Checklist de treinamento de integração no futuro pós-pandemia
Avalie este artigo
10 de março de 2021 | 8 min de leitura
Onboarding

Checklist de treinamento de integração no futuro pós-pandemia

Desde que a pandemia começou todo mundo só pensa em quando vamos voltar a viver como antes. A verdade, no entanto, é que talvez não volte a ser totalmente como era antes da COVID-19, pois esse vírus provocou mudanças extremas em nossas vidas. Mudanças essas que podem ser sentidas nas empresas também e, por isso, também é preciso começar a pensar em um treinamento de integração que contemple medidas focadas no pós-pandemia.

A realidade da maioria das organizações atualmente é o home office, que tem como objetivo promover o distanciamento social. No entanto, em algum momento as pessoas vão voltar, aos poucos, para os escritórios, mesmo que a dinâmica tenha mudado. Várias empresas adotaram o home office de vez, mas continuarão com um espaço físico para reuniões e confraternizações.

Por mais que ainda estejamos caminhando a passos de tartaruga, uma hora ou outra vamos parar de usar máscaras o tempo todo e as aglomerações voltarão a acontecer, mas isso é um futuro muito distante. A volta à “vida normal” ainda é avistada por meio de binóculos e, até lá, precisamos estar preparados para uma nova forma de convívio social.

É preciso ter em mente que algumas consequências da pandemia modificaram para sempre o dia a dia nas empresas. A hora para se preparar para os novos desafios é agora. Por isso, estruturamos este checklist de treinamento de integração para organizações que estão pensando no pós-pandemia. Para conferir todas as dicas, leia este artigo até o final!

O que é um treinamento de integração?

Antes de entrarmos nos detalhes do checklist é necessário entender sobre o que se trata um treinamento de integração. Também conhecido como onboarding, é um processo que visa dar as boas-vindas oficiais a novos colaboradores e alinhar as expectativas entre o recém-chegado e a empresa.

Nada mais é do que um mergulho profundo na cultura, visão, valores, história, processos, departamentos e regras da empresa. Dessa forma, o profissional vivencia uma adaptação mais rápida e agradável, conseguindo se enturmar e se inteirar sobre o dia a dia de maneira mais eficiente.

Vale pontuar que um treinamento de integração não acontece apenas em um dia. É necessário garantir que todo o conteúdo seja passado com tranquilidade ao longo das primeiras semanas ou até meses, dependendo da densidade do programa.

Checklist com 8 passos para criar um treinamento de integração

Com a pandemia, muita coisa mudou na rotina corporativa. A primeira mudança mais drástica foi a adoção do home office, um formato de trabalho que ainda engatinhava bastante no Brasil. Empresas que não estavam preparadas acabaram sofrendo um pouco, mas agora o trabalho remoto parece ter ganhado o coração de muita gente.

Além disso, outros processos foram impactados e as organizações precisaram se adaptar rapidamente. Por exemplo, como realizar o processo de integração de novos colaboradores durante a pandemia? A maioria das empresas contava com um onboarding totalmente presencial e, por isso, precisaram correr atrás do prejuízo por nunca terem pensado em digitalizar processos como esse.

No home office, as dinâmicas de relacionamento entre os colaboradores mudou totalmente e, por isso, é tão importante entender como vai ser essa volta no mundo pós-pandemia. Em seguida, confira os 8 passos que criamos para você incluir no seu checklist de treinamento de integração.

1. Estruture o conteúdo

O primeiro passo é pensar no conteúdo do programa de integração, ou seja, quais informações serão repassadas aos novos colaboradores. Normalmente, se pensaria apenas em incluir conteúdos relacionados à missão, visão, valores, departamentos e processos da empresa.

Agora, no entanto, pode ser interessante também repensar essa parte e incluir conteúdos relacionados às mudanças que aconteceram no dia a dia da empresa durante a pandemia. Falar sobre novos protocolos, benefícios corporativos e flexibilidade no horário de trabalho são pontos importantes que merecem ser explicados com atenção.

Não se esqueça de que com a chegada e permanência de modelos de trabalho mais flexíveis, em que as pessoas terão mais liberdade para fazer home office, é preciso pensar em quais conteúdos precisam de adaptação para o meio online e como será a integração entre os colaboradores.

2. Defina um cronograma

Após estruturar todo o conteúdo que entrará no treinamento de integração, não se esqueça de definir um cronograma. Como já citado anteriormente, esse tipo de programa não acontece apenas um dia e, portanto, é necessário entender como incluir os treinamentos em pequenas doses na agenda dos novos funcionários ao longo de um período mais longo.

Não vale a pena fazer tudo correndo e derramar um milhão de informações, pois as pessoas que estão chegando já costumam estar um pouco ansiosas. É importante cuidar para que se sintam acolhidas e confortáveis e não assustadas com um monte de coisas que precisam memorizar e entender em pouco tempo.

3. Estabeleça os responsáveis

Outro ponto que faz parte dessa etapa inicial de planejamento e organização é a definição dos responsáveis por aplicar o treinamento de integração. Por mais que esse processo seja de responsabilidade do RH de forma geral, é necessário garantir que existam donos do projeto.

Além disso, é interessante pensar no perfil dos responsáveis por colocar o programa em prática. Será que não é uma boa direcionar essa responsabilidade para colaboradores com mais tempo de casa? Isso porque esses profissionais estarão mais acostumados com o dia a dia da empresa, além de terem mais facilidade para responder diferentes questionamentos dos recém-chegados.

4. Crie uma rotina de pesquisas de feedback

Não se esqueça também de que para que o processo do treinamento continue vivo e sempre sendo aprimorado, é importante pensar nas pesquisas de feedback. Sempre há o que melhorar, mas só é possível descobrir os pontos fracos se os novos colaboradores responderem uma pesquisa após vivenciarem a integração.

Dessa forma, fica mais fácil entender o que é necessário modificar e melhorar sem ficar atirando para todos os lados.

5. Esclareça os pontos relacionados à flexibilidade

Uma das grades mudanças provocadas pela pandemia foi a crescente procura por moradias no interior. Nasceu um novo olhar em relação ao lar e como usufruímos do local onde moramos. A possibilidade de trabalhar de qualquer lugar fez com que muita gente fosse atrás lugares com custo de vida mais baixo e maior qualidade de vida.

Essa flexibilidade se tornou um ponto importante durante crise sanitária e é bem possível que seja uma tendência que veio para ficar. Será que as pessoas estarão dispostas a voltar para o escritório todos os dias após a pandemia? Ou será que optarão por empresas com flexibilidade para trabalharem de onde quiserem?

Vale a pena refletir sobre os planos da sua organização em relação a esse ponto, pois pode ser que estruturar uma política de home office clara e permanente seja o melhor caminho para reter talentos e garantir a felicidade dos colaboradores.

Dito isto, o treinamento de integração deve contemplar quais são essas políticas e regras para que não restem dúvidas sobre as possibilidades que os funcionários têm de trabalhar presencialmente ou remotamente.

6. Explique os benefícios de qualidade de vida

Outro ponto que passa a ganhar mais destaque com a pandemia é a qualidade de vida. Uma tendência que já existia, mas que foi acelerada por conta das consequências provocadas pela crise sanitária.

Com a busca por moradias mais confortáveis fora de centros urbanos e maior contato com a natureza, as pessoas também passaram a valorizar ainda mais o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. O home office trouxe maior flexibilidade e revelou que é possível harmonizar melhor o dia a dia de trabalho.

orçamento benefício vittude corporate

É claro que muita gente pode não ter se adaptado ou gostado desse formato, mas não podemos negar que ele garante maior equilíbrio dos pratinhos pessoais e profissionais.

De qualquer forma, o ponto que precisa ser evidenciado aqui é que a qualidade de vida não podem mais ser mais ser negligenciada pelas empresas. Durante o treinamento de integração é necessário enfatizar o que a sua organização oferece de benefícios e programas relacionados ao bem-estar dos colaboradores. Destacar esses pontos pode ser um grande diferencial para reter talentos.

7. Crie protocolos de segurança e higiene

Um dia não precisaremos mais usar máscaras o tempo todo nem passar álcool gel sempre que tocamos em algo ou alguém. No entanto, essa realidade ainda é bem distante. O Brasil é um país com mais de 200 milhões de pessoas e, portanto, irá demorar para atingir o número necessário de vacinados para que não seja mais essencial o uso de máscaras.

Até lá pode ser que algumas empresas optem por ir voltando aos poucos o dia a dia de trabalho no escritório e, para isso, será necessário incluir protocolos de segurança e higiene no programa de integração.

Todos precisam estar alinhados em relação ao que pode e não pode ser feito quando estiverem trabalhando no escritório para que se mantenham em segurança. Vale reforçar todas essas regras no treinamento de integração para que não haja nenhum ruído de comunicação.

Talvez também sejam necessárias modificações no espaço do escritório, como distanciamento entre mesas e inclusão de álcool gel para higienização das mesas.

8. Forneça apoio psicológico

Por fim, é extremamente necessário também levar em conta os cuidados com a saúde mental. Já foi noticiado diversas vezes que os casos de depressão, ansiedade e estresse cresceram muito durante a pandemia e, portanto, a busca por auxílio psicológico foi impactada positivamente, com mais gente indo atrás de psicoterapia.

Não podemos deixar de citar que os efeitos colaterais da pandemia na saúde mental das pessoas é um problema que precisa de prevenção e tratamento. Por mais que tenha sido positivo esse aumento pelos cuidados com a saúde mental, não é bacana ver quanta gente está sofrendo com a pandemia e carregando traumas desse cenário caótico que estamos vivendo há tanto tempo.

As empresas, por sua vez, podem fazer a sua parte e oferecer os cuidados psicológicos necessários para que os seus colaboradores enfrentem as diferentes fases dessa crise sanitária com mais bem-estar. Até porque distúrbios mentais têm o poder de impactar a felicidade, engajamento e produtividade dos profissionais, o que não é nada benéfico para a organização.

Cuidar da saúde mental dos seus funcionários é, portanto, cuidar da sua empresa. Para isso, é importante poder contar com parceiros como o Vittude Corporate, que te ajuda a implementar programas de saúde mental. Trata-se de um benefício corporativo que ajuda as organizações a cuidarem de forma preventiva da saúde mental dos seus funcionários.

Assim, por meio de um​ investimento fixo mensal, por colaborador, a sua empresa oferece um subsídio parcial ou integral para sessões de psicoterapia com psicólogos da nossa base. É simples e eficiente.

Além disso, outros benefícios incluem conteúdos e eventos com materiais sobre cuidados com a saúde mental. Estes também são essenciais para a conscientização e disseminação do assunto.

A importância do RH estratégico no pós-pandemia

O RH 4.0 já uma realidade. Trata-se de uma área de recursos humanos muito mais estratégica, que usa ferramentas tecnológicas com o objetivo de tornar o RH estratégico e eficiente. Dessa forma, deixa de ser uma área puramente mecânica e burocrática, mas que passa a ter uma visão muito mais estratégica dentro das empresas.

E por que é importante garantir um RH 4.0 nesse contexto de pandemia? Com tantas mudanças acontecendo no dia a dia corporativo, é mais do que necessário poder contar com um time de recursos humanos que vá além da burocracia.

Para implementar um treinamento de integração eficiente conforme as novas necessidades dessa realidade que estamos vivendo é preciso pesquisar, analisar e traçar ações estratégicas. Por isso, caso os eu RH ainda trabalhe nos moldes antigos, um primeiro passo pode ser transformar essa área. Assim, todos os processos e projetos coordenados por esses profissionais serão executados com muito mais qualidade.

Que tal começar investindo em saúde mental?

A busca pela terapia virtual cresceu muito na pandemia. O fato é que os cuidados com a saúde mental sempre foram importantes, mas por ser um tema que ainda é tabu na sociedade, nem sempre é priorizado. Mais do que nunca, as pessoas estão se dando conta da importância de cuidar do bem-estar emocional para viver melhor.

Essa é uma necessidade que já existia antes da pandemia, mas que agora veio para ficar. Por isso, as empresas devem ficar atentas e oferecer benefícios corporativos que visem a prevenção e tratamento de distúrbios mentais que afetam a qualidade de vida e até mesmo a produtividade dos funcionários.

Para isso, conte com o Vittude Corporate, que oferece as melhores soluções para que você cuide do seu ativo mais valioso, o colaborador!

Você pode se interessar também pelos seguintes assuntos:

Por Bruna Cosenza

Este post ajudou você? Então, aproveite para seguir a Vittude no Instagram e assine nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de mais conteúdos bacanas e novidades!
Avalie Este artigo

Leia também

Receba novidades da Vittude