Resultados da pesquisa Termo pesquisado: "percepção"

Famílias

O olhar para dentro e a percepção da importância das famílias

  |  Tempo de leitura: 2 minutos

Vivemos em tempos difíceis, onde as famílias são construídas na base do desconhecimento, onde cada ser é individual. Pais trabalham em média 20 horas por dia, filhos estudam 8 horas por dia e mal possuem tempo para brincar e se divertir. Somos seres desconhecidos vivendo embaixo de um mesmo teto, compartilhando estórias, mas sem conhecer as preferências das pessoas que moram na mesma casa que nós. Será que elas estão sofrendo algum tipo de maus tratos? Ou bullying? Ou se precisam de um afeto, um carinho ou um simples abraço. Um novo olhar para reconstrução das famílias Pais desconhecem as preferências dos seus filhos. Desconhecem seu amigo, não sabem com quem o filho conversa e muito menos se ele está indo bem na escola. Afinal, reunião de pais é para pais que não trabalham, e somos muito ocupados para perder tempo em ir a escola e ouvir o que já...

Continue lendo
Suicídio juvenil

Suicídio Juvenil

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

Discorrer sobre suicídio na adolescência é uma necessidade. Primeiramente, as estatísticas apresentam um aumento mundial nessa taxa ao longo dos últimos anos, apontando que os jovens passaram a se suicidar mais que os adultos com idade acima de 45 anos, sendo o suicídio a segunda causa de morte na faixa etária dos 15─29 anos (Psic, 2011; WHO, 2014). Nesse contexto, atentar-se para os modos de ser e viver a juventude é importante, pois a adolescência costuma ser marcada por modificações biopsicossociais que podem ser acompanhadas de conflitos e angústias (Abasse, Oliveira, Silva, & Souza, 2009; Hildebrandt, Zart, & Leite, 2011; Pisani et al., 2012). Suicídio juvenil: o ápice de uma ideia Assim, ter, ocasionalmente, ideias suicidas no período da adolescência não é anormal, uma vez que pode ser considerada parte do processo evolutivo, pois o intento suicida pode ser uma forma encontrada pelo jovem para solucionar imaginariamente problemas existenciais. No...

Continue lendo
Perdas e luto

Perdas e luto

  |  Tempo de leitura: 3 minutos

Difícil de tratar, o luto é doloroso, causa dor e sofrimento, quer seja com a perda de um ente querido ou a perda do objeto amado. Atualmente a presença da morte, se faz presente de forma constante. Através do que é noticiado pela TV, ou em outros meios. Na TV, escutamos o tempo todo sobre a morte de pessoas, ou porque se foram por alguma doença, ou por conta da violência nas cidades, percebemos de forma mais evidente o quanto a perda está presente nas nossas vidas. De alguma forma nos causa um impacto e nos faz refletir, na tristeza que o outro sente ou até de imaginar que esses “acidentes” poderiam ocorrer com cada um de nos. Como lidar com essa questão e o que fazer para amenizar o sofrimento? Embora o ciclo da vida seja constituído por nascimento, crescimento, reprodução e morte, para esta última nem sempre estamos...

Continue lendo
Quetiapina, esquizofrenia e transtorno bipolar

Quetiapina: um tratamento para transtorno bipolar

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

Quetiapina é um medicamento tipicamente usado por pacientes com transtorno bipolar e esquizofrenia. Ela é classificada em quatro categorias: antipsicótico atípico, antipsicótico de segunda geração, antagonista da serotonina-dopamina e, por fim, estabilizador de humor. Se você ouvir qualquer uma dessas definições, saiba que as quatro estão corretas. Ela também pode ser usada para tratamento de insônia e ansiedade leve como também ser potencializador de antidepressivos, no caso de depressão grave ou depressão associada à bipolaridade. O que é Quetiapina A quetiapina é um antipsicótico atípico derivado da dibenzotiazepina e possui ampla afinidade por diferentes subtipos de receptores presentes no sistema nervoso central. Ela é considerada tão eficaz quanto a clorpromazina no tratamento de sintomas negativos e positivos da esquizofrenia e, ainda, apresenta menos efeitos colaterais. Ela pode ser encontrada em formato de comprimido nas doses 25 mg, 100 mg, 200 mg e 300 mg. Também existem os comprimidos de liberação...

Continue lendo