Saúde mental infantil - dicas para cuidar da mente dos pequenos desde cedo

Saúde mental infantil: dicas para cuidar da mente dos pequenos desde cedo

  |  Tempo de leitura: 10 minutos

A saúde mental infantil é um assunto que deveria ser amplamente debatido. Os transtornos mentais se manifestam de maneira diferente nas crianças e os seus sintomas podem ser confundidos com problemas comportamentais, dificultando o diagnóstico. 

Além disso, os pequenos também podem sofrer com transtornos de conduta, os quais são comumente interpretados como manha, birra ou má criação. Quando a criança apresenta um comportamento muito atípico ou agressivo em casa e é diferente na escola (ou vice-versa), é provável que tenha alguma condição comportamental. 

Como as crianças têm dificuldade para cuidar de suas emoções e condutas por serem inexperientes e estarem em fase de desenvolvimento, os adultos presentes em suas vidas devem ficar atentos aos sinais de perturbações na saúde mental infantil

Crianças podem ter depressão, ansiedade e outros transtornos?

As crianças também são suscetíveis à perturbação do bem-estar emocional, embora não a expressem da mesma forma que os adultos. 

Os sintomas da depressão infantil, por exemplo, são semelhantes aos da depressão que acomete os adultos. A criança depressiva, no entanto, encontra dificuldades para transformar os seus sentimentos em palavras

Em vez disso, ela os extravasa através de comportamentos inapropriados, como crises de choro, desrespeito com os pais, isolamento dos amigos, queda na performance escolar, e regressão a atitudes de crianças mais novas ou bebês. A quietude nas crianças é sempre um indicativo de que algo não está como deveria ser. 

Ansiedade, síndrome do pânico, TDAH, distúrbios alimentares, TEPT e outras condições prejudiciais à saúde mental infantil se manifestam de maneira semelhante à depressão. Assim que seus sintomas forem notados, a criança deve consultar um psicólogo. 

De acordo com a Mental Health Foundation (Fundação da Saúde Mental, em português), instituição com base na Inglaterra, cerca de 70% das crianças e dos jovens não recebem o tratamento necessário na idade adequada. Ou seja, a criança sofre durante a infância e a adolescência, iniciando a jornada adulta com diversas pendências emocionais. 

Logo, um novo problema surge. Muitos adultos em determinada idade não costumam fazer terapia para modificar comportamentos negativos por acreditarem no ditado popular “eu sou assim e vou morrer assim”.

Como a negligência com a saúde mental infantil afeta o desenvolvimento?

A negligência com a saúde mental infantil resulta em vários impasses emocionais e comportamentais. Muitos deles poderiam ser facilmente tratados com a psicoterapia infantil e, assim, reduzir o sofrimento dos pequenos durante uma fase tão gostosa da vida. 

A infância deveria ser livre de preocupações e tristezas

Saúde mental infantil - dicas para cuidar da mente dos pequenos desde cedo

Mesmo quando a criança enfrenta circunstâncias de vida desfavoráveis, como a pobreza ou a falta de acesso à educação, a sua mente pode ser poupada da desesperança.

Ela pode ser ensinada a ser resiliente e otimista dentro do seu contexto social. Obviamente, este é um trabalho árduo, mas longe de ser impossível. 

Algumas consequências de não cuidar da mente das crianças, além do surgimento de transtornos mentais, são:

  • dificuldade para comer de maneira saudável e se exercitar regularmente, pois a criança não aprende que a saúde mental e física estão interligadas;
  • conflitos na escola;
  • desempenho escolar precário. Consequentemente, a criança não exercita o cérebro e não adquire conhecimento básico, atrasando o seu desenvolvimento cognitivo;
  • desconfiança nos pais e em adultos;
  • dificuldade ou inabilidade de se sentir amado ou compreendido;
  • estabelecimento de relacionamentos interpessoais ruins na vida adulta; 
  • sufocamento dos sentimentos e das emoções;
  • baixa autoestima;
  • ausência de autoaceitação, a qual pode levar a conflitos de identidade duradouros;
  • sentimento de inutilidade, como se não importasse;
  • sensação de que precisa trabalhar além do necessário para chamar atenção, o que pode levar ao esgotamento ou a frustração
  • falta de apego aos familiares;
  • inaptidão para processar e se livrar de mágoas da infância;
  • postura de fácil desistência perante problemas; e
  • transtornos de conduta.

O que fazer em caso de suspeita de transtorno mental? 

Sempre se deve buscar a psicoterapia infantil para restaurar a saúde da mente da criança e evitar futuros problemas de desenvolvimento. Algumas famílias podem se sentir envergonhadas, demasiadamente culpadas ou não compreender o que, de fato, é tão difícil para a criança.

Por conta disso, podem evitar procurar ajuda profissional. Essa decisão não é nada benéfica para a saúde mental infantil das crianças. 

Vergonha

Se você tem vergonha do que familiares e terceiros vão pensar de seus filhos ou se vão duvidar da sua capacidade para criá-los, repense esse sentimento.

O que as pessoas de fora têm a ver com a sua família?  Como estão em uma posição de desapego emocional, para elas é fácil comentar ou falar coisas incômodas. Não se apegue a julgamentos ou críticas que colocarão em risco a saúde mental do(s) seu(s) filho(s).

Culpa

Caso a culpa abale o seu emocional a ponto de impedi-lo de procurar ajuda para o filho, lembre-se que você fez o melhor que pode. É impossível se tornar um superpai ou uma supermãe da noite para o dia. Na verdade, você pode passar a vida inteira tentando ser a figura parental perfeita e fracassar.

O seu filho não precisa de perfeição. 

Os erros são importantes para ele aprender o valor da determinação. Seu filho precisa de um pai ou uma mãe que o ensine a buscar o bem-estar emocional sempre que sentir-se triste. Essa habilidade fará muita diferença em sua qualidade de vida no futuro. 

Se perdoe pelos seus erros e assuma a sua condição de ser humano. Dessa forma, passará um exemplo mais produtivo para o filho e, ainda, o ajudará a cuidar da saúde mental. 

Desconhecimento a respeito da saúde mental infantil

Com a psicoterapia infantil, os pais aprendem muito sobre o comportamento dos filhos, transtornos mentais e como abordar assuntos típicos da criação de crianças. A falta de conhecimento não precisa assustá-lo, pois ela pode ser facilmente solucionada.  

5 maneiras de promover a saúde mental infantil

Não é preciso se preocupar, pois cuidar da saúde mental infantil é simples. Muitas vezes o que falta é uma mudança de perspectiva.

Os próprios pais carregam traumas e ressentimentos do seu passado como crianças.

Mesmo quando desaprovam a conduta que seus pais tiveram, como repressão exagerada ou descuido com seus sentimentos, acabam replicando alguns comportamentos inconscientemente. 

Portanto, cuidar da saúde da mente dos pequenos exige autoconsciência de suas atitudes e pequenos movimentos de mudança. Em seguida, você verá algumas dicas para ajudá-lo nesse caminho. Se desejar trabalhar esses aspectos mais profundamente, porém, busque autoconhecimento na terapia familiar.  

Permitir que a criança seja uma criança

Da mesma forma que as crianças precisam ter responsabilidades, de acordo com suas capacidades físicas e mentais, também precisam brincar.

A brincadeira é a maneira dos pequenos de exercitar o cérebro e o corpo e de se autoexpressar. Não é à toa que a psicoterapia infantil é composta pela ludoterapia

Preferencialmente, o momento de diversão deve conter brincadeiras à moda antiga, como correr ou subir em árvores.

Saúde mental infantil - dicas para cuidar da mente dos pequenos desde cedo

No entanto, na era digital, sabemos que isso não é sempre possível. Ainda assim, procure diversificar os períodos de brincadeira dos filhos nas suas horas vagas, encorajando-os a praticar esportes e fazer jogos mais ativos. 

Demonstrar sentimentos (à sua maneira)

Alguns pais têm dificuldades afetivas oriundas de suas criações. E tudo bem. Cada pessoa expressa os seus sentimentos de maneira única.

Só não se esqueça de demonstrar o quanto os seus filhos são importantes e o quanto os ama e, se algum dia duvidarem, converse com eles sobre as diferentes maneiras de amar.

Por exemplo, o amor pode ser expresso por meio de atos em vez de palavras. 

Pode parecer uma preocupação anormal, mas muitas crianças sentem falta de afeto dos pais enquanto crescem.  

Acompanhar a vida escolar do filho

A escola é o ambiente social mais importante das crianças. Lá, elas aprendem a fazer amizades e a serem responsáveis.

Os professores convivem muito com os pequenos e têm vasta experiência com crianças e, por isso, conseguem identificar problemas comportamentais mais rápido. É válido os pais os ouvirem quando possuírem alguma preocupação e também acompanharem o desempenho escolar dos filhos de perto. 

Valorizar as suas emoções, opiniões e traços de personalidade

A criança tem a sua própria individualidade. Embora a sua personalidade não esteja totalmente formada, já expressa traços, qualidades e defeitos, os quais podem ser estimulados ou minimizados pelos pais. O ideal é permitir que ela se expresse e corrigir condutas que podem causar mal à elas e aos demais. 

Ensinar a solucionar problemas

Essa dica é muito importante! 

Ensine seus filhos a solucionarem problemas, tais como brigas com amigos, notas baixas ou objetos quebrados, de forma inteligente.

Quando os pais fazem tudo pela criança, ela não aprende a se virar sozinha e pode se tornar emocionalmente dependente. Já quando os filhos são ensinados a buscar soluções, eles aprendem a lidar com a frustração e a ser emocionalmente inteligentes.  

Busque psicoterapia infantil na Vittude!

Agora que você entendeu a importância de começar a cuidar da saúde mental infantil o mais cedo possível, saiba que a ajuda de um profissional pode ser uma ótima ideia para melhorar a vida dos pequenos!

Na Vittude você encontra diversos psicólogos especializados em psicoterapia infantil, que vão saber lidar com as questões que podem afeitar a vida das crianças com muita expertise, auxiliando em cada passo para evitar problemas maiores posteriormente.

Agendar uma consulta em nossa plataforma é muito simples:

  1. Acesse o site e escolha o profissional que você acredita que pode ajudar seus pequenos;
  2. Decida a data e horário para que eles possam conversar;
  3. Efetue o pagamento das consultas;
  4. O(a) psicólogo(a) estará à disposição para ajudar (por vídeo ou presencialmente).

Vale lembrar que, nessa idade, o acompanhamento dos pais para reforçar a importância do tratamento é essencial. Portanto, sempre que for solicitado, converse com o(a) profissional para entender como está o andamento e de que maneira pode ajudar!

Vittude no prêmio iBest

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta