincero consigo mesmo;
  2. Motive-se diariamente;
  3. Estabeleça metas realistas;
  4. Viva no presente;
  5. Tente de novo, de novo e de novo;
  6. Cuide do seu emocional;
  7. Mantenha-se otimista.

Quer mais detalhes sobre como cada uma dessas técnicas pode funcionar no seu dia a dia? Veja!

1. Seja sincero consigo mesmo

Como visto, as pessoas perseverantes admitem e reconhecem os seus erros. Em outras palavras, elas são sinceras consigo mesmas e não veem necessidade de mascarar seus sentimentos ou a realidade com pretextos. Você também pode praticar a sinceridade consigo mesmo ao questionar-se sobre os seus sentimentos com frequência. Assim, sempre estará em sintonia com você.

2. Motive-se diariamente

A motivação não surge do nada, como se costuma pensar. Ela não é um traço de personalidade ou uma habilidade natural dos seres humanos. 

Nós é que precisamos buscar a motivação constante para não desistir de nossos empreendimentos. Sempre que o desânimo bater, a responsabilidade de elevar o seu ânimo é sua. Não se preocupe porque fazer isso é muito simples! Você pode:

  • Assistir um vídeo motivacional, como uma palestra online ou os vídeos do TED, empresa americana voltada para o compartilhamento de ideias e inspirações;
  • Reforçar o seu conhecimento ou uma habilidade necessária para alcançar o seu objetivo. Sentir-se no controle da situação vai aumentar a sua autoconfiança;
  • Repetir afirmações positivas;
  • Ler um livro motivacional ou a biografia de uma personalidade de sucesso;
  • Celebrar as suas vitórias;
  • Imaginar-se realizando o objetivo e como sua vida será após ter conquistado-o;
  • Participar de workshops, eventos locais e encontros de empreendedores. Pessoas empreendedoras estão sempre em busca de novidades e, por isso, costumam ser mais animadas que os demais. Aproveite a boa energia deles;
  • Conversar com um mentor ou uma pessoa que admira;
  • Repetir para si mesmo porque conquistar os seus objetivos é importante para você. Como eles fazem você se sentir agora? Como farão no futuro? Revisitar as ruas razões é importante para manter o seu objetivo próximo de você mesmo na correria do dia a dia.

3. Estabeleça metas realistas 

Apesar de ser possível conquistar os objetivos mais malucos com muita força de vontade (temos muitos exemplos disso ao redor do mundo!), se as suas metas não corresponderem à sua realidade você dificilmente os alcançará.

As metas servem para ajudá-lo a transitar pelas etapas necessárias para chegar até o seu objetivo. Quando são grandes demais, elas podem parecer muito assustadoras. Já quando não possuem muitas informações importantes, você pode ter dificuldades para escolher qual caminho seguir e acabar não as cumprindo. 

Quando for estabelecer metas, sempre leve em consideração o seu modo de vida e os seus recursos disponíveis no momento. Assim, você conseguirá crescer lentamente em direção ao topo, onde o seu objetivo se encontra.

4. Viva no presente

Se o medo de errar, de ser ridicularizado ou de ouvir críticas o faz desistir, você está vivendo no futuro. 

Se o medo de encontrar a mesma situação que aconteceu há cinco anos ou de ouvir um comentário desagradável daquele parente petulante tira a sua vontade de continuar, está esperando o passado se repetir. 

O único momento que você pode controlar é o presente! Nele, você é capaz de ajustar as suas atitudes e tomar decisões direcionadas ao seu objetivo. Então, deixe o passado para trás e não se preocupe com o futuro. Tenha confiança que você saberá agir se ou quando situações adversas chegarem.

5. Tente de novo, de novo e de novo

Perseverança em Foco: 7 Atitudes para Viver sem Desistir

Errou? Fracassou? Falhou?

Tente de novo. Tente quantas vezes forem necessárias. Sim, é frustrante fazer a mesma coisa milhares de vezes, mas esse processo é essencial para chegar ao resultado final. Não importa quantas vezes você precisar retornar a “estaca zero” ou quantos erros você cometeu no passado. Tente novamente até conseguir o que almeja! 

6. Cuide do seu emocional

Cuidar do emocional significa buscar inspirações para fazer um trabalho melhor, descansar quando sentir que não pode continuar, divertir-se com pessoas queridas, motivar-se diariamente e não dar tanta importância para tentativas frustradas. Basicamente, fazer de tudo para manter um estado de humor sereno e contente apesar das dificuldades. 

7. Mantenha-se otimista 

O otimismo pode levá-lo longe, sabia? Raramente as pessoas conseguem alcançar os seus objetivos sem o pensamento positivo. Ver o lado bom da vida deixa até os perrengues mais leves!

O seu diálogo interno deve ser recheado de palavras amigas e de encorajamentos, e não de críticas. Elas o ajudarão a fortalecer o seu amor-próprio e a ignorar a tentação de desistir. Então, seja a sua maior fonte de apoio e mãos à obra!
 
Todo mundo pode desenvolver a perseverança, mas às vezes incômodos emocionais podem estar prendendo-o ao passado, futuro ou pensamento negativo. Uma forma de livrar-se desses algozes que o aprisionam no mesmo lugar é fazendo terapia.

A Vittude pode ajudá-lo nisso. Descubra o que a terapia online pode fazer por você em nossa plataforma!

Vittude no prêmio iBest

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta