Autocuidado

Olhe para você: a saúde mental e a importância do autocuidado

Vamos falar sobre saúde mental e a importância do autocuidado? 

Embora esses temas estejam em ascensão nos últimos anos, ainda há muita relutância de pessoas que não acreditam nessas “besteiras”. Ansiedade, depressão e transtornos mentais, para elas, não passam de “frescura”. Logo, não compreendem a necessidade de olhar para si mesmas e praticar o autocuidado. 

Como está a sua saúde mental?

De quanto em quanto tempo você pensa na sua saúde mental? As pessoas vivem tão ocupadas com obrigações profissionais e familiares, além das suas próprias cobranças pessoais, que não se lembram de cuidar de si mesmas. 

Ignoram o estresse, ansiedade, exaustão mental e desgaste emocional em prol de cumprir deadlines, resolver problemas alheios e viver como se nada estivesse acontecendo dentro delas. Muitas ainda veem o sofrimento emocional e psicológico como “frescura” e se forçam a continuar com suas rotinas apertadas, esperando melhorar magicamente. 

O problema de ignorar os alertas da mente e do corpo é que você pode acabar em uma situação muito desagradável no futuro. O excesso de estresse e ansiedade refletem na saúde física negativamente, desencadeando doenças graves. 

Da mesma forma, esses fatores contribuem para o adoecimento da saúde mental. Assim, é uma questão de tempo para a depressão, o transtorno de ansiedade, a síndrome do pânico e as fobias surgirem e impactaram a qualidade de vida. 

Para ter uma ideia de como anda a sua saúde mental, você pode refletir sobre a qualidade das suas emoções e pensamentos. Ultimamente, você tem se sentido cansado, irritado, triste, desmotivado ou entediado? A sua mente é dominada por pensamentos negativos que aprofundam o seu mau humor?

Se você não consegue se lembrar da última vez que sentiu uma abundância de emoções boas ou sensação de paz interior, está na hora de começar a refletir sobre a saúde mental e a importância do autocuidado.  

A saúde mental e a importância do autocuidado

O autocuidado se trata de um conjunto de hábitos, posturas e valores que objetivam o bem-estar emocional, psicológico e físico. Como engloba múltiplas esferas da nossa vida, é muito eficiente para cuidar da saúde mental. 

E um dos diversos pontos positivos do autocuidado é que ele pode ser feito diariamente em qualquer lugar e em qualquer instante. 

Você cuida de você mesmo quando recusa um relacionamento, uma situação ou uma amizade que lhe faz mal. Ou quando decide deixar o expediente no horário correto na sexta-feira após uma semana de trabalhos além do horário. Ou, ainda, quando dedica preciosos momentos da sua rotina matinal para se arrumar do jeito que você gosta.

Em outras palavras, o autocuidado é feito e aproveitado nos mínimos detalhes. Por mais que eles não pareçam tão importantes à primeira vista, essas pequenas ações, quando contabilizadas, causam um impacto enorme na saúde mental. 

Embora você tenha obrigações, pendências e afazeres para concluir, também possui um compromisso consigo mesmo. Este, de fato, é o seu compromisso mais importante porque ele garante a saúde, disposição e bom humor necessários para o seu funcionamento diário.

A maioria das pessoas hoje está no mesmo barco: vivendo uma vida acelerada e estressante sem tempo ou sem vontade de olhar para elas mesmas. Saia desse piloto automático para entender como cuidar da sua saúde mental e a importância do autocuidado. 

Autocuidado: um novo olhar em tempos de pandemia

O autocuidado foi visto com um novo olhar em tempos de pandemia de coronavírus. Desde o seu início, em março de 2020, pessoas de todo o mundo passaram por experiências negativas, as quais despertaram diversas angústias. 

O luto, a contração da doença, o período de ociosidade, o desemprego, o medo, entre outros fatores que conhecemos muito bem, contribuíram para o aumento drástico de casos de depressão e de ansiedade. Chegamos, inclusive, ao ponto de gerar uma nova preocupação, um novo “transtorno” relacionado à pandemia: o Corona Blues.

Para prevenir patologias físicas e psicológicas em um momento de incerteza e extrema negatividade, o autocuidado passou a ser indispensável. 

Como desenvolver o autocuidado?

Uma pessoa que nunca se dedicou ao autocuidado pode ter dificuldade para compreender o que o constitui e o que fazer para trazê-lo para sua vida. Por isso, separamos cinco maneiras de incorporar os cuidados consigo mesmo em sua rotina.

Terapia

A terapia é a principal ferramenta para cuidar da saúde mental e compreender a importância do autocuidado. O acompanhamento psicológico com um profissional é transformador, pois promove a modificação de hábitos, sentimentos e pensamentos negativos. Assim, o paciente se livra das fontes de seu sofrimento. 

Ele também passa a entender que precisa se colocar como prioridade em sua vida. Deste modo, consegue lidar com os acontecimentos de uma forma saudável. 

Como cada indivíduo é diferente, a terapia é igualmente única. Nenhum processo psicoterapêutico é igual ao outro, embora o profissional utilize a mesma abordagem da psicologia com vários pacientes. 

Os incômodos emocionais são solucionados conforme a resposta e a personalidade do paciente. Por isso, algumas pessoas podem precisar de um número maior de consultas até se fortalecerem e se encontrarem enquanto outras se sentem bem após poucos encontros. 

Além disso, a terapia ensina os pacientes como cuidar da saúde mental e a importância do autocuidado para o restante da vida. 

Mudança de hábitos

A mudança de hábitos é essencial para elevar a qualidade de vida. As nossas ações, posturas e perspectivas influenciam significativamente em nossa saúde mental. Portanto, é preciso reavaliar os costumes que você tem cultivado há tanto tempo para identificar se, de fato, eles estão lhe fazendo bem.

Uma pessoa com mania de comparação, por exemplo, precisa quebrar este hábito comportamental para encontrar a sua verdadeira essência e deixar de focar somente no sucesso alheio. 

Já uma pessoa com hábito de reclamar precisa cessá-lo para coibir a descarga de emoções desagradáveis e de estresse, além de ser capaz de desenvolver uma mentalidade otimista. Ela pode fazer isso ao substituir esse hábito pela gratidão, por exemplo.

Reflita, então, sobre os seus hábitos e como eles lhe fazem sentir. Se você possui um costume que resulta em sensações ruins, substitua-o por uma alternativa saudável. Por “saudável” entende-se o que lhe desperta sensações, pensamentos e emoções boas. 

Técnicas de relaxamento

As técnicas de relaxamento compõem os autocuidados para transtorno de ansiedade, estresse e fobias. Há quem considera os churrascos e bebedeiras com amigos como uma forma de relaxamento após uma semana desgastante.

Apesar desses momentos de descontração ajudarem a afastar a negatividade, eles não possuem o mesmo efeito de métodos desenvolvidos exclusivamente para o relaxamento do corpo e a limpeza da mente. 

Além disso, muitas pessoas não gostam de tirar um momento da rotina corrida para relaxar. Acreditam que estão “perdendo tempo” por fecharem os olhos momentaneamente para meditar ou fazer um exercício de imaginação relaxante. 

Sem o relaxamento, contudo, o estresse e a ansiedade acumulam. Eles precisam ser liberados de alguma forma e, quando você relaxa, faz isso de uma maneira saudável. Ou seja, as técnicas de relaxamento são ferramentas indispensáveis de autocuidado.

Sendo assim, você pode:

  • Meditar;
  • Praticar yoga;
  • Ouvir um áudio tranquilizador;
  • Respirar profundamente em momentos de estresse;
  • Fazer técnicas de visualização;
  • Caminhar ou correr;
  • Pensar, escrever ou falar afirmações positivas em voz alta;
  • Fazer acupuntura;
  • Receber uma massagem; e
  • Fazer terapia.

Autoconhecimento

O autoconhecimento e autocuidado estão interligados de certa maneira. Quanto mais você se conhece, mais tranquilidade você sente. 

Ao ter consciência de suas capacidades, crenças, valores, qualidades e comportamentos, você desenvolve uma perspectiva de vida mais serena. Isso acontece porque você confia que conseguirá passar por diversas situações com a cabeça erguida, independente se forem desagradáveis. 

Em outras palavras, o autoconhecimento promove a autoconfiança e eleva a autoestima. Dessa maneira, você se desapega de preocupações e inseguranças, as quais o impedem de correr riscos, aceitar desafios, ousar e viver.  

Mudança de mentalidade

Por fim, o autocuidado pode ser praticado através da mudança de mentalidade. 

Normalmente, esta é a primeira mudança a ser feita. Afinal, se você não acredita que cuidar de si mesmo é necessário ou vantajoso, como conseguirá fazê-lo? É preciso ter a mente aberta para conseguir modificar hábitos ruins e incorporar práticas que beneficiam a saúde mental.  

Entretanto, esta é também a mudança mais difícil. Se uma pessoa não está aberta a modificar o modo como vê a vida e a si mesma, simplesmente porque acredita estar sempre certa, a mudança de mentalidade demora a acontecer. 

Muitas vezes, tudo o que uma pessoa precisa para combater a estagnação e a infelicidade é mudar a forma como pensa. Uma mentalidade positiva atrai somente coisas boas – felicidade, alegria, autoaceitação, amor-próprio, bons relacionamentos e autoconfiança

Já uma mentalidade pessimista estimula pensamentos ruins, ressentimento, rancor, medo, insegurança, angústia e outros elementos que perturbam a saúde mental.

Todavia, modificar o modo como você vê a vida de uma hora para a outra pode ser desgastante já que este processo acarreta uma série de confrontos pessoais. Quando feito com a orientação de um psicólogo, ele é menos extenuante.

Se você quer investir em seu autocuidado e deseja um acompanhamento para que suas novas perspectivas sejam ainda mais evidentes e presentes em sua vida, a Vittude é a melhor opção para você!

Com psicólogos e psicólogas de diferentes abordagens e especialidades, você poderá escolher quais questões gostaria de trabalhar primeiro e como fazer isso por meio da terapia online ou presencial. Comece agora mesmo agendando sua primeira consulta abaixo:

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta

Compartilhe usando os botões abaixo !
Published by
Tatiana Pimenta

Recent Posts

TOC – Transtorno Obsessivo Compulsivo – Sinais e tratamentos

O transtorno obsessivo compulsivo pode aparecer de diversas formas, e apesar de ser excessivamente usado…

7 horas ago

Como superar a morte de um pai?

Afinal, como superar a morte de um pai? Pode ser difícil lidar com o luto,…

2 dias ago

Como escolher um psicólogo? Dicas e critérios essenciais

Você sabe como escolher um psicólogo? Essa decisão pode ser difícil, mas é essencial para…

3 dias ago

Síndrome do Impostor: aprenda como superar a autossabotagem

A Síndrome do Impostor é algo comum, que pode impactar pessoas em relação ao trabalho,…

4 dias ago

Quais são os sintomas de crise de ansiedade e pânico?

Os sintomas de crise de ansiedade e pânico são similares, mas existem pequenas diferenças que…

2 semanas ago

A terapia EMDR é a melhor opção para traumas?

A terapia EMDR é uma abordagem que envolve uma reprogramação do cérebro, direcionada a trabalhar…

3 semanas ago

Já fez Terapia Online? 😉

Começar agora!