DORT: entenda os distúrbios osteomoleculares relacionados ao trabalho
Avalie este artigo
28 de abril de 2021 | 5 min de leitura
Bem-estar

DORT: entenda os distúrbios osteomoleculares relacionados ao trabalho

Uma das principais preocupações das empresas são as doenças ocupacionais. Os distúrbios osteomoleculares relacionados ao trabalho, por exemplo, são uma das grandes causas de afastamento da atividade profissional.

As consequências negativas são muitas, incluindo a mais óbvia, que é o problema de saúde do trabalhador em si. Já as consequências indiretas incluem a perda de produtividade da empresa. Por isso é tão importante entender sobre o que se trata DORT e como prevenir estes problemas para evitar dor de cabeça.

Neste artigo, você poderá tirar as duas dúvidas sobre o assunto e entender o que a empresa pode fazer para evitar distúrbios osteomoleculares relacionados ao trabalho. Continue a leitura para conferir!

O que são distúrbios osteomoleculares relacionados ao trabalho?

O primeiro e mais importante passo é entender que os distúrbios osteomoleculares relacionados ao trabalho dizem respeito a desordens neuro-músculo-tendinosas de origem ocupacional. Acometem, principalmente, os membros superiores, pescoço e escápulas. Estas desordens são consequência do uso repetitivo e inadequado das estruturas, aliado à postura uma errada.

Quando estamos falando sobre DORT não podemos nos esquecer da LER (lesão por esforço repetitivo). Alguns especialistas afirmam que a primeira foi criada para substituir a segunda, pois além das lesões causadas por ações repetitivas, existem outros tipos de sobrecarga no ambiente de trabalho, por exemplo:

  • postura equivocada;
  • necessidade de manter os músculos contraídos por muito tempo;
  • necessidade de força em algumas tarefas.

Mesmo assim, podemos ter em mente que DORT e LER são usadas para representar um conjunto de doenças ocupacionais muscoesqueléticas causado por vários fatores. Entre elas, podemos citar:

  • tendinite e tenossinovites de ombro;
  • bursites de ombro;
  • lombagias (dor na coluna lombar);
  • mialgias;
  • citalgia (dor no nervo ciático);
  • cervicalgia (dor no pescoço);
  • síndrome do túnel do carpo;
  • epicondilite.

Algumas profissões sofrem mais riscos do que outras quando o assunto é o desenvolvimento de distúrbios osteomoleculares relacionados ao trabalho. Profissionais que ficam muito tempo sentados em frente ao computador, como secretárias e trabalhadores da área de telemarketing são um ótimo exemplo.

Quais são os sintomas da DORT?

Os sintomas de LER e DORT, já que ambos estão em um conjunto de grupo de doenças, são muito similares. Entre eles, podemos citar:

  • dormência;
  • formigamento;
  • dores;
  • sensação de agulhadas ou pontadas;
  • diminuição da força muscular;
  • inchaço;
  • limitação dos movimentos.

É importante ressaltar que as regiões mais afetadas são aquelas que são mais submetidas à sobrecarga durante a execução de determinadas atividades. Dependendo da intensidade e frequência, pode levar à incapacidade laboral permanente ou temporária.

Os sintomas podem aparecer esporadicamente ao longo da jornada de trabalho. Mais tarde, porém, passam a durar toda a jornada e, enfim, surgem até mesmo durante os momentos de lazer e repouso. Assim, se tornam crônicos.

Quais são os fatores de risco dos distúrbios osteomoleculares relacionados ao trabalho?

Os distúrbios osteomoleculares relacionados ao trabalho são consequência de inúmeros  fatores que, em conjunto, associados à frequência, duração e intensidade, desencadeiam a doença.

Entre os principais fatores de risco, é preciso ficar de olho nos seguintes pontos no ambiente de trabalho:

  • esforço e força;
  • movimentos repetitivos;
  • postura inadequada;
  • impactos e choques;
  • pressão mecânica;
  • vibração;
  • frio;
  • trabalho muscular estático;
  • invariabilidade da tarefa.

Além disso, é válido pontuar que estresse emocional, depressão, ansiedade e infelicidade no trabalho podem agravar os sintomas, principalmente a dor.

Como é o diagnóstico e tratamento da DORT?

O diagnóstico dos distúrbios osteomoleculares relacionados ao trabalho é essencialmente clínico, baseando-se na história da doença, exame físico e análise da atividade profissional do indivíduo.

O tratamento de DORT, por sua vez, deve ser focado na prevenção. Por isso, é muito importante ter consciência sobre quais são os fatores de risco causais e como identificar o problema. A prevenção no ambiente de trabalho está diretamente relacionada a algumas responsabilidades da empresa, como a estrutura oferecida.

Assim que DORT for diagnosticada no paciente o tratamento deve ser realizado por meio de medicações inflamatórias e fisioterápicas. Pode ser necessário mudar o profissional de função ou em casos mais graves até mesmo afastá-lo do trabalho.

Além disso, a fisioterapia também tem uma função muito importante no tratamento, desde a redução de sintomas clínicos até a reeducação em relação à atividade realizada e ergonomia do ambiente de trabalho.

Como prevenir os distúrbios osteomoleculares relacionados ao trabalho?

Visto que é uma doença ocupacional, está nas mãos da empresa boa parte da responsabilidade para prevenção de quadros de distúrbios osteomoleculares relacionados ao trabalho. Existem várias ações que podem ser executadas no ambiente corporativo, confira!

1. Ações de educação em saúde

É essencial que os colaboradores tenham acesso fácil e rápido às informações sobre a DORT. Afinal, quando as pessoas sabem como se cuidar e reconhecer um problema de saúde, também contribuem para a prevenção.

Para isso, podem ser realizadas palestras informativas com profissionais da saúde, enviados comunicados por email, entre outras ações. O importante é passar informações valiosas adiante, por exemplo:

  • explicar o que é DORT, fatores de riscos e sintomas;
  • falar sobre a importância da prática de exercícios físicos;
  • deixar claro que a sobrecarga de trabalho não será tolerada;
  • incentivar pausas durante o expediente;
  • explicar como o estresse pode agravar as lesões.

2. Oferecer ginástica laboral

A ginástica laboral se trata de uma série de exercícios físicos realizados durante o expediente no ambiente de trabalho. O objetivo é evitar problemas de saúde e doenças ocupacionais como DORT e LER.

É um benefício que pode passar despercebido, mas que é essencial para o bem-estar dos colaboradores e da própria empresa.

3. Incentive pausas ao longo do dia

Muitos profissionais ficam horas e horas trabalhando sem realizar nenhuma pausa. A empresa deve incentivar que pequenos intervalos sejam feitos para esticar as pernas, se alongar, beber água e esvaziar a mente por alguns minutos. Podem ser realizadas ações para promover a conscientização sobre a importância do assunto.

4. Respeite os limites físicos e psicológicos de cada um

Empresas com metas muito agressivas podem estar levando seus colaboradores à exaustão. Com isso, eles trabalham muito mais horas do que o que é considerado saudável e por utilizar excessivamente o sistema muscoesquelético sem tempo para a devida recuperação, desenvolvem DORT.

Portanto, evitar a sobrecarga de trabalho é essencial para prevenir esse tipo de doença.

5. Uso de mobiliários ergonômicos

É extremamente importante também ficar atento ao mobiliário, pois muitos problemas de saúde estão relacionados à má postura. Uma pessoa que trabalha o dia todo sentada, por exemplo, precisa de uma cadeira ergonômica para se prevenir DORT. Outros itens, como suporte para computar e apoio para os pés podem ser essenciais também.

No home office, não podemos nos esquecer de que as organizações também devem assumir suas responsabilidades e enviar qualquer mobiliário que seja necessário para o bem-estar físico do trabalhador.

6. Oferecer consultas rápidas no horário de trabalho

Por fim, se for viável na sua empresa pode ser interessante oferecer consultas com um médico especializado no assunto no horário de trabalho. Muitas pessoas deixam de consultar um médico por preguiça ou falta de tempo e, assim, as lesões podem se agravar.

Por isso, pode ser bacana incentivar os cuidados preventivos e promover uma ação com um medico que irá analisar e orientar os colaboradores sobre os distúrbios osteomoleculares relacionados ao trabalho.

Para a empresa, quais são os benefícios de se prevenir DORT?

DORT é a causa de muitos afastamentos e faltas justificadas do ambiente de trabalho. Portanto, não é só o profissional com o problema de saúde que se prejudica. A empresa também é afetada negativamente.

Quando um trabalhador é afastado, rapidamente a organização precisa substitui-lo para não haver sobrecarga de trabalho e a produtividade não ser afetada. Tudo isso exige tempo e dedicação, afinal, nem sempre é fácil substituir um funcionário. Nesse meio tempo, todos os outros profissionais envolvidos podem ser afetados e a motivação e produtividade podem cair.

O melhor caminho é sempre a prevenção

Para a empresa é sempre mais vantajoso contar com colaboradores saudáveis, motivados e felizes. Por isso, é tão importante prevenir e informar sobre DORT e outras doenças ocupacionais que podem afetar o dia a dia de trabalho.

E aí, gostou do artigo? Esperamos que tenha te ajudado a entender mais sobre o assunto e criar ações estratégicas voltadas para a prevenção na sua empresa.

Para ler mais artigos como este, continue navegando pelo blog do Vittude Corporate!

Por Bruna Cosenza

Este post ajudou você? Então, aproveite para seguir a Vittude no Instagram e assine nossa newsletter para receber, em sua caixa de emails, notificações de mais conteúdos bacanas e novidades!
Avalie Este artigo

Leia também

Receba novidades da Vittude