medo

Medo: por que sentimos e como superá-lo

  |  Tempo de leitura: 7 minutos

O medo não é sinal de fraqueza ou covardia. Muito pelo contrário: é uma reação involuntária e natural com a qual o ser humano convive ao longo de vários momentos de sua vida. Muitas situações podem desencadear essa emoção, desde ver uma barata até um revólver na sua cabeça. O cérebro é ativado involuntariamente quando sofre tais estímulos estressantes, liberando substâncias que disparam o coração, tornam a respiração ofegante e contraem os músculos. Essa é a conhecida reação de luta ou fuga, afinal, o medo está associado ao instinto de sobrevivência. Se as pessoas não sentissem medo, não viveriam por muito tempo. Isso porque sem essa emoção faríamos qualquer coisa sem pensar duas vezes: andaríamos entre os carros em alta velocidade nas avenidas, ficaríamos lado a lado de animais ferozes, pularíamos de prédios etc. O medo, portanto, é uma trava que nos ajuda a pensar nos riscos e consequências antes...

Continue lendo
estresse pós-traumático

Estresse pós-traumático: como lidar com o transtorno depois do trauma

  |  Tempo de leitura: 6 minutos

Você provavelmente conhece alguém que já passou por um grande trauma durante a vida. O estresse pós-traumático pode gerar um impacto tão forte que parece nunca ser possível se recuperar dele. Você pode até ser essa pessoa. Apesar de triste, é muito comum vivenciarmos situações de violência dirigidas à nós ou a pessoas próximas, assim como catástrofes ou outros acontecimentos trágicos. Em alguns casos, passar por uma situação traumática gera o transtorno do estresse pós-traumático (TEPT), um tipo de distúrbio de ansiedade caracterizado por sinais psíquicos, emocionais e físicos. O mais comum dos exemplos são de ex-veteranos de guerra. Existe uma previsão de que entre 11% e 20% dos militares que serviram nas operações Liberdade Iraquiana e Liberdade Duradoura vão sofrer de TEPT em algum momento da vida. Entre 15% e 20% das pessoas que, de alguma forma, estiveram envolvidas em casos de violência urbana, agressão física, abuso sexual, terrorismo,...

Continue lendo
Paranóia ou precaução. Estamos medrosos demais?

Paranoia ou precaução? Estamos medrosos demais?

  |  Tempo de leitura: 6 minutos

Diariamente recebemos notícias que nos levam ao medo, ansiedade e preocupação. Exemplos disso são as recentes quedas de aviões, golpes políticos seguidos de violência nas ruas e ataques terroristas na Europa e nos EUA. Isso sem contar as notícias sobre possíveis bombardeios durante as Olimpíadas do Rio 2016.Será que esse medo é paranoia ou precaução? Os pensamentos que vem à cabeça são vários. “Nossa, o mundo está muito perigoso!”. “Se eu for pra lá, vou me colocar em risco”. “Será que isso pode acontecer onde eu moro?”. “O que posso fazer pra proteger a mim e minha família?” Diante dessa cascata de pensamentos e emoções, algumas pessoas tendem a desistir de viajar ou de ir a lugares externos. Você já fez isso alguma vez na vida? Conhece alguém que fez?

Continue lendo