Traição e infidelidade: o que acontece na mente da pessoa traída? E da que traiu?

Traição e infidelidade: o que acontece na mente da pessoa traída? E da que traiu?

  |  Tempo de leitura: 9 minutos

A traição machuca. Descobrir que o parceiro ou a parceira é infiel é um dos momentos mais difíceis da vida de alguém. As emoções que surgem após a descoberta da infidelidade podem causar estragos no emocional de quem foi traído (e de quem traiu também!). 

Vivemos cercados por situações assim. Seja na vida real ou em meios de entretenimento, encontramos casais feridos por uma traição e, com isso, algumas ideias “únicas” sobre o amor. 

Por exemplo, uma mensagem que é corriqueiramente transmitida em filmes, livros e novelas é que o relacionamento que supera infidelidade é forte. “Nem isso foi capaz de abalar o laço entre os parceiros” é o que parecem dizer. Outra noção é que os homens traem mais que as mulheres, portanto, ela precisar perdoar o parceiro ou viver à espera de um deslize dele.

Muitas vezes, essas concepções moldam o pensamento das pessoas. Mas será que são mesmo verdadeiras ou ajudam a cuidar da saúde mental nessa situação difícil?

A mente de quem é traído

A pessoa traída pode responder a traição de diversas maneiras. A sua forma de enxergar a situação depende do sentimento nutrido pelo parceiro e do estado do relacionamento. No entanto, mesmo que este esteja péssimo, saber que foi traído nunca é fácil. 

A traição simboliza quebra de confiança e ausência de respeito com o próximo. Afinal, existem maneiras de melhorar o relacionamento e de terminá-lo sem causar tamanho sofrimento emocional ao próximo. Então, por que o parceiro escolheu machucá-lo dessa forma?

Quando a infidelidade acontece, o traído passa por um período de luto. Como algo muito importante é perdido, o pesar é semelhante ao de quando alguém amado morre. As emoções são tão intensas que podem causar um trauma emocional

Além disso, as crenças da pessoa traída em relação aos relacionamentos podem sofrer mudanças radicais. Ela pode passar a desacreditar no amor, não ver mais sentido no casamento ou em relacionamentos longos, ou crer que é impossível confiar em alguém de verdade. Seus sonhos, planos para o futuro e expectativas também são danificadas bruscamente. 

Reações típicas à infidelidade 

Traição e infidelidade: o que acontece na mente da pessoa traída? E da que traiu?

O processo de superação e de cura da traição tende a ser longo para a maioria das pessoas. Dependendo das reações da pessoa traída, pode ser menos dolorido e demorado. Porém, dificilmente é feito sem, pelo menos, um pouco de dor emocional. 

O traído pode reagir com:

Raiva

A pessoa traída pode ser dominada por uma fúria cega, reagindo à descoberta com violência. Brigas físicas e verbais são esperadas quando a raiva é predominante. Dependendo da situação, a agressividade pode escalar e até mesmo causar uma tragédia. 

É compreensível sentir raiva no momento da descoberta ou dias/semanas após o ocorrido. No entanto, ela precisa ser controlada para não prejudicar a pessoa traída nem quem traiu. Por mais que essa última tenha errado em trair, reagir com agressividade pode fazer o traído se arrepender de ações ou palavras ditas no calor do momento. 

Descrença

Pessoas que descobrem a traição por meio de outras fontes, como amigos ou vizinhos, costumam reagir com incredulidade. Será mesmo que a infidelidade aconteceu? Como saber se fulano(a) não mentiu? A descrença também pode surgir quando a pessoa que traiu revela o que fez abertamente.

Mesmo quando há provas, como fotos e vídeos, o traído não quer aceitar a realidade. Afinal, ela causa dor. A imagem construída do parceiro é abalada ou totalmente destruída, refletindo na confiança da pessoa traída. Ela pode questionar as suas decisões, perguntando-se como não viu algo tão óbvio ou como escolheu ficar com alguém capaz de magoá-lo dessa forma. 

Tristeza

A infidelidade no relacionamento é triste. Ela é sentida, sobretudo, quando o traído reconhece as suas perdas: o parceiro que tanto amava, a relação a que se dedicou e uma coletânea de planos para o futuro. A tristeza faz com que reflita sobre os momentos bons e se pergunte se conseguirá perdoar o outro. Ela pode causar depressão quando acentuada. 

Culpa

Ser alvo de uma traição é tão complicado que a pessoa traída pode atribuir à culpa da atitude do outro a si mesma. Começa a pensar se não fez algo para afastar o parceiro e se não criou expectativas altas demais para o relacionamento, causando a situação desagradável. 

Embora seja reconfortante criar desculpas para justificar o comportamento da pessoa amada, é importante reconhecer que cada um possui responsabilidade por seus atos. Ninguém deve assumir a responsabilidade por comportamentos ou decisões de terceiros.

A mente de quem trai

Por que as pessoas traem? Não é mais fácil terminar um relacionamento ou casamento ruim do que ser infiel e causar um sofrimento imensurável para o parceiro? 

São várias as razões que motivam as pessoas a serem infiéis. Apesar de termos o desejo de ver quem trai com maus olhos, é preciso lembrar que todos nós somos passíveis de cometer erros. Nem sempre a pessoa que trai quer arruinar a vida do parceiro ou fazê-lo sofrer. 

Por mais difícil que seja enxergar a infidelidade no relacionamento sem a influência das emoções, precisamos analisar cada caso de acordo com a sua realidade. As motivações para a traição podem ser:

  • tédio;
  • indiferença do parceiro;
  • solidão;
  • vingança por alguma atitude do parceiro;
  • busca por atenção; 
  • sentir-se menosprezado pelo parceiro;
  • excitação por ser “algo proibido” ou uma “aventura sexual”;
  • vontade de terminar o relacionamento.

Abaixo, explicamos algumas questões mais pontuais na visão da psicologia. A intenção não é convencê-lo a tomar uma decisão precipitada, mas, sim, esclarecer dúvidas que podem estar causando sofrimento. 

Por que os homens traem?

A ciência explica que os homens traem mais que as mulheres por que possuem maior capacidade de separar o sexo do amor e, assim, concretizar a traição ou traições. Além disso, não costumam pensar nas consequências e têm mais confiança que conseguirão escapar da situação caso sejam pegos. Geralmente, quando o homem trai ele busca prazer ou atenção em outra parceira.

Por que as mulheres traem?

Já as mulheres tendem a estabelecer um laço afetivo com a pessoa escolhida para a infidelidade. Elas estudam mais as suas possibilidades e geralmente traem somente quando o relacionamento atual está ruim. No entanto, as mulheres mais jovens costumam trair para satisfazer suas necessidades emocionais e sexuais, da mesma forma que os homens fazem. 

Quando a traição ocorre uma vez e é perdoada, o parceiro trai de novo?

Traição e infidelidade: o que acontece na mente da pessoa traída? E da que traiu?

Cada caso é um caso.

A pessoa que trai pode tê-lo feito em um momento de espontaneidade, sem considerar as consequências, motivada pela excitação e o fator “proibido” da traição. Assim que é revelada, seja por outras pessoas ou por quem traiu, ela pode se sentir culpada e nunca mais repetir esse comportamento.

Da mesma forma, pode trair novamente, confiante por ter sido facilmente perdoada. A incapacidade de terminar o relacionamento ruim, seja por medo ou vergonha, também pode motivar outra traição. 

Em nossa sociedade, o pensamento que o “homem pode trair quando quiser” ainda circula entre alguns indivíduos, famílias e comunidades. 

Essa forma de pensar tem raíz em crenças como “o homem é um ser mais sexual que a mulher” ou “o homem procura fora de casa o que não encontra em casa”. Dessa forma, a infidelidade masculina é mais aceita por mulheres que pensam assim. A aceitação dá a entender que tudo bem se o parceiro trair.

Como lidar com a traição? 

Como perdoar um parceiro infiel? 

É possível fazê-lo e dar continuidade ao relacionamento sem que esse seja abalado? 

Como a pessoa traída deve agir para evitar sofrimento emocional? 

São muitas as perguntas que rodeiam a infidelidade nos relacionamentos. 

A verdade é que não existe uma resposta universal, capaz de satisfazer todas as pessoas que já foram traídas. Aceitar ou não que foi traído bem como perdoar ou não o parceiro são decisões que devem ser analisadas com calma, levando em consideração as emoções e os planos para a relação. 

Perdoar não é o mesmo que conceder permissão ao parceiro para trair ou aceitá-lo de volta em sua vida. O perdão beneficia quem foi traído porque promove a libertação de emoções e de sentimentos desagradáveis, os quais fortalecem o apego da pessoa à situação dolorosa.

Além disso, quem perdoa o parceiro infiel tem todo o direito de expressar as suas preocupações e fazer mudanças (sensatas) na dinâmica do relacionamento até que a ferida seja curada. 

Apenas não é legal aceitar o parceiro de volta e torturá-lo emocionalmente, fazendo-o sofrer por ter escolhido trair. É preciso ser honesto tanto consigo mesmo quanto com o outro ao perdoar. A vingança pode soar atraente na hora, mas não é o caminho certo para reconstruir a confiança perdida.

Se ambos os parceiros não têm essa intenção, a melhor decisão pode ser terminar o relacionamento. Ser traído certamente não diminui as oportunidades de reencontrar o amor de ninguém.

Agora, se quem traiu foi você, pedir perdão por ter causado sofrimento e conversar com sinceridade com o parceiro ou a parceira é a atitude mais honrosa nessa situação.

Caso seja muito difícil encontrar uma solução, é possível fazer terapia para descobrir a opção menos agressiva para a sua saúde mental. Conversar com um psicólogo também pode fazê-lo se sentir melhor, seja você o traído ou quem traiu. Veja como a Vittude pode ajudá-lo!

Vittude no prêmio iBest

Tatiana Pimenta

CEO e Fundadora da Vittude. É apaixonada por psicologia e comportamento humano, sendo grande estudiosa de temas como Psicologia Positiva e os impactos da felicidade na saúde física e mental. Cursou The Science of Happiness pela University of California, Berkeley. É maratonista e praticante de Mindfulness. Encontrou na corrida de rua e na meditação fontes de disciplina, foco, felicidade e produtividade. Você também pode me seguir no Instagram @tatianaacpimenta