Biopsicossocial: o impacto do bem-estar psicológico nas empresas
Avalie este artigo
8 de janeiro de 2021 | 6 min de leitura
Bem-estar

Biopsicossocial: o impacto do bem-estar psicológico nas empresas

Por muitos anos, as doenças da mente foram um enorme tabu em nossa sociedade. Chamadas de “coisa de louco”, as doenças que pudessem ter influência de um problema mental não era bem vistas. Hoje, no entanto, a visão biopsicossocial já mudou bastante essa realidade.

É claro que o preconceito ainda existe, mas já há muitas linhas de estudos médicos que vão além dos fatores biológicos quando o assunto é a avaliação de uma doença. Sabemos que existem muitas doenças com origens emocionais ou que podem ser agravadas por questões psicológicas. Por isso, o bem-estar e os cuidados com a saúde mental são tão importantes.

Podemos citar, por exemplo, as doenças psicossomáticas, que são desordens psiquiátricas ou emocionais que afetam o funcionamento dos órgãos. Dessa forma, essas desordens ocasionam problemas físicos que podem aparecer em diferentes partes do corpo, como: manchas na pele, falta de ar, tremores, diarreia etc.

Por mais estranho que possa parecer, no caso de doenças psicossomáticas, sintomas como esses não são explicados por alterações orgânicas, pois quando são feitos exames não é detectada nenhuma doença que cause tais problemas.

Tudo isso para introduzir o tema deste artigo, que é o modelo de visão biopsicossocial e a questão da importância do bem-estar psicológico no dia a dia de trabalho dentro das empresas. A evolução na medicina e a conscientização sobre temas como esse são essenciais para promover uma rotina mais saudável e equilibrada tanto na vida pessoal como profissional.

Neste artigo, você poderá aprender tudo sobre o assunto e tirar as suas dúvidas. Continue a leitura para conferir!

O que é o modelo biopsicossocial?

Enquanto o modelo biomédico atribui a causa de uma doença somente a fatores biológicos, como vírus, bactérias e genes, o biopsicossocial vai além.

Trata-se de uma visão que estuda a causa ou progresso das doenças a partir de três fatores e tem origem na medicina psicossomática. O conceito biopsicossocial aponta para uma visão holística do homem que, antes, era fragmentada por diferentes ciências.

Biológico: características físicas e procura-se entender como a causa da doença pode estar no funcionamento do corpo da pessoa.

Psicológico: investiga as causas psicológicas para um problema de saúde que está afetando a vida do indivíduo. A mente pode afetar o corpo assim como o corpo pode afetar a mente.

Social: analisa como os diversos fatores sociais, entre eles status socioeconômico, cultura, valores e relações sociais podem afetar a saúde.

Bom, e se estamos falando sobre três esferas diferentes, é claro que para estudar as causas de uma doença a partir do modelo psicossocial é necessária uma equipe de profissionais de diversas áreas. Portanto, é um estudo bem mais completo e que considera inúmeras variáveis.

Por anos, as questões da mente foram tratadas com desdém e preconceito, mas esse novo modelo de estudos permite que as causas corretas das doenças tenham mais chances de serem encontradas e, assim, as pessoas tenham uma vida mais saudável.

Qual é impacto do bem-estar psicológico na vida das pessoas?

O bem-estar psicológico é resultado de diversas esferas de nossas vidas. O ser humano tem muitas necessidades: fisiológicas, pessoais, de estima, sociais e por aí vai. Tudo isso impacta em como nos sentimos e encaramos a vida.

Quando algo vai mal, é bem capaz que o seu bem-estar psicológico seja afetado. Basta pensar em um exemplo básico: uma pessoa que está passando fome e sede pode começar a ter delírios, desmaios e coisas desse tipo. Logo, ela se sente fraca e atormentada, não é mesmo?

Em outro exemplo podemos citar alguém que está muito infeliz com a sua vida profissional e se deixa dominar totalmente por pensamentos negativos. Assim, ela começa a desenvolver ansiedade excessiva e o seu bem-estar é afetado drasticamente.

É claro que a vida é uma roda-gigante e é praticamente impossível estar totalmente satisfeito com todas as esferas da sua vida ao mesmo tempo. Mesmo assim, é bem possível cuidar para que haja um equilíbrio.

Nesses casos, vale pensar sobre o conceito de bem-estar subjetivo, que é estudado pela Psicologia Positiva e é definido como pensar e sentir que, de maneira geral, a sua vida está indo bem. Portanto, nada mais é do que uma avaliação subjetiva da sua qualidade de vida.

Quanto mais alinhadas estiverem as esferas e necessidades da sua vida, maior deve ser o seu bem-estar subjetivo, ou seja, a sua percepção de que a vida vai bem e você está feliz. Tudo isso está diretamente relacionado ao bem-estar psicológico e, é claro, ao modelo biopsicossocial. Afinal, ter clareza de que a mente interfere no corpo e vice-versa é muito importante para viver melhor.

Quando as pessoas estão sofrendo com uma questão mental e não conseguem resolvê-la, o bem-estar subjetivo com certeza cai, ou seja, a pessoa se sente menos feliz.

O que fazer para elevar o bem-estar psicológico no mundo corporativo?

No meio corporativo não é diferente: colaboradores são, antes de qualquer coisa, são seres humanos. Portanto, é preciso olhar para essas pessoas de forma holística e não somente como uma pecinha da engrenagem que faz a empresa rodar.

Quando os indivíduos que trabalham na sua empresa estão enfrentando problemas de saúde mental, como ansiedade, estresse, burnout, todo mundo paga a conta. Ter colaboradores saudáveis, felizes, motivados e satisfeitos é um dos ingredientes essenciais para que os resultados sejam alcançados com maior rapidez e qualidade.

Portanto, cabe às empresas implementar ações recorrentes que visem aprimorar o bem-estar dos funcionários e contribuir para elevar a qualidade de vida. Entre essas ações podemos citar alguns exemplos, como:

Realização de pesquisa de clima organizacional

Antes de qualquer coisa, é válido ressaltar que uma das maneiras mais eficientes para analisar o bem-estar do colaborador é a pesquisa de clima organizacional. É uma forma de detectar quais são as fontes de problemas que podem estar gerando estresse, ansiedade e outros distúrbios.

Fomentar uma cultura de saúde mental

É essencial garantir que a cultura organizacional fomente os cuidados com a saúde mental. O tabu deve ser eliminado e os colaboradores precisam se sentir à vontade para conversar sobre possíveis questões que estejam enfrentando para, assim, procurarem ajuda e evitarem problemas mais graves.

Levantar discussões sobre prevenção e tratamento de distúrbios psicológicos é necessário. E quando as pessoas têm consciência do modelo biopsicossocial e de como a mente é capaz de influenciar o corpo e vice-versa, se tornam indivíduos melhor informados sobre tantas questões que podem interferir no bem-estar.

Uma das maneiras de fomentar a cultura de saúde mental é promovendo palestras, workshops e outros tipos de debates sobre o assunto. Levar especialistas, como psicólogos, para abordar o tema é uma ótima estratégia que, além de chamar a atenção, ajuda os colaboradores a saírem da rotina.

Vale lembrar que em uma sociedade em que a depressão é uma das maiores causas de afastamento do ambiente de trabalho, as organizações que não levantarem a bandeira dos cuidados com saúde mental saem perdendo. Isso porque quando o psicológico não vai bem, os profissionais tendem a produzir menos e com menor qualidade, o que afeta os resultados da empresa.

Incentivo à qualidade de vida

O discurso pode ser perfeito, mas de nada adianta se não for acompanhado de boas práticas. O incentivo à qualidade de vida é evidente quando a empresa não permite que os colaboradores sofram com a sobrecarga de trabalho.

Além disso, contar com iniciativas voltadas para a saúde física e mental, como aulas de meditação, yoga ou mesmo massagens ao longo do expediente pode ser uma boa.

Para completar, garantir a flexibilidade de horários de trabalho também pode contribuir muito quando o assunto é qualidade de vida, afinal, todo mundo busca equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Oferecer a psicoterapia como um benefício corporativo

Por fim, mas não menos importante, não podemos deixar de falar de novas possibilidades de benefícios corporativos. Já pensou em oferecer aos seus colaboradores um plano de saúde que inclui a psicoterapia?

Isso já é possível e muitas empresas já estão fazendo embarcando nessa jornada. É uma maneira eficaz de demonstrar preocupação genuína com a saúde mental dos colaboradores e colher os frutos com um quadro de funcionários mais feliz, produtivo e satisfeito.

E agora que você já mergulhou na importância do bem-estar psicológico e compreendeu melhor sobre o universo da saúde mental, a boa notícia é que a Vittude Corporate existe para facilitar todo esse processo para a sua empresa.

Se quiser conhecer os nossos serviços e levar a psicoterapia para a sua organização, Fale com um dos especialistas do Vittude Corporate!

Você pode se interessar também pelos seguintes assuntos:

Por Bruna Cosenza

Este post ajudou você? Então, aproveite para seguir a Vittude no Instagram e assine nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de mais conteúdos bacanas e novidades!
Avalie Este artigo

Leia também

Receba novidades da Vittude