11 dicas para dar um feedback positivo
Avalie este artigo
14 de setembro de 2020 | 8 min de leitura
Habilidades e Competências

11 dicas para dar um feedback positivo

O feedback positivo vai muito além de um simples elogio. É uma ferramenta poderosa para elevar o bom desempenho dos colaboradores de uma empresa e garantir a satisfação no dia a dia de trabalho. Afinal, todo mundo gosta de ser reconhecido, não é mesmo?

O grande problema é quando os líderes das empresas não dão importância para o feedback positivo, deixando de parabenizar os resultados alcançados e a boa performance dos membros do seu time. Isso pode gerar insatisfação e até mesmo quedas nos índices de produtividade. O ser humano sente a necessidade de ter o seu trabalho reconhecido, portanto, quando isso não acontece, a frustração pode tomar conta.

O ideal é que as organizações tenham momentos formais frequentes para o feedback, mas fora isso nada impede que o líder dê um feedback positivo quando sentir que há a oportunidade adequada. Muitas vezes, apenas um “obrigada, você fez um ótimo trabalho” já é o suficiente para incentivar o profissional a manter o seu desempenho.

Pode parecer simples ou bobo, mas no fundo é uma das armas mais poderosas que as empresas têm contra o turnover, a queda de produtividade e engajamento.

Sabemos disso aqui no Vittude Corporate, por isso preparamos um artigo completo sobre feedback positivo. A partir de agora você não tem mais desculpas e pode começar a usufruir dessa ferramenta tão importante para sua empresa. Vamos lá? Continue a leitura para acompanhar tudo.

O que é o feedback positivo?

O feedback é um retorno que uma pessoa recebe por conta do seu desempenho, sendo que este pode ser positivo ou negativo. No caso, aqui estamos falando apenas do feedback positivo, que significa exaltar um desempenho que alcançou os padrões esperados (ou melhor ainda, superou).

Trata-se de uma conversa honesta entre líder e liderado em que são levantados exemplos, indicadores e percepções sobre o trabalho do profissional que está sendo avaliado. Deve ser um papo honesto e construtivo. Se o feedback for positivo, o objetivo é entender como manter o desempenho daquela pessoa elevado para que ela continue produzindo. Já se for um feedback negativo, é importante entender como contornar as adversidades para que ela volte a desempenhar suas funções conforme o esperado.

Qual é a importância do feedback positivo?

O feedback positivo é essencial para um dia a dia mais feliz, engajado e satisfatório. O clima organizacional como um todo se beneficia de profissionais mais satisfeitos, portanto, organização e colaborador saem ganhando.

De um lado, a empresa precisa de funcionários motivados e produtivos para alcançar melhores resultados. Ao mesmo tempo, as pessoas querem sentir que um bom trabalho é reconhecido, afinal, isso é importante para o emocional e para o engajamento no trabalho do dia a dia.

A dica aqui é não menosprezar o feedback positivo, pois os profissionais da sua empresa sempre terão a necessidade de saberem se estão desempenhando conforme o esperado ou até superando as expectativas. Do mesmo jeito que é necessário pontuar quando algo não vai bem, também é preciso reconhecer um bom trabalho e expressar isso.

A partir do momento em que o colaborador recebe um feedback positivo, sentirá ainda mais vontade de produzir e superar os seus limites. É como uma dose de motivação que faz bem para todos naquele ambiente. E para completar, o feedback também proporciona boas condições para o fortalecimento do vínculo de confiança e cordialidade entre o líder e o liderado.

Respeito, consideração e valorização dos esforços entram em cena e é criado um elo muito mais forte com o passar do tempo, afinal, o liderado passa a sentir que seu líder aprecia seu trabalho e confia nele.

Qual é o papel do líder no momento do feedback?

Um líder consciente em relação à importância do feedback positivo é essencial para que o dia a dia funcione.

O momento do feedback pode ser um pouco tenso e complexo para quem nunca o vivenciou, mas existem formas de se preparar e planejar uma boa conversa.

No geral, é importante que o líder abrace esse momento e faça o seu melhor para transmitir a mensagem correta ao liderado. É a hora de ser honesto e claro, mas também é preciso se lembrar sempre de que é um ser humano que está do outro lado.

Grosserias não levarão nenhuma das partes a lugar nenhum, e a melhor forma de apontar erros e acertos é mostrando exemplos e utilizando indicadores de performance.

O papel do líder é acompanhar diariamente o trabalho dos membros da sua equipe para ter insumos o suficiente no momento do feedback.

Um líder ausente não tem parâmetros e, como citado anteriormente, é necessário que este acredite no poder e necessidade do feedback, se organizando com antecedência para que este momento seja o mais produtivo possível.

É de sua responsabilidade reconhecer conquistas e apontar erros sem medo, mas sempre com uma boa escuta ativa e abertura para o diálogo.

Caso o líder não se envolva no processo de feedback, a frustração dos liderados pode acabar resultando em índices de turnover mais elevados. Por isso, é importante que haja um processo de conscientização em relação à importância dessa ferramenta e como ela deve ser utilizada tanto nos momentos formais como de maneira contínua no dia a dia.

11 dicas para dar um feedback positivo

Para quem acha que o feedback positivo nada mais é do que um elogio, pode parecer simples. No entanto, não é recomendado chegar despreparado nesse momento, afinal o feedback é mais complexo do que apenas uma crítica ou um “parabéns”. É preciso criar um clima agradável, trazer evidências, traçar planos de ação e por aí vai.

Separamos 11 dicas essenciais para você entender como conduzir melhor esse processo. Vamos lá?

Garanta uma frequência

O ideal é que a empresa garanta a existência de um fluxo de feedbacks ao longo do ano. Isso é importante para que o momento não passe batido e os líderes se esqueçam de fornecer os feedbacks da melhor forma possível.

Cabe ao RH organizar esses momentos formais, mas isso não impede que, quando sentir necessidade, o líder crie outros momentos para passar um feedback positivo ou pontuar algo a respeito de eventos isolados.

Acompanhe o dia a dia do time

Um bom feedback é baseado em evidências, ou seja, nada de “achismos”. É super importante que o líder esteja presente no dia a dia da equipe.

Isso não significa fazer um microgerenciamento, mas ter clareza sobre o que está sendo feito por cada profissional, ter momentos de alinhamento e se colocar à disposição para tirar dúvidas ou dar direcionamentos.

E por que isso é importante para o feedback positivo? Simplesmente porque, dessa forma, o líder tem maior clareza sobre o desempenho de cada membro do time.

Fica mais fácil trazer exemplos e evidências para o momento do feedback quando ele está acompanhando a rotina e as entregas. Um líder ausente não terá muita clareza sobre o que apontar de positivo e negativo, certo?

Não dê o feedback na frente de outros colaboradores

Evite dar o feedback, mesmo que positivo, na frente de outros colaboradores da empresa. Trata-se de um momento pessoal de cada um e nem todos se sentem confortáveis em compartilhar a conversa com outras pessoas.

A dica, se possível, é procurar realizar o feedback fora do escritório, pois dessa forma tanto líder como liderado se sentem mais confortáveis para expor ideias e opiniões.

Planeje-se com antecedência

O planejamento é essencial para um bom feedback. Isso significa que chegar totalmente despreparado para esse momento é um sinal de alerta e, com certeza, só vai gerar frustrações. Ambos os lados, líder e liderado, precisam estar preparados.

O líder deve se organizar em relação ao local onde acontecerá a conversa, além de já ter anotadas as evidências, destaques de pontos fortes e fracos e planos de ações a serem traçados.

O liderado, por sua vez, pode realizar um processo de autoconhecimento antes do bate-papo, elencando pontos positivos e negativos no seu desempenho nos últimos meses. O planejamento e a organização ajudam a tornar o feedback mais fluido, diminuindo o nervosismo.

Evite comparações

Sempre que possível, o indicado é que o líder evite comparações positivas ou negativas com outros colegas de trabalho. Isso pode gerar competitividade ou inveja desnecessárias, que acabam fazendo com que haja mais atitudes tóxicas no ambiente de trabalho.

O ideal é apenas usar o próprio profissional que está recebendo o feedback como um parâmetro comparativo. Você pode apontar como ele evoluiu nos últimos meses e, por isso, seu desempenho melhorou. O errado seria usar outro membro do time, por exemplo, para comparar níveis de performance.

Contextualize o feedback

O feedback positivo precisa ser contextualizado, ou seja, antes de falar sobre o desempenho, resultados e entregas da pessoa, vale explorar a curva de evolução e indicar o que foi analisado ao longo do caminho. Simplesmente falar o feedback, mesmo que positivo, sem nenhum contexto, pode apenas gerar mais ruído na comunicação.

Reconheça o trabalho do profissional

O feedback positivo está baseado em reconhecer o bom trabalho do profissional, não é mesmo? Por isso é importante garantir que a mensagem em relação a isso será transmitida adequadamente.

A pessoa que está recebendo o feedback precisa ter clareza sobre o que está fazendo de bom, o porquê seu desempenho está dentro ou acima do esperado e receber os créditos por isso. O reconhecimento é essencial para que todos se sintam mais motivados.

Dê exemplos do dia a dia

Para completar a dica anterior, no momento em que estiver se organizando para dar o seu feedback, lembre-se de compilar alguns exemplos práticos do dia a dia que merecem ser exaltados. Isso vale tanto para o feedback positivo como negativo!

É interessante, sempre que pontuar um bom desempenho ou resultado, mostrar com exemplos reais como isso se deu no trabalho. Por isso é tão importante que o líder acompanhe  a rotina da sua equipe, pois é assim terá acontecimentos para provar colocações no momento do feedback.

Pratique a escuta ativa

Um ponto importante é que tanto líder como liderado exerçam a escuta ativa, que nada mais é do que prestar atenção na fala do outro e demonstrar verdadeiro interesse pelo o que está sendo dito.

Atitudes esnobes e indiferentes não ajudarão em nada nesse momento. É a hora de ouvir o que o outro tem a dizer, seja bom ou ruim, e se colocar à disposição para falar a respeito.

Incentive o autoconhecimento

O autoconhecimento é essencial para um profissional evoluir na carreira. Ao se conhecer melhor, ter consciência sobre seus pontos fortes e fracos e como alavancar o seu potencial, a rota para o sucesso fica mais clara. Nem todo mundo compreende o quão valioso é o autoconhecimento nesse processo, por isso cabe ao líder orientar o seu time em relação a isso no momento do feedback.

Mesmo que o profissional em questão esteja com ótimo desempenho, sempre há o que aprimorar e desenvolver e o autoconhecimento será uma ferramenta necessária nesse momento. Não existem fórmulas prontas para todo mundo, mas a psicoterapia, por exemplo, é uma ótima maneira de promover o autoconhecimento.

Banner Corporate

Trace um plano de ação

Por fim, não podemos nos esquecer de que um bom feedback sempre precisa direcionar as pessoas para alguma ação. Por isso, existem os planos de ações, que devem ser feitos logo após a reunião.

Mesmo que a pessoa tenha recebido um feedback positivo e esteja voando em sua posição, sempre terá algo para desenvolver e potencializar. O plano de ação existe para facilitar esse processo e orientar. Afinal, de nada vale um feedback se no final não é transformado em ações que podem ser colocadas em prática.

Como a psicoterapia ajuda no desenvolvimento dos seus colaboradores?

Sabia que a psicoterapia vai além da prevenção e tratamento de distúrbios mentais? Nem todo mundo sabe disso porque ainda existe um grande tabu em relação ao assunto.

Nós, do Vittude Corporate, estamos aqui para te alertar sobre as vantagens de oferecer a psicoterapia como um benefício corporativo. Uma delas é que se trata de uma ferramenta capaz de ajudar os seus colaboradores a desenvolverem habilidades essenciais para lidar com momentos de feedback.

Isso porque, por meio da psicoterapia, as pessoas vivenciam uma jornada de autoconhecimento, criando mais consciência sobre seus pontos fortes e fracos. Além disso, inteligência emocional e habilidades sociais e de liderança também são desenvolvidas ao longo das sessões.

O psicólogo conduz os pacientes para que eles reflitam sobre quem são, o que buscam para si mesmos, como podem superar adversidades e encontrar as suas melhores versões.

Dessa forma, se tornam profissionais mais completos e preparados para lidar com feedbacks positivos e negativos, o que resulta em maior produtividade e engajamento no dia a dia de trabalho.

Além disso, a Vittude preparou o manual de habilidades do futuro, com dicas para potencializar as soft skills dos profissionais da sua empresa e os preparando para um mundo 4.0.

Se quiser saber como levar a psicoterapia para a sua empresa como um benefício corporativo, acesse Vittude Corporate e fale com um dos especialistas da Vittude.

Por Bruna Cosenza

Este post ajudou você? Então, aproveite para seguir a Vittude no Instagram e assine nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de mais conteúdos bacanas e novidades!
Avalie Este artigo
autodesenvolvimento feedback positivo habilidades inteligência emocional liderança psicoterapia

Leia também

Receba novidades da Vittude