​ ​ Gentileza: como cultivar um ambiente de trabalho mais saudável - Vittude Corporate

Gentileza: como cultivar um ambiente de trabalho mais saudável

13 de junho de 2019
Gentileza: como cultivar um ambiente de trabalho mais saudável
Avalie este artigo
  |  Tempo de leitura:6 minutos

Segundo uma pesquisa da Universidade da Califórnia, quem pratica gentileza é mais feliz, e pessoas mais felizes têm mais qualidade de vida, mais foco nas atividades e alcançam melhores resultados profissionais.

Toda a nossa cultura, instituições e sistemas que regem a vida hoje nos levam ao autocentramento. Estamos cada vez mais egoístas, presos na ideia de que somos autossuficientes, no self made men que faz a sua própria vida e colhe seus próprios resultados. Entretanto, de forma alguma podemos viver sozinhos.

Precisamos dos outros seres humanos. Precisamos dos recursos da terra. Precisamos de toda a cadeia de seres vivos do universo para permanecermos existindo. E, para que isso aconteça de forma mais viva e benéfica para todos os lados, é preciso praticar a gentileza.

O que é gentileza?

Gentileza é uma prática de cuidado, amor, delicadeza e respeito à vida do outro. Ser gentil é agir com empatia e compaixão. Entregar aquilo que a outra pessoa precisa. Agir pelo bem comum de cada ambiente.

Quando o movimento de um favorece o movimento do outro pela vida, uma relação de parceria é formada e assim é muito mais fácil praticar a gentileza constante. A cientista social Kristen Renwick Monroe afirma que “no coração do altruísmo reside a percepção de nossa humanidade compartilhada”. O surgimento e a sustentação da compaixão depende justamente disso: um interesse vivo, um senso de conexão e identificação com o outro, mesmo que o outro seja um desconhecido ou somente um colega de trabalho.

gentileza

Cultivando a gentileza no ambiente de trabalho

No trabalho a falta de gentileza fica ainda mais evidente. Com os modelos de negócio que temos hoje, onde é preciso estar constantemente produzindo e batendo metas, esquecemos dos seres humanos que estão por trás dos números. Nos tornamos insensíveis, prejudicando a nós e aos outros nesse processo.

Entretanto, existem formas de estar constantemente incentivando a gentileza, a compaixão e a empatia em todos os círculos que vivemos. Aqui vão algumas ações para impulsionar esse comportamento no seu ambiente de trabalho.

1. Cumprimente seus colegas de trabalho com um sorriso

Parece besteira, mas um bom dia olhando nos olhos e um sorriso pode mudar o comportamento de seus colegas com relação à você e aos outros por todo um dia. O poder do sorriso é maior do que imaginamos, melhorando nossas relações e nossa saúde.

2. Mantenha uma postura, linguagem e tom de voz receptivos

Se você já chega no trabalho com uma postura rígida e fechada, sendo grosseiro e com um tom de voz rude ou alto demais, as relações se tornam mais frias e duras. Prestar atenção em detalhes como dizer “obrigado”, “por favor”, “de nada” e outras expressões, com o corpo aberto e a voz leve, impacta diretamente na motivação da equipe e na execução das tarefas.

3. Reconheça seus erros

Uma das coisas mais difíceis de se fazer no trabalho e que está diretamente ligada à gentileza é reconhecer os erros. É muito fácil se fechar em uma bolha de autocentramento, reafirmando constantemente nossas certezas. Reconhecer para outro que também erramos, sem nos justificar, apenas perdoando a nós mesmos, também nos ajuda no próximo passo.

4. Seja empático com os erros dos outros

Todo mundo erra. É comum que, no ambiente de trabalho, os erros sejam recebidos de forma mais dura e precisem ser corrigidos rapidamente. O importante é saber lidar com essas situações de forma delicada, sem condenar nem julgar o profissional por conta de pequenos deslizes.

gentileza

5. Apresente feedbacks negativos de forma delicada

Quando erros ocorrerem, saiba trabalhar suas palavras, sua voz e postura para apresentar feedbacks negativos de forma delicada, indicando junto à avaliação formas de agir para mudar esse comportamento ou situação.


Procurando Psicólogos em São Paulo? Agende hoje mesmo uma consulta! #vempravittude


6. Não deixe cargos de liderança subirem à cabeça

É muito comum que, ao assumir cargos de liderança, o profissional acredite que automaticamente precisa assumir também uma postura mais fechada para seus colegas de equipe. Junto às novas responsabilidades, é preciso estar sempre voltando para a posição anterior, se colocando nos sapatos do outro e não deixando que a necessidade de delegar tarefas se torne autoritária e negativa.

7. Ofereça ajuda sempre que possível

A melhor forma de demonstrar gentileza é oferecendo ajuda sempre que possível. Oferecer auxílio é mais do que chegar em uma equipe com sua solução pronta. É preciso parar, escutar e entender os problemas pela perspectiva de quem os está vivendo, para só então oferecer sua mão e fazer o seu melhor.

gentileza

8. Faça todos se sentirem parte de um grupo

O sentimento de parceria é grande propulsor de relações de confiança onde se estabelece a gentileza automática. Quando se trata de nossos filhos, por exemplo, não pensamos duas vezes antes de ajudar. Formar um grupo em sinergia no trabalho cria essa sintonia.

9. Agradeça e reconheça trabalhos bem feitos

Tem coisa pior do que fazer um trabalho com todo o esforço possível, no melhor que você pode dar, e não receber nenhum tipo de reconhecimento? Mesmo se você não estiver em posições de liderança, apresentar seus cumprimentos e agradecimentos aos colegas de trabalho pelo apoio e atividades realizadas é um ato gentil fundamental para a convivência e produtividade.

10. Não espere algo em troca

O erro que cometemos ao prestar gentilezas é criar expectativas de que todas elas serão retribuídas da mesma forma. O mais comum é que uma gentileza puxe a outra. E, que o ambiente se torne cada vez mais amigável e aberto. Entretanto, é importante não esperar nada em troca ao fazer o bem para o outro.

Quando nós reconhecemos que o outro tem uma vida tão brilhante e infinita como a nossa, cheia de sonhos, relacionamentos, sensações e momentos tão ricos como os nossos, conseguimos olhar com mais empatia. E ter empatia, ao contrário do que todo mundo pensa, não é fazer o que você gostaria que fizessem para você. É fazer o que o outro, essa pessoa tão única quanto você, precisa.

Quando isso acontece de forma natural, tornamos as relações mais autênticas. Alegramo-nos verdadeiramente com a alegria dos outros. Começamos a ouvir cada pessoa com interesse verdadeiro e ficamos mais capazes de operar coletivamente em qualquer ambiente de trabalho.

Procurando Psicólogos em São Paulo? Agende hoje mesmo uma consulta!