sozinho

Sentindo-se sozinho? Veja 6 dicas para superar a solidão

  |  Tempo de leitura: 10 minutos

É fácil se sentir sozinho na quarentena. Ainda que se tenha contato regular com amigos e familiares, a saudade da vida como era antes contribui para o sentimento de solidão.

A circulação limitada aliada ao trabalho remoto ou trabalho presencial com carga horária reduzida é desconfortável. Ninguém gosta de ter a sua liberdade restringida, mesmo que seja de forma temporária. 

Além disso, a ausência de saídas com os amigos, happy hour depois do trabalho, aniversários e churrascos de final de semana com a família toda começa a pesar mesmo após o isolamento social ter se tornado costume. 

No entanto, há benefícios em aprender a lidar com a própria solidão. A quarentena nos permitiu o desligamento com um estilo de vida apressado.

Agora, podemos ficar a sós com quem realmente importa: nós mesmos.

Sozinho na quarentena: se curtindo
Que tal se curtir um pouco mais? 😉

Ficar sozinho pode ser bom

Estamos acostumados com um mundo hiperconectado e ágil. Na maioria das vezes, as respostas precisam ser para ontem.

Quem não consegue acompanhar o ritmo do trabalho, das redes sociais e dos grupos de conversa do WhatsApp precisa absorver um pouco dessa agilidade.  

Este modelo, embora pareça ser extremamente social, não permite que os relacionamentos se aprofundem. As amizades são mais superficiais e a necessidade de conexão e interação pode beirar o obsessivo.  

Afinal, não raro encontramos pessoas viciadas no mundo cibernético. Muitas compartilham o máximo possível de suas vidas pessoais e, mesmo assim, se sentem sozinhas.

As videoconferências têm sido muito importantes para manter as pessoas conectadas durante a quarentena, mas não substituem o contato cara a cara.

Cenários semelhantes se repetem fora da internet. Em vez de o indivíduo partilhar a vida nas redes sociais, tenta formar o maior número de laços de amizade ou se aventurar em relacionamentos amorosos, independente da qualidade dos mesmos. 

Por isso, administrar a solidão traz uma série de benefícios para a nossa saúde mental. Aprender a “ficar sozinho” sem sofrer é uma habilidade que muitos ignoram devido ao temor da solidão.

Além disso, o aprendizado geralmente é dificultado pela mistura de sensações que acompanham a solidão, como a tristeza, o medo e a ansiedade

Por sinal, se a ansiedade está tirando o seu sono nesta quarentena, descubra como vencê-la.

Vencendo a ansiedade

Embora seja um caminho repleto de percalços, abraçar a solidão não é impossível. É uma questão de saúde, sobrevivência e qualidade de vida.

Benefícios de ficar sozinho 

Os brasileiros são um povo animado e festivo sempre em busca de afugentar a solidão. Porém, aprender a aproveitar a própria companhia traz uma série de benefícios para a saúde bem como para a vida profissional, social e amorosa.  

Observar os pontos positivos é o primeiro passo para aprender a ficar sozinho, pois, assim, é possível mudar a percepção da solidão como um sentimento estritamente negativo. 

Alguns benefícios de estar só são:

  • Estímulo ao autoconhecimento: as pessoas costumam avaliar suas atitudes e sentimentos somente quando estão sozinhas, resultando, assim, em uma maior compreensão de si mesmo.
  • Promoção da reflexão: por vezes, temos a necessidade de pensar no porquê das coisas complicadas. Quando nos encontramos sós, é mais fácil atrairmos esses pensamentos, assim como compreendê-los sem influência de terceiros.  
  • Aumento da criatividade: muitos não sabem, mas a criatividade flui melhor quando estamos com a mente quieta. É assim que os sentimentos e as ideias se manifestam sem barreiras. 
  • Maior foco: sem trânsito, rádio, burburinho de conversa, telefone tocando, televisão ao fundo, é possível produzir melhor e mais facilmente. 
  • Aceleração do amadurecimento: a pandemia forçou as pessoas a passarem mais tempo em casa. Mesmo quem convive com familiares, acaba sentindo falta de outros aspectos da vida. Encontrar maneiras de lidar com isso promove o amadurecimento, pois é como vencer um desafio.  

É claro que se você é uma pessoa extrovertida e adora estar no meio das pessoas, deve buscar satisfazer essa vontade. No entanto, neste momento delicado não podemos sair com a mesma facilidade de antes, certo? Vale a pena, então, tornar a solidão da quarentena mais aprazível.

Estratégias para superar a solidão 

Agora que você já sabe quais os benefícios aliados à sensação de estar sozinho, vamos ao o que realmente interessa: estratégias eficazes para você chegar lá! 

Investigue a origem do sentimento

Muitos estão sentindo-se sozinhos, isolados em suas casas. Mas o que exatamente nesta situação incomoda você? Analisar as emoções atreladas à sensação de estar só traz insights sobre como você pode manejar a solidão. 

Para exemplificar, pense em uma pessoa que sente falta de encontrar os amigos todas às quintas-feiras para o almoço. Para suprir a saudade dos encontros semanais, ela pode combinar de conversar por videoconferência em um horário próximo ou até mesmo marcar almoços à distância para simular o encontro. 

Se o problema é a falta de passear pela cidade, saia para caminhar (com a devida proteção) em um horário menos movimentado. Se simplesmente deseja visitar aquela padaria gostosa para o café da tarde, prepare um para si mesmo em casa. 

São formas simples de quebrar a rotina e cultivar bom humor que a princípio podem parecer besteira, mas funcionam. 

Priorize a qualidade das interações

Se a saudade é de interagir com as pessoas, procure interações bacanas em vez de visar a quantidade de interações. 

Como falamos antes, a hiperconectividade tornou os relacionamentos superficiais e acabamos nos acostumando com isso. Combinando este fator aos breves encontros casuais, em que a típica pergunta “Vamos marcar alguma coisa?” não recebe respostas, fica difícil sustentar uma conversa significativa. 

Busque grupos de pessoas com interesses semelhantes, os quais são voltados justamente para conversar sobre determinado assunto. Da mesma forma, interaja com pessoas próximas que o façam se sentir bem e fuja daquelas que o deixam para baixo. 

Escolha também assuntos que contribuam para o seu bem-estar. Por exemplo, um hobby compartilhado, a última leitura ou um interesse em comum. Mude o foco quando temas desagradáveis surgirem na conversa. Dessa forma, você também ajuda a outra pessoa a ser mais bem humorada.

Descubra novos caminhos para seguir sozinho

Estar só é uma ótima oportunidade para planejar a sua vida. 

Quais os próximos passos que você quer dar? Quais sonhos deseja realizar e quais podem ser alcançados mais rapidamente? Qual caminho trará mais satisfação? Um curso? Um relacionamento? Uma profissão? Não tenha medo de sonhar.

Se não sabe as respostas para as perguntas acima, está na hora de andar pelo caminho do autoconhecimento. Sem pressão e sem pressa (afinal, estamos no meio de uma pandemia), responda os questionamentos com sinceridade. O ideal é fazê-lo mais de uma vez na semana para estimular a sua mente. Eventualmente, você chegará a uma resposta concreta.

Banner autoconhecimento

Em seguida, trace metas curtas e possíveis de serem concluídas durante a quarentena, e metas longas para o pós-pandemia. Com certeza, você encontrará um propósito, mesmo que seja breve, para ocupar a sua mente. 

Pratique, pratique, pratique

Pode soar estranho, mas aprender a ficar sozinho é questão de prática. 

Quando a sensação de solidão ameaçar se manifestar, ocupe a sua mente. Uma estratégia poderosa é combater os pensamentos negativos com um diálogo interno positivo. Fale para si mesmo: “Estou bem assim. Vou fazer algo divertido para me distrair e vou ficar bem. Não há nada de errado em sentir solidão”. 

De fato, você não está totalmente sozinho. Pode estar fisicamente, mas não emocionalmente. Há pessoas que se importam e gostam de você mesmo estando longe. 

Um exercício de igual importância é relembrar a si mesmo que a quarentena é passageira. A vida não vai voltar ao mesmo normal de antes. Na verdade, pode ser bem diferente do que já conhecemos. Felizmente, os humanos são seres resilientes, capazes de se adaptar às adversidades.

Ao refletir sobre essas questões, você constrói uma mentalidade mais forte e combate os efeitos da negação, os quais são nocivos para a saúde-mental. 

Tenha sempre meios de combater o tédio

O tédio rouba o entusiasmo pelos pequenos prazeres do dia. Para mantê-lo longe, você pode praticar atividades lúdicas, como artesanato, dança, pintura ou até costura. Preferencialmente, estabeleça um objetivo para ficar motivado

Outras formas de espantar o tédio são fazer um SPA em casa, assistir séries sem culpa, fazer meditação e praticar uma atividade física. Em outras palavras, fazer algo para você e somente para você, prestando atenção em suas emoções. Lembre-se de manter a mente tranquila e focada para expulsar o estresse do cotidiano.   

Busque o bem-estar emocional na terapia

A terapia promove o bem-estar através do autoconhecimento, da inteligência emocional e da superação de problemas emocionais, como a baixa autoestima. 

Assim como as sessões com o psicólogo têm como propósito abrir caminho para o paciente se livrar de angústias, elas o ajudam crescer. Como ele se torna mais consciente dos seus atos, palavras e emoções, o paciente consegue administrá-los visando o bem-estar emocional.  

Ebook 24 razões

Novamente, pode soar estranho, mas nem sempre as pessoas agem pensando no que é melhor para si. É comum a conduta da pessoa ser o motivo principal de sua infelicidade.  

Na Vittude, os psicólogos estão cientes das questões emocionais e psicológicas resultantes da pandemia.

Por conta disso, nos comprometemos em ajudá-lo a encontrar um profissional para ensiná-lo a afastar a solidão!

Leia mais sobre como não se sentir tão sozinho(a) na quarentena:

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta